Especiais do Indy Center

Equipe Ganassi conquista a sua quarta vitória consecutiva na temporada 2020
Foto: Chris Owens/INDYCAR
Mais uma vitória da equipe Ganassi na temporada 2020 da Fórmula Indy! Dessa vez não foi com o veterano Scott Dixon, mas com o jovem talento, Felix Rosenqvist! Além disso, foi o quarto triunfo da Honda também. O top 10 da prova também contou com Pato O'Ward em segundo, Alexander Rossi em terceiro, Marcus Ericsson em quarto, Colton Herta em quinto, Santino Ferrucci em sexto, Alex Palou em sétimo, Takuma Sato em oitavo, Josef Newgarden em nono e Charlie Kimbal em décimo.

Os destaques da corrida foram as performances consistentes de Rossi e Herta pela Andretti, as boas corridas de Ericsson pela Ganassi e de Ferrucci pela Dale Coyne e o surpreendente top 10 alcançado pela Foyt de Kimball. Por outro lado, o líder do campeonato, Scott Dixon, teve somente um discreto 12° lugar. E Will Power foi o grande vilão da prova com um festival de trapalhadas no começo da corrida.

A corrida 2 não foi melhor e nem pior que a primeira prova da rodada dupla. No entanto, a prova de hoje foi muito mais disputada na estratégia e só teve briga real pela vitória nas últimas voltas. Apesar disso, houve boa movimentação no pelotão intermediário e o padrão mediano de Road America foi mantido.

Cenas lamentáveis de Will Power


A largada da corrida foi recheada de confusões. No fundo do grid, Conor Daly atingiu Oliver Askew e danificou a sua asa dianteira. Askew seguiu na corrida mas teve problemas de desempenho até o final da prova. Enquanto isso, no pelotão intermediário, Will Power jogou Ryan Hunter-Reay na área de escape da curva 1 e logo na sequência, deu um toque na lateral de Graham Rahal. O carro #15 escapou levemente e na volta para o traçado foi atingido por Felix Rosenqvist que jogou novamente Rahal para fora. Dessa vez o final não foi nada feliz e Rahal acertou o muro. Bandeira amarela!

A direção de prova investigou os incidentes e acidentes da largada e começou a aplicar muitas punições. Conor Daly, Will Power e Santino Ferrucci foram punidos por causar colisões e foram obrigados a relargar no final do pelotão. Ainda durante a amarela, começaram as estratégias alternativas. Power danificou sua asa dianteira e fez uma parada. Enquanto isso, o muro que amorteceu a batida de Rahal precisou passar por reparos dos fiscais de pista. Tanto Rahal quanto Hunter-Reay não deixaram de fazer enormes críticas ao comportamento de Power na primeira volta.

Will Power parecia estar mais louco que o padre do balão no começo da corrida
Após a relargada, Power passou reto na curva 13, atingiu placas de publicidade, fez um enorme rally na grama, cruzou perigosamente a pista e só parou na área de escape do lado oposto e com o motor apagado. Por sorte Power não foi atingido e conseguiu voltar para a corrida porém precisou fazer outra parada para trocar novamente a asa dianteira do carro.

A relargada aconteceu na volta 8. Dessa vez os pilotos resolveram praticar automobilismo e não brincar de bate-bate. Alex Palou e Colton Herta entraram lado a lado na reta principal e Palou conseguiu a ultrapassagem que valeu a vice liderança da prova. Conor Daly foi punido mais uma vez por ter feito uma parada com o pit fechado e pagou um drive thru.

Erros da Ganassi


Josef Newgarden começou a perder rendimento e foi ultrapassado por Charlie Kimball e Marco Andretti. A Penske não perdeu tempo e chamou Newgarden para os pits. Assim foi inaugurada a primeira janela de paradas da corrida. Scott Dixon e Colton Herta fizeram parada na volta 13, mas Dixon perdeu muito tempo na troca do pneu traseiro direito e voltou atrás de Herta.

