Especiais do Indy Center

Dixon conquistou sua primeira vitória no traçado misto de Indianapolis
Foto: Joe Skibinski/INDYCAR
Não teve pra ninguém mais uma vez! O pentacampeão Scott Dixon, com mais uma performance dominante, venceu a segunda corrida da temporada. Beneficiado pela única bandeira amarela da corrida, a estratégia do neozelandês colocou o veterano piloto na liderança e ele não deu chance para os adversários. Em uma prova recheada de estratégias diferentes, a segunda etapa se mostrou mais movimentada e disputada que a primeira corrida no Texas porém o vencedor permaneceu o mesmo.

Além de Dixon, o top 5 contou com Graham Rahal em segundo, Simon Pagenaud, com grande prova de recuperação, em terceiro, Colton Herta em quarto e o novato Rinus VeeKay em quinto. Destaque também para Santino Ferrucci e Takuma Sato que fizeram provas discretas e com carros ruins e mesmo assim conseguiram terminar dentro do top 10.

Mais uma vez o calor da pista e do aeroscreen dificultaram muito a vida dos pilotos e dos pneus na corrida. A bandeira amarela da corrida foi causada por Oliver Askew que rodou na curva 14 e bateu no muro. Além de Askew, o azar tomou conta de Alexander Rossi e Spencer Pigot que abandonaram com problemas no carro. E ainda houveram duas rodadas de Marco Andretti, um passeio de Zach Veach na grama e muitos problemas nos pits de vários pilotos.

Largada tranquila


A largada foi limpa e Will Power se mandou na frente sem ser incomodado. No meio do pelotão, enquanto Dixon ganhava algumas posições, por outro lado, Askew perdia outras e despencava de quinto para oitavo. Com alguma dificuldade, Simon Pagenaud tentava escalar no final do grid. As alternâncias de estratégia começaram logo na volta 6 com VeeKay fazendo sua primeira parada. Lá na frente, Jack Harvey começou a se aproximar de Power e cortou a diferença de um segundo para sete décimos, no entanto, o australiano logo reagiu e voltou a abrir vantagem para quase um segundo e meio.

Logo de cara as equipes abriram o leque de alternativas e vários pilotos foram parando em várias voltas diferentes. Destaque para o pit stop de Ryan Hunter-Reay na volta 16, que teve uma pistola pneumática sendo atropelada. Os líderes começaram a fazer suas paradas na volta 18. Quem se deu bem na janela foi Josef Newgarden que conseguiu voltar na frente de Harvey. Os companheiros de McLaren, Pato O'Ward e Oliver Askew, se estranharam na pista mas não houve acidente.

Apesar do desgaste alto em função do calor, alguns pilotos conseguiram resistir até a volta 25 antes de fazer o pit stop. Foi o caso de Graham Rahal, que conseguiu manter a quarta posição que havia largado mas ficando bem mais tempo na pista. E até a metade da prova a estratégia de Rahal parecia ser a melhor porque provavelmente ele faria apenas duas paradas enquanto a concorrência estava indo para três paradas.

Amarela embaralha corrida


No grupo que parou junto com Rahal estava seu companheiro de equipe, Spencer Pigot, que teve problemas na troca da roda dianteira esquerda. Outro que também teve problemas foi Ferrucci pois atropelou uma pistola pneumática e caiu para penúltimo na corrida.

Na volta 34, Dixon fez sua segunda parada e algumas voltas depois aconteceu o lance que mudou totalmente a dinâmica da corrida. Marcus Ericsson fez sua parada na volta 35 e teve problemas com a mangueira de combustível. Logo depois aconteceu o lance que mudou toda a corrida. Askew perdeu a traseira na curva 14, bateu no muro e causou a bandeira amarela.
Depois de uma boa estreia no Texas, Askew não conseguiu repetir um bom trabalho
Todos os líderes fizeram paradas na volta 39, menos Rahal e Pigot, que continuaram na pista mirando a estratégia de duas paradas. A relargada aconteceu na volta 41 com Rahal na liderança. No momento da relargada, Rossi teve problemas no motor e atrapalhou a relargada de mais da metade do pelotão. Quem se deu bem foi Pigot que conseguiu uma bela ultrapassagem sobre Conor Daly na curva 1. Rossi foi para os pits tentar dar um reset no carro, mas não obteve sucesso e abandonou a disputa.

Recuperação de Pagenaud


A corrida ficou mais disputada na segunda metade. Dixon ultrapassou Pigot na volta 47 e Rahal na volta 48 para assumir a liderança. Mais atrás, Power ultrapassou Ferruci porém Newgarden e Harvey não conseguiram acompanhar o australiano.

Pagenaud continuava tentando progredir e se recuperar na corrida depois de largar em vigésimo. Na volta 55, ele mudou de estratégia e parou junto com o líder, Graham Rahal. Na sequência, Dixon também fez sua parada e voltou para a pista com uma larga vantagem sobre Rahal.

Will Power deixou o motor apagar na saída do pit e comprometeu ainda mais a sua prova que já tinha sido prejudicada pela bandeira amarela. Um grande grupo de carros parou na volta 57 e outros pilotos também foram fazendo pit stops. O caminho foi se abrindo para Simon Pagenaud que conseguiu subir até a quarta posição.

Vitória tranquila de Dixon


A reta final da corrida guardou duas rodadas pitorescas de Marco Andretti e um passeio de Zach Veach na grama. Pagenaud conseguiu ultrapassar Pigot. Não demorou muito para que Pigot anunciar no rádio que estava com problemas no motor e abandonar a corrida. Pagenaud ainda tentou ganhar a vice liderança de Rahal na esperança consumar uma dobradinha da Penske mas falhou nas suas tentativas e terminou em terceiro. 

Dixon venceu com facilidade e com uma vantagem de quase 20 segundos para Rahal! Uma vitória desse tamanho precisava de uma festa a altura e o carro de Dixon subiu ao pódio literalmente de elevador!

Classificação da Corrida

Classificação do campeonato


A Fórmula Indy volta na semana que vem com uma rodada dupla em Road América! Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário