Post Page Advertisement [Top]

A equipe de Michael Andretti já é a equipe com mais carros no grid, mas eles querem expandir ainda mais seu domínio com parcerias com a McLaren e a Harding, por enquanto.

A pré temporada para 2019 da Fórmula Indy já começou e, o que parecia tempos bem chatos durante os longos seis meses sem provas da Indy começaram a ficar animados. Vamos aos pontos que haviam sido acertados até o momento entre as grandes equipes:
  • A Penske, com os acertos com Verizon, e Menards durando até o ano que vem no mínimo, tanto Newgarden como Power e Pagenaud estaria já garantidos para 2019;
  • A Ganassi, apensar de algum sofrimento financeiro esse ano, a PNC Back, a DC Solar e a NTT Data parecem afim de continuar na Indy em 2019, garantindo os lugares de Jones e Dixon;
  • A Andretti se mostrava a equipe mais sólida da categoria, com seus quatro pilotos com contratos longos: Veach e Rossi até 2020, Hunter-Reay até 2022 e Marco Andretti até ele desistir de correr ou morrer.
Isso tudo em conjunto com as declarações de Gil de Ferran após a ida para Detroit, onde a McLaren parecia perdida, conversando com Honda E Chevrolet e "sem confirmar mas sem negar" intenções de entrar na Indy, fizeram esfriar toda a animação com a entrada da McLaren na Indy.

Mas isso tudo mudou nas últimas semanas. 
Scott Dixon é um dos envolvidos nas várias negociações.
Nesse meio tempo, Zak Brown falou com a mídia em Mid-Ohio, declarando que a McLaren entrar na Indy "não é mais uma questão de 'se', e mais uma questão de 'quando'" e avançaram muito as negociações com A Andretti Autosport em particular, planejando até mesmo um teste privado com Fernando Alonso dirigindo um carro da possível McLaren-Andretti

E não é só com Alonso que a McLaren estaria negociando, pois Scott Dixon confirmou que teve conversas com a McLaren. Essas conversas incluiriam um salário bem gordo de 8 milhões de dólares por ano para o neozelandês, quase o triplo que Dixon ganha atualmente.

Assim, apesar de Michael Andretti dizer que 'o acerto deve ser feito o mais rápido possível coma McLaren, de preferência entre julho e agosto', nada está concreto ainda. Essa é uma oportunidade da equipe expandir sua esquadra para cinco carros no ano que vem.

E não para por aí.

Colton Herta testando na Harding, ou Andretti Jr.
A Andretti Autosport, além de uma equipe na Indy principal, tem uma equipe com quatro carros na Indy Lights. Dentre os quatro pilotos, existem dois que estão prontos para subir para a Indy principal: Colton Herta, filho de Bryan Herta, conseguiu um terceiro lugar no ano passado e está na vice-liderança do campeonato desse ano e, além disso, tem o apoio de George Steinbrenner IV em sua carreira; e também PAto O'Ward, que está bem próximo de se tornar campeão e foi campeão do WEC pela classe PC. 

Dois grandes jovens pilotos, mas sem ter por onde entrar na Andretti. a não ser que a equipe de Michael Andretti tenha planos de se associar a uma das equipes do grid para fazer uma espécie de "equipe júnior na Indy". 

E é exatamente isso que a equipe vem tentando com a Harding Racing. A equipe de Mike Harding e Brian Barnhart é uma das três novatas no grid, e não possui grandes orçamentos com seu carro único. como a equipe também planeja uma expansão para dois carros para o ano que vem, uma parceria com uma das três grandes da Indy não faria mal. Colton Herta até testou pela pequena equipe da Indy, tornando os boatos em negociações concretas para um ou até dois carros.

E você achando que duas equipes rivais do grid não poderiam se unir e ainda chamar uma terceira equipe para alinhar uma carro na temporada completa da Indy. É o que pode acontecer com Colton Herta na Andretti-Harding-Steinbrenner.

E, para finalizar os boatos, existe um bizarro: a Ed Carpenter Racing estaria negociando com Marco Andretti para uma temporada completa no ano que vem. Sei que parece meio que loucura Marco Andretti sair da equipe do pai, mas seu recente "rebaixamento" para o carro #98 da Andretti-Herta, sendo a primeira vez que ele não correu na equipe 100% do pai em toda sua carreira, pode ser um indício de saída do príncipe Andretti do reino onde ele é herdeiro.
Pode sobrar até para Marco Andretti e Ed Carpenter.
Michael Andretti tem as decisões chave, pois tanto a McLaren quanto Colton Herta negociam extra-oficialmente com a Rahal-Letterman-Lanigan Racing, que já se mostrou afim de alinhar um terceiro carro no grid. Podemos ter a Andretti expandindo seu reino para gigantescos SETE CARROS em temporada completa, num império que se expandiria desde Dixon e Alonso até dois filhos de donos da equipe (Andretti e Herta), e contratos que envolvem dezenas de milhões de dólares.

Mas, novamente, isso tudo é especulação. Aguardemos os próximos capítulos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]