O líder da prova, Pato O'Ward fez seu pit stop na volta 15 e voltou na frente do vice líder, Alex Palou, que tinha parado na volta anterior. Felix Rosenqvist e Marcus Ericsson esticaram o stint até a volta 17 e partiram para uma estratégia levemente diferente. Na pista, Alexander Rossi ultrapassou Dixon.

O rendimento de Dixon foi muito ruim até a segunda janela, então a equipe chamou o neozelandês para a segunda parada na volta 25 e fez ajustes no carro. Ericsson atacou Herta em busca da quinta posição. Newgarden continuava com um carro ruim também e parou na volta 26. Herta não aguentou a pressão de Ericsson e parou na volta 27. No pelotão da frente, Rosenqvist pulou para segundo e começou a tirar uma grande diferença para o líder da corrida.

Os ajustes no carro de Dixon surtiram efeito e ele ultrapassou Herta. Rossi fez sua parada e voltou na frente de Ferrucci e Power que estavam em estratégia diferente tentando fazer uma parada a menos. O líder da prova, Pato O'Ward, que já havia ultrapassado Ferrucci e Power, fez sua segunda parada na volta 29. Os dois carros da Ganassi que estavam em melhor situação na corrida, Rosenqvist e Ericsson, voltaram a fazer o pit stop uma volta depois dos líderes.

A parada de Rosenqvist foi ruim por conta de dificuldades na troca da roda dianteira esquerda e portanto ele voltou bem atrás de O'Ward mas ainda em segundo. O sueco não perdeu o foco e voltou a lutar para tirar a diferença na pista. Power vinha com muitas dificuldades e lutando para se manter na estratégia diferente. Ferrucci conseguiu ultrapassar Power e ficou em posição relativamente boa enquanto Power começou a despencar consideravelmente no pelotão.

Volta por cima de Felix Rosenqvist


Ferrucci e Power pararam pela última vez na volta 40. O restante das equipes logo percebeu a pegadinha da estratégia diferente e acompanharam a estratégia dos dois pilotos. O último ciclo de paradas aconteceu e mais uma vez Dixon teve problemas. Na saída do pit, o líder do campeonato deixou o carro apagar e terminou de afundar sua corrida.

Um grande grupo de pilotos parou na volta 41 mas o líder da prova entrou no pit somente na volta 42 e colocou pneus macios e usados. Os dois carros da Ganassi novamente pararam na volta seguinte e Rosenqvist colocou pneu duro e novo. A luta de Rosenqvist permanecia e a diferença era de 5 segundos para O'Ward.

Felix Rosenqvist e Pato O'Ward seguiram lado a lado por 3 curvas no momento mais decisivo da prova
Por conta do desgaste dos pneus muito acentuado, O'Ward começou a virar voltas mais de meio segundo mais lento que Rosenqvist. A gota d'água foi quando o retardatário, Conor Daly, conseguiu ultrapassar O'Ward na volta 52 e Rosenqvist cortou a diferença para menos de 2 segundos. Os dois líderes da prova gastaram muito push to pass e Rosenqvist encostou na volta 53. 

Na volta 54, em uma manobra ousada, Rosenqvist conseguiu a ultrapassagem que garantiu a liderança. O'Ward tentou reagir mas não tinha mais pneus em bom estado e viu o sueco da Ganassi abrir boa margem e vencer pela primeira vez na Indy.

Classificação da corrida


Classificação do campeonato


Classificação de motores

A temporada 2020 continua a todo vapor e a Fórmula Indy terá no próximo final de semana outra rodada dupla. Dessa vez noturna e no oval curto de Iowa. Até a próxima!

Saiba mais!


Um comentário:

  1. Corridão, Elkhart Lake é um dos melhores circuitos da temporada. Foi uma ótima corrida.

    ResponderExcluir