Especiais do Indy Center


O sábado de abertura da temporada começou no Texas, onde a Indy realizou seu único treino livre antes da corrida. Dentro da pista rolaram vários acidentes, reclamações e carros bem mais lentos que em 2019. O mais rápido da sessão foi o neozelandês Scott Dixon com 215.995 mph.

No início do treino, somente os novatos entraram na pista para fazer um treino de reconhecimento. Entre estes novatos estava o holandês Rinus Veekay. Veekay demonstrou sua total falta de experiência em ovais ao fazer a curva 3 com parte das rodas abaixo da linha branca. O resultado dessa aventura foi a perda de controle do carro e uma batida forte no muro.

Rinus Veekay ganhando seu batismo dentro da Indy

O treino recomeçou e com meia hora os veteranos foram liberados para participarem também. Dixon raspou muito perto do muro mas não bateu apesar do susto. Na verdade, o segundo piloto a ter problemas foi Ed Carpenter, que rodou e bateu a traseira no muro. Logo após a bandeira verde ser acionada novamente, Ryan Hunter-Reay bateu e teve sérios danos.

Momento exato em que Hunter-Reay acerta o muro

Na reta final da sessão, as equipes passaram de simulação de corrida para simulação de classificação. E faltando poucos minutos para a quadriculada, Dixon marcou o tempo mais rápido. No entanto, o que chamou a atenção foi a falta de aderência na linha externa em toda a pista. Durante o treino, Colton Herta tentou usar a linha externa na curva 1 e quase perdeu o controle do carro. Isso ocorreu em função da remoção do produto PJ1 que era aplicado para dar mais aderência. A outra reclamação ficou por conta do calor gerado dentro do carro por causa do aeroscreen.

Confira o resultado final do treino:


O treino classificatório está marcado para logo mais, às 18h enquanto a corrida acontece ainda hoje às 21h. A programação completa você pode conferir no nosso post dos horários.

Saiba mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário