John Andretti, ex-piloto da Indy e da Nascar, morreu nesta quinta (30) aos 56 anos, após uma longa batalha contra um câncer colorretal. Há cerca de três anos, John revelou que estava batalhando contra um câncer de quarto estágio, mas após um tratamento agressivo com quimioterapia, os médicos haviam declarado que ele estava livre. No entanto, o câncer voltou no outono de 2018 ainda mais agressivo, sendo uma batalha mais dura para o piloto. 


Filho do irmão gêmeo de Mario Andretti, Aldo, John começou a sua trajetória em corridas de monopostos, mas mantendo a inclinação de seu tio Mario por outras modalidades. Andretti ganhou a etapa do IMSA em Watkins Glen em 1986 a bordo de uma March-BMW M12 ao lado de Davy Jones, e a vitória nas 24 Horas de Daytona de 1989 dividindo o Miller High Life Porsche 962 com Bob Wollek e Derek Bell. John também ganhou corridas da USAC Sprint Car na terra e chegou até as semifinais do Campeonato Nacional de Arrancada (NHRA).

Nos carros da Indy, Andretti ganhou a sua única corrida da CART no circuito de Surfers Paradise, em 1991, pilotando um carro da equipe de Jim Hall. Apesar de alguns Top 10 para a AJ Foyt Racing nas 500 Milhas de Indianápolis, Andretti passou o final da década de 1990 e início dos anos 2000 focado na Nascar, obtendo vitórias na Pepsi 400 de 1997 em Daytona e na Goody's 500 em Martinsville em 1999.

Em 2007, ele fez seu retorno às 500 Milhas com a Panther Racing e seu talento parecia inalterado, como foi provado em outras corridas com a Roth Racing, Dreyer & Reinbold Racing e a própria Andretti Autosport. 

John Andretti sempre será lembrado como uma pessoa boa, educada, muito bem humorada e como um piloto muito versátil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário