Especiais do Indy Center

Com 3 vitórias em Iowa, Josef Newgarden se igualou a Ryan Hunter-Reay como maior vencedor da pista
Foto: Joe Skibinski/INDYCAR
O fim de semana de Iowa foi mesmo da Penske! Vitória na sexta-feira com Simon Pagenaud e no sábado com Josef Newgarden! Na corrida 2, Newgarden saiu na pole e soube ditar o ritmo até a bandeira quadricualda. O restante do top 5 contou com Will Power em segundo, Graham Rahal em terceiro, Simon Pagenaud em quarto e Scott Dixon em quinto.

Outro destaque da prova foi o bom rendimento de Tony Kanaan. O brasileiro andou no grupo dos 10 primeiros por quase toda a corrida mas caiu para décimo primeiro nas voltas finais. Ao ser entrevistado depois da prova, o piloto baiano lançou no ar a possibilidade de continuar na categoria em 2021.

No campeonato a vantagem de Dixon começa a diminuir e a Penske já aparece no retrovisor do neozelandês, depois de colocar três carros entre os cinco primeiros na corrida 2. A prova foi bem menos agitada que a primeira etapa da rodada dupla. O desgaste dos pneus prevaleceu novamente na definição das estratégias e na parte final o esgotamento físico depois de uma rodada dupla ficou evidente.

Batalha de estratégias


A largada foi tranquila e o começo de prova teve pouca movimentação. Na parte diurna da prova o desgaste de pneus estava altíssimo. O primeiro a sofrer muito foi Colton Herta que além do desgaste também estava com um acerto muito problemático.

A primeira janela de paradas começou na volta 48 e foi se estendendo até a volta 60. Scott Dixon, Graham Rahal e Alex Palou tentaram esticar o stint ainda mais e foram até a volta 62 e 63 para fazerem suas primeiras paradas. Na pista, Pato O'Ward conseguiu ultrapassar Will Power na volta 67. Após essa ultrapassagem a falta de ação se manteve por mais algumas voltas.

As coisas começaram a embaralhar na corrida quando Takuma Sato fez a segunda parada na volta 80. Conor Daly também atacou Will Power e os dois travaram uma grande batalha durante algumas voltas até Daly conseguir a ultrapassagem na volta 88. Newgarden vacilou um pouco na negociação com retardatários e O'Ward começou a se aproximar.

Mais atrás, Simon Pagenaud pressionou Ryan Hunter-Reay mas acabou levando uma bela ultrapassagem de Oliver Askew e o jovem piloto da McLaren não demorou muito para ultrapassar Hunter-Reay também. A equipe de Hunter-Reay percebeu uma queda de rendimento e ele parou na volta 100. Na pista, Power tentou revidar em cima de Conor Daly e conseguiu ultrapassar na volta 103.

Erros no pit


Não demorou muito e Power foi chamado na volta 107 para fazer sua parada. A Penske resolveu chamar Newgarden também na volta seguinte e a McLaren marcou a estratégia e colocou O'Ward no pit também. Enquanto isso, Rinus VeeKay deixou apagar o motor do carro e perdeu muito tempo parado no pit. Conor Daly, Oliver Askew e Graham Rahal tentaram esticar o stint por mais algumas voltas e só pararam na volta 112.

O veterano Ed Carpenter bateu na volta 114 e causou a primeira bandeira amarela. Alguns pilotos que estavam em estratégia diferente aproveitaram a amarela para fazer a parada na volta 120. Quem já tinha muitas voltas de atraso parou na volta 122 e exclusivamente os carros da Ganassi fizeram o pit stop na volta 123.

A relargada aconteceu na volta 127. Algumas voltas depois, os dois carros da McLaren se estranharam na pista e chegaram a tocar roda com roda. Newgarden conseguiu se manter na liderança porém com uma vantagem modesta. Percebendo a dificuldade de Newgarden em se livrar de retardatários, O'Ward chegou próximo de Newgarden. Contudo, Newgarden se desvencilhou de Herta e O'Ward não teve o mesmo êxito. Logo, o carro #1 voltou a abrir vantagem na liderança.

A McLaren tentou ganhar a posição na estratégia e antecipou a parada de O'Ward para a volta 172. E foi durante a parada que a corrida do mexicano foi por água abaixo porque ele deixou o motor do carro apagar na saída do pit. A consequência da trapalhada foi largar a disputa pela vitória e ficar uma volta atrás do líder.
A rodada de Hunter-Reay levou Michael Andretti ao desespero nos boxes da equipe
Dixon parou novamente na volta 175 e Rahal parou na volta 176. Os dois se deram bem pois logo em seguida Hunter-Reay parou também e na saída do pit patinou com pneus frios, bateu no muro interno e quebrou a suspensão do carro. A direção de prova acionou a segunda bandeira amarela da corrida. O detalhe curioso é que Hunter-Reay já havia patinado de maneira praticamente idêntica na corrida 1 no mesmo ponto e só não causou uma bandeira amarela porque conseguiu evitar a batida.

Cansaço extremo


Novamente aconteceram paradas na volta 190. A relargada veio na volta 193 e houve pouca movimentação. Pagenaud tentou atacar Rahal em busca do terceiro lugar, mas com o desgaste dos pneus, ninguém conseguiu mudar muito o ritmo da corrida. Alguns pilotos tentaram dar uma última cartada fazendo uma parada próximo da volta 215 porém a aposta deu errado e eles perderam volta ou não conseguiram recuperar o suficiente para melhorar de posição.

O trecho final da corrida foi extremamente monótono devido ao intenso desgaste físico da rodada dupla. O único carro que conseguia conservar os pneus era o do líder da prova, Josef Newgarden. Dessa maneira não houve nenhuma ameaça ao bicampeão e ele faturou a segunda vitória da equipe Penske na temporada. Depois da bandeira quadriculada, foi visível a grande exaustão no semblante de todos os pilotos. Talvez seja uma boa ideia repensar a realização de rodadas duplas ou diminuir a duração das provas um pouco mais.

Classificação da corrida



Classificação do campeonato



Classificação de motores


Depois dessa maratona entre o final de junho e meados de julho, as equipes terão uma folga grande para poder repôr as energias e planejar as próximas etapas. Portanto, a Fórmula Indy retorna somente em 9 de agosto na etapa de Mid-Ohio. Até a próxima!

Saiba mais!


Nenhum comentário:

Postar um comentário