Especiais do Indy Center

A vitória de Simon Pagenaud reacende a Penske na disputa pelo título contra Scott Dixon
Foto: Chris Jones/INDYCAR
Depois de largar em último e fazer uma grande prova de recuperação, Simon Pagenaud foi coroado com a vitória na primeira corrida da rodada dupla de Iowa! Em segundo lugar veio o líder do campeonato, Scott Dixon. Logo atrás, a surpreendente dupla da McLaren, Oliver Askew e Pato O'Ward, terceiro e quarto respectivamente e fechando o top 5, Josef Newgarden da Penske.

Em uma corrida recheada de muitas estratégias, com alguns acidentes e algumas disputas na pista, a prova de Iowa gerou boa repercussão entre os fãs da Indy e reacendeu a chama dos ovais em 2020. Mesmo assim, a dificuldade de realizar ultrapassagens permaneceu e o grande influenciador da prova foi o desgaste de pneus. Talvez por isso, das 645 ultrapassagens da corrida, apenas 203 foram por posição e o restante foram ultrapassagens com estratégias ou sobre retardatários, afinal a pista é muito curta e a volta tem menos de 20 segundos.

Jogo de estratégias


A largada foi limpa e sem incidentes. Conor Daly conseguiu se sair bem na primeira volta mas logo começou a receber pressão de Josef Newgarden e Will Power que também se aproximou. No fundo do pelotão, Simon Pagenaud e Scott Dixon vinham lutando por posições e escalando o grid. Na volta 14, Daly não resistiu e foi ultrapassado por Newgarden. Só que nem tudo são flores na vida da Penske e Newgarden enfrentou alguma resistência dos retardatários e Daly voltou a se aproximar.

Algumas equipes logo começaram a mudar suas estratégias e inciaram uma janela de paradas na volta 47. Entre os que estavam partindo para o tudo ou nada, estava Takuma Sato. Enquanto isso, na volta 50, Will Power ultrapassou Daly e pegou a vice liderança da prova. Newgarden seguia enfrentando dificuldades com retardatários e Power tirou seis segundos de diferença e encostou no bicampeão. Contudo, Newgarden se desvencilhou dos retardatários e voltou a abrir vantagem.

A transmissão da prova mostrou Marco Andretti com problemas na embreagem do carro e parado nos pits. Um novo ciclo de paradas começou próximo da volta 63. Power parou na volta 70 e Newgarden na volta 71, mas a essa altura, ficar na pista com pneus se desgastando cada vez mais era um problema e com apenas uma volta de diferença entre as paradas, Power ultrapassou Newgarden na estratégia. 

Só que na Fórmula Indy tem gente disposta a provar que tudo é possível e que tudo pode dar certo. Esse era o espírito de Felix Rosenqvist e Santino Ferrucci que ficaram por mais de 80 voltas se arrastando dentro da pista. Quando a realidade, o bom senso e o juízo voltou para os estrategistas das equipes, os pilotos foram chamados para os boxes porque já estavam mais lentos que um carro de Indy Lights.

Na volta 94, Tony Kanaan acertou o muro e danificou a roda traseira direita do carro e foi para os pits. Lá no pelotão da frente, Newgarden atacou Power e os dois foram pra cima dos carros que estavam a frente com estratégia diferente. Uma nova janela de paradas começou na volta 122. Newgarden conseguiu descolar sua ultrapassagem sobre Power na volta 125. 

A noite já estava presente e muitos carros que iam parando começaram a fazer ajustes de downforce na asa dianteira. Sato, que era o líder e vinha fazendo boa prova com a estratégia diferente, fez seu pit stop na volta 128 mas teve problemas na troca da roda traseira direita e perdeu um tempo precioso.

Bandeiras Amarelas


Os pneus de Power perderam rendimento de maneira considerável e ele foi sendo ultrapassado por muitos carros até entrar nos pits. Durante a parada, o mecânico da roda dianteira esquerda ficou mais atento no ajuste da asa dianteira e não apertou bem a roda do carro mas Power foi liberado para voltar pra pista. Newgarden fez sua parada na volta 139. E outra vez a transmissão da prova mostrou Marco Andretti com problemas.

A bandeira amarela foi acionada na volta 144 e logo descobriu-se que a roda mal apertada de Power se soltou e o carro bateu no muro, na sequência, a roda desgovernada sobrevoou o carro de Power e seguiu atravessando a pista até parar numa curva e encostada no muro interno da pista.
A roda desgovernada quase atingiu Will Power
Novamente mais alguns pilotos fizeram paradas durante a amarela. A Andretti anunciou que Andretti estava oficialmente abandonando a prova e junto com ele, Zach Veach também estava indo pra garagem. Os dois com problemas mecânicos. Tony Kanaan conseguiu voltar e se aproveitou dos abandonos e dos acidentes para faturar mais alguns pontos.

A liderança caiu no colo de Pato O'Ward e com seu companheiro de equipe, Oliver Askew, em segundo. O carro de segurança saiu da pista e sinalizou a relargada porém a direção de prova abortou a relargada quando os carros começavam a ganhar velocidade. A freada brusca fez com que Colton Herta atingisse violentamente a traseira do carro de Rinus VeeKay e decolasse. Durante o voo, o carro de Herta raspou muito próximo da grade mas não chegou a bater nela e tudo não passou de um enorme susto.
A decolagem de Herta foi apenas um grande susto
O replay do acidente de um outro ângulo mostrou que destroços dos dois carros atingiram o aeroscreen do carro de Marcus Ericsson. A amarela então se estendeu muito mais e outra vez houveram paradas para colocar pneus novos, completar o combustível e ter autonomia até o final da prova. No entanto, alguns carros que vinham entre os líderes decidiram que não era o momento certo de fazer a troca de pneus e o reabastecimento.

A relargada só aconteceu na volta 170. Newgarden com pneus novos tratou de descontar uma volta perdida e remar para voltar ao pelotão dos líderes. Pagenaud com pneus novos ultrapassou Sato e assumiu a terceira posição. E não demorou muito para que Sato perdesse posição também para Rossi e Dixon. Enquanto isso, Pagenaud chegou voando nos carros da McLaren e tomou a liderança da corrida para a Penske.

Desgaste de pneus


A McLaren sentiu o golpe e preparou a parada de Pato O'Ward na volta 191, porém perdeu tempo na troca do pneu dianteiro direito. Na volta seguinte quem parou foi Oliver Askew, e com um trabalho impecável da equipe, Askew voltou na frente da O'Ward. Sato ficou mais algumas voltas na pista e depois de parar na volta 195, voltou atrás das duas McLarens.

A partir daí a prova se dividiu em dois grupos diferentes. Os que estavam na liderança com pneus meio gastos e com combustível pra ir até o final. E os carros da McLaren com pneus novos e muito apetite para escalar o pelotão. Enquanto as McLarens se lançavam na guerra, Pagenaud perdeu tempo com retardatários e viu Rossi e Dixon se aproximarem.

Na volta 219, Rossi traseirou forte e perdeu a posição para Dixon. Além disso, Rossi prejudicou muito os pneus que já estavam gastos e o resultado foi que seu final de prova virou um sacrifício para manter o carro na pista de forma competitiva. Askew e O'Ward vinham engolindo os carros da frente e descontando volta perdida junto com Ryan Hunter-Reay que também parou perto da janela das McLarens.

O esforço de Askew valeu a pena e ele passou como um foguete por Rossi e garantiu o terceiro lugar. Mais a frente, Dixon tentou jogar uma pressão em cima de Pagenaud e animou o final de prova. Pato O'Ward demorou para conseguir descontar a volta em cima de Pagenaud mas depois que conseguiu também andou com um foguete e alcançou Newgarden e Rossi no final da prova para conseguir terminar em quarto. E no duelo entre Pagenaud e Dixon quem levou a melhor foi o francês da Penske, que havia largado em último, mas terminou em primeiro e venceu a prova.

Classificação da corrida


Classificação do campeonato


Classificação de motores

A rodada dupla da Fórmula Indy em Iowa continua neste sábado com a corrida 2 a partir das 21h45. Até a próxima!

Saiba mais!


Nenhum comentário:

Postar um comentário