Post Page Advertisement [Top]

Como ficaria o campeonato de 2018 com os sistemas de outros campeonatos? Dixon ainda seria campeão coma pontuação menor da Fórmula 1, com o idolatrado sistema da CART ou com o confuso play off da NASCAR?

Vejamos!

Fórmula 1ndyCar Series

Muitos falam que a pontuação da IndyCar, oriunda da IRL,é muito grande, confuso e desnecessário, usando a pontuação da fórmula 1 como exemplo. No entanto, depois do grande aumento da pontuação da Fórmula 1 nos últimos anos, as mudanças com relação a Indy ficaram bem menores e se tornaram iguais nos pilotos que fazem mais pontos.


Por isso, quando transpomos a pontuação da categoria euro-asiática para a categoria americana de monopostos, os cinco primeiros se mantém. Dixon permanece campeão, com Rossi em segundo, seguido de Power, Hunter-Reay e Newgarden.

As diferenças começam a aparecer mais conforme descemos mais na pontuação, por dois motivos principais. Primeiramente, as diferenças de pontuação passam a ficar bem menores, assim qualquer flutuação de pontuação ou mesmo de posição já pode interferir na posição final; e também há uma grande diferença entre a F1 e a Indy, pois a pontuação da categoria americana se estende a todos os pilotos, enquanto na categoria euro-asiática a pontuação cessa na décima posição.

Por esse motivo Robert Wickens, que bateu forte em Pocono e não disputou as três corridas seguintes, manteria seu sexto lugar no campeonato com a pontuação da F1, evitando de cair fora do top 10 como na pontuação da Indy. vemos também vários pilotos que competiram apenas algumas provas, como Ed Carpenter, Hélio Castroneves e outro, subindo cada vez mais com resultados one hit wonder, perante a pilotos que não conseguiram grandes resultados mas foram constantes durante todo o campeonato, como Marco Andretti, os dois pilotos da Foyt e Max Chilton:


O Vitor também fez a simulação para equipes, motores e Nations Cup aos moldes antigos da CART, está tudo aqui (só não coloquei no post porque já está imenso por causa da próxima pontuação).

PPG IndyCART Series

Também há a simulação da pontuação da CART, feita por Vitor Souza, dono da VSM Mods (te amo, me poupou trabalho) e, por incrível que pareça, pelos mesmos motivos vistos no item anterior, o resultado obtido é quase o mesmo que visto pela pontuação da Fórmula 1.

As diferenças ficam por contas da troca de posição entre Marco Andretti e Spencer Pigot, e trocas de posição entre o 22º e o 30º. O resto é exatamente igual, ou seja, Dixon continuaria campeão


Verizon IndyNASCAR Cup Series

Playoffs, pontos de Playoff, pontos de estágio, corridas divididas em três (ou quarto); bem-vindos ao sistema de classificação da NASCAR.

Pois bem, primeiramente, dividi o campeonato separando as dez últimas provas para o Playoff, ou seja; de St. Pete até Detroit 1 é a temporada regular, de Detroit 2 a Road America o Round of 16, de Iowa até Mid-Ohio o Round of 12, de Pocono a Portland o Round of 8 e o Final 4 em Sonoma. Daí dividi todas as provas em três, uma primeira parte com aproximadamente 30% e outra parte com aproximadamente 60% da distância total prevista para a prova), assisti os replays de todas as provas e computei quem eram os dez primeiros em cada uma dessas partes, para computar os pontos de estágios (10 pontos para o primeiro naquele estágio, 9 pontos para o segundo, 8 para o terceiro e assim indo até 1 ponto para o décimo colocado). 

Depois disso computei os pontos do final da prova no sistema da NASCAR, além de dar os pontos de playoff que são levados para a próxima fase, e assim por diante.
Ryan Hunter-Reay passou perto do segundo título.
Primeiramente, a temporada regular. Dixon, Rossi, Bourdais, Newgarden e Power vencem provas e avançam diretamente. Daí restam onze vagas para apenas quinze pilotos, já que o #19 e o #20 não entram nos playoffs por serem divididos entre dois pilotos na temporada regular. No fim, Gabby Chaves, Matheus Leist e Max Chilton e Charlie Kimball não se classificam, pois nem conseguiram fazer um top 10 na temporada regular (ou seja, até Detroit 1).

No Round of 16, Dixon, Hunter Reay e Newgarden vencem e passam diretamente para a próxima fase. Dentre os outros treze pilotos, Zach Veach não consegue um Top 10 sequer, enquanto Tony Kanaan, Spencer Pigot e Marco Andretti marcam apenas um Top 10 nas três provas seguintes e são eliminados, com James Hinchcliffe se salvando por pouco.

Round of 12, disputado entre Iowa e Mid-Ohio, teve Dixon, Rossi e Hinchcliffe (!!) vencendo e passando direto para o Round of 8. Power, Newgarden, Pagenaud e Wickens conseguem ir bem e passam com folga, enquanto Ryan Hunter-Reay tem de brigar ponto a ponto com Takuma Sato e, com os pontos de playoff conseguidos nos estágios anteriores, deixa o japonês para trás e vai para a fase seguinte. Sato, junto com Sebastien Bourdais, Graham Rahal e Ed Jones.

Agora a última fase de três corridas antes da final. Rossi e Power vencem e passam direto para a final (Sato vence em Portland mas ele já tinha sido eliminado). Robert Wickens sofre forte acidente e, não conseguindo andar as duas últimas provas da fase, acaba sendo eliminado. James Hinchcliffe não consegue um top 10 sequer e Hunter-Reay abandona duas provas seguidas nessa fase e ambos caem fora da final. Dixon consegue dois pódios nessas três provas e consegue pontos suficientes para passar para a final com Rossi e Power, com a última vaga sendo disputada entre Newgarden e Pagenaud. Newgarden tinha vinte pontos de playoff a mais que Pagenaud, o que fez com que, mesmo os dois tendo resultados parecidos nas três provas dessa fase, Newgarden passasse sobre o francês e ficando com a vaga final.

O engraçado é que, se Hunter-Reay não tivesse abandonado duas vezes no Round of 8 e conseguisse resultados decentes em Pocono e Gateway ele seria campeão, pois ele venceu a prova final em Sonoma. O segundo em Sonoma foi Scott Dixon, e ele sim seria o campeão. Novamente. Com Power vice e Newgarden terceiro. Veja o quadro:


E... Bem, é isso. Pode trocar o sistema de pontuação, fazer mata-mata, chorar ou espernear. Dixon é campeão de qualquer jeito.

Se você curtiu ou chegou até aqui no texto, talvez se interesse pelos esquemas nas pontuações de 2017, ou talvez a de 2015 (não acho a de 2016, nem lembro se fiz), ou até mesmo a de 2014, que é a mais interessante, tem até Ryan Briscoe sendo campeão.

Um comentário:

  1. Parabéns pessoal pelo trabalho brilhante q vcs fazem,mto top o site, sempre acompanho aqui (;

    ResponderExcluir

Bottom Ad [Post Page]