Especiais do Indy Center

Bandsports e DAZN transmitem a corrida ao vivo na tarde de sábado
Foto: Joe Skibinski/INDYCAR
Olá fãs Indyanistas! Depois de mais um mês sem IndyCar na pista finalmente as atividades serão retomadas. E não tem lugar melhor para isso acontecer afinal a Indy estará correndo no templo sagrado do automobilismo mundial, o Indianapolis Motor Speedway (IMS)! De quebra, um mega evento em conjunto com a NASCAR será realizado! Portanto teremos a Indy e a NASCAR Xfinity Series correndo no circuito misto e a NASCAR Cup Series no traçado oval. A nota triste fica por conta da ausência das categorias do Road to Indy neste ano mas que voltarão em 2021. #IndyGP

Informações da pista


A história do circuito misto de Indianapolis começou em 1998 quando a Fórmula 1 chegou a um acordo com a direção do IMS para realizar um Grande Prêmio no maior palco do automobilismo. O evento durou de 2000 até 2007, sendo que em 2000, com 200 mil pessoas no autódromo, a Fórmula 1 registrou um dos maiores públicos de sua história em um Grande Prêmio.

A pista foi construída então no sentido anti-horário (oposto ao do traçado oval) com 13 curvas e 4,192 km de extensão, sendo que a curva 1 do traçado misto ficava um pouco antes da curva 4 do traçado oval e a última curva do traçado misto era a curva 1 do traçado oval no sentido oposto.

A curva 13 se tornou bastante temida pelos pilotos da Fórmula 1 quando Ralf Schumacher sofreu um forte acidente em 2004 e repetiu a dose em 2005 no mesmo lugar. Para a sorte de Ralf, aquela curva recebeu soft wall em 2002, junto com todo o traçado oval, e amorteceu bastante o impacto nos dois acidentes. No entanto, o acidente de 2005 gerou um enorme e controverso escândalo, conhecido informalmente como IndyGate em que somente 6 carros participaram da prova, e que manchou a imagem da categoria nos Estados Unidos por muitos anos.

O IndyGate causou uma verdadeira ira raivosa dos fãs nas arquibancadas e comprometeu seriamente os lucros para 2006 e 2007, portanto, a direção da Fórmula 1 e do IMS chegaram a um acordo de cancelamento do GP dos Estados Unidos e para 2008 a pista foi reformada para receber a MotoGP. A segunda versão da pista nasceu com o traçado novamente em sentido horário e com a criação de uma chicane para evitar a inclinação da parte oval de forma que ficasse garantida a segurança das motos. O tamanho também foi ligeiramente reduzido de 4,192 para 4,078 km de extensão.

Em 2014, a própria IndyCar decidiu realizar um Grande Prêmio no circuito misto para preencher uma data que estava livre no calendário desde a saída da etapa de São Paulo e que, ao mesmo tempo, otimizaria o mês de maio para as equipes que estavam reclamando dos custos de um mês inteiro somente para treinos. Foi feita então mais uma reforma e surgiram o terceiro e o quarto layout do traçado misto.

O terceiro layout é o que conhecemos atualmente no GP de Indianapolis da Fórmula Indy com 13 curvas, 3,925 km de extensão e uma nova chicane antes da antiga curva 13, que é diferente da anterior que era usada pela MotoGP e foi feita a pedido da Firestone para que não se repitam escândalos como o do IndyGate de 2005. Além disso, o terceiro layout também recebeu o Sportscar Championship da IMSA em uma etapa de 2h e 45 minutos em 2014, porém foi substituído a partir de 2015 pela pista de Lime Rock Park. 

E o quarto layout é uma nova variação para motos a partir do terceiro layout com uma adição de 3 curvas que aumentou o traçado para 16 curvas e com 4,218 km de extensão. Infelizmente, a corrida da MotoGP foi encerrada em 2015 por causa do baixo público e o patrocinador moveu seu investimento para uma etapa na Áustria em detrimento dos Estados Unidos. Mas que foi novamente certificado em 2019 pela FIM para que competições de MotoAmerica Championship aconteçam no IMS.

Porém, o GP da Fórmula Indy segue no calendário rendendo bons lucros para o IMS e apesar da pandemia de Covid-19 alterar a data de maio para julho, a prova foi mantida no calendário e ainda terá uma segunda edição em outubro em um evento em parceria com o Intercontinetal GT Challenge que fará uma corrida de Endurance com 8h de duração. Além disso, em 2020 será a estréia de uma categoria da NASCAR no circuito misto. E o novo dono da pista, Mr. Roger Penske, deseja trazer novamente a Fórmula 1 e outros campeonatos de Endurance para o circuito misto do IMS. 

A Indy Lights disputou provas no traçado antigo do IMS entre 2005 e 2007, com uma vitória do infame Marco Andretti na primeira edição e com rodada dupla na edição de 2007. Só que o Road to Indy completo só passou a correr no traçado misto a partir de 2014 no mesmo evento que a IndyCar promove, e sempre com rodadas duplas para todas as categorias, exceto em 2015 quando a Pro Mazda precisou realizar uma rodada tripla para repor a prova da Lousiana que foi cancelada.

Os únicos vencedores do GP da Fórmula Indy são Simon Pagenaud (2014, 2016 e 2019) e Will Power (2015, 2017 e 2018). Power também é o dono do recorde oficial da pista com o tempo de 1:07.7044s que foi registrado na classificação da corrida de 2017. Curiosamente, o traçado atual com a chicane da curva 13 tem um tempo de volta menor que o antigo que não possuía a chicane. O recorde do antigo traçado pertence a Rubens Barrichello com 1:09.454s nos treinos do GP de 2004, porém não é registrado oficialmente, apesar disso, no treino classificatório do mesmo GP, novamente o brasileiro registrou o recorde oficial da pista com 1:10.223s.

Confira o Spotter Guide para o GP de Indianapolis:


Horários e previsão do tempo

A previsão do tempo aponta tempo firme na sexta-feira e no domingo e um céu parcialmente nublado no sábado. As chances de chuva são consideradas pequenas e a umidade mediana.

A transmissão exclusiva dos treinos acontece no serviço de streamind DAZN, com narração em inglês, porém a corrida será transmitida em português também na DAZN pela internet e na tv por assinatura no canal Bandsports. Todas as atividades da Indy terão live timing e transmissão ao vivo da IndyCar Radio Network no Race Control e no app IndyCar Mobile.

Confira a programação do fim de semana, já com todos os horários convertidos para o fuso de Brasília!

Sexta-feira (03 de julho de 2020)

12h30 - 14h00: Treino Livre #1 da NTT DATA INDYCAR SERIES - Transmissão no serviço de streaming DAZN para o Brasil, e no app NBC Sports Gold para os Estados Unidos

17h30 - 19h00: Treino Classificatório da NTT DATA INDYCAR SERIES - Transmissão no serviço de streaming DAZN para o Brasil, no canal NBCSN e no app NBC Sports Gold para os Estados Unidos

Sábado (04 de julho de 2020)

10h00 - 10h30: Warmup da NTT DATA INDYCAR SERIES - Transmissão no serviço de streaming DAZN para o Brasil, e no app NBC Sports Gold para os Estados Unidos

12h30 - 13h00: Pré corrida - Transmissão ao vivo no serviço de streaming DAZN e no canal por assinatura Bandsports para o Brasil e no canal NBC para os Estados Unidos

13h00 - 15h00:  GMR GRAND PRIX (80 VOLTAS) - Transmissão ao vivo no serviço de streaming DAZN e no canal por assinatura Bandsports para o Brasil e no canal NBC para os Estados Unidos

Um comentário: