Especiais do Indy Center

Além disso a entidade que sanciona, organiza e comanda a fórmula Indy também revisou algumas regras de limites de pista, push to pass e saída dos pits.

Comumente todo o fim de ano a INDYCAR solta algumas resoluções e mudanças de regras. Ela costuma soltar todas as regras aos poucos, por isso esperamos para fazer um compilado logo no começo do ano quando ACHAMOS que ela não mudará ou adicionará/retirará mais nenhuma regra ou resolução.
Essas batidas de largada sempre bugavam a direção de prova da Indy.
A principal regra, pelo que podemos apurar, tem a ver com a bandeira amarela. Até o ano passado, após algum incidente em pista, a direção de prova revisava manualmente tanto a posição de cada carro na pista quanto se alguém passou por fora da pista para ganhar vantagem e afins. A partir de 2020, a revisão de posição de cada carro na pista será via telemetria, reservando a revisão por vídeo apenas para casos de necessárias punições ou reposicionamento de carros na pista.

A INDYCAR ainda fazia toda a checagem via vídeo por não confiar completamente na telemetria. Apesar de possuir quase vinte pontos de telemetria, muitas vezes esta pode falhar e, além disso, são apenas números que deveriam ser interpretados e essa interpretação, muitas vezes, pode demorar mais do que uma revisão em vídeo. 

No entanto, esses casos são mais raros, e essa medida é mais focada a ser bandeiras amarelas mais rápidas com revisões mais rápidas. A medida foca evitar problemas como o do início da prova em Pocono, onde a revisão manual de posições de pista demorou cerca de dez voltas.


A segunda regra tem a ver com a bandeira vermelha. A Indy, a partir da temporada desse ano, adotará o regime de parque fechado, onde nenhum carro pode ser modificado ou consertado enquanto a atividade estiver em regime de bandeira vermelha. Anteriormente, as equipes podem consertar e modificar seus carros durante a bandeira vermelha, dentro de certos limites dentro das regras da INDYCAR, e agora não podem tocar no carro (a não ser para transporte) durante a bandeira vermelha.

A principal alteração que essa regra causa é a impossibilidade de troca de pneus e reabastecimento durante a bandeira vermelha. Em alguns casos eram permintidos reabastecer e trocar pneus, alterando estratégias e mudando corridas, e isso não mais acontecerá por via de regra na categoria. Além disso, também tinha a situação de que um carro batido durante a bandeira vermelha poderia ser consertado, ganhar tempo e, quem sabe, alguns pontos. Agora essa correria será bem mais lenta, pois o conserto dos carros só poderá começar depois de encerrado o regime de bandeira vermelha.


Outro ponto importante diz respeito a saída dos pits em ovais. A partir da temporada desse ano, será aplicada a retomada de velocidade em dois estágios, onde o limite de velocidade nos pit lane continuará de 60 mph e, em toda a extensão de saída até o final dos pits, na curva 2, terá limite de 90 mph, onde haverá uma segunda linha de saída onde os pilotos poderão acelerar livremente.

A mudança visa a segurança na hora de sair dos pits e, no caso do Texas Motor Speedway, a INDYCAR visa aplicar também nas entradas, para tentar evitar as batidas que vem acontecendo na entrada dos pits do oval de 1,5 milha. Lembrando também que o Indianápolis Motor Speedway não tem essa regra aplicada, pois, tecnincamente, as pistas que ficam entre os pits nas curvas 3 e 4 e nas curvas 1 e 2 não são consideradas tecnicamente saída de pits e não tem essa regra aplicada.

Essa regra pode ter implicações interessantes sobre a estratégia das equipes e na melhora da corrida, assim como vimos no Texas esse ano. Com essa regra, uma parada demora ainda mais tempo, fazendo com que seja cada vez menos vantajoso parar nos pits, fazendo com que os carros fiquem mais tempo na pista e que haja cada vez mais diferença de performance e mais ultrapassagens.


As duas últimas modificações são menores: a INDYCAR deixará de atualizar em tempo real a utilização do push to pass, atualizando apenas quando um carro completar a volta; isso é importante porque as equipes se guiam pelo timing e scoring para saber quando alguém está acionando os 40 cavalos a mais de potência e, com esse dado sendo atualizado apenas volta a volta, não dá pra saber realmente quando alguém aciona em tempo real, apenas o quanto lhe resta quando completa uma volta. A INDYCAR também anunciou que cuidará mais dos limites de pista em áreas mais sensíveis, principalmente na curva 19 do COTA, onde grandes saídas de pista poderão resultar em perdas de voltas durante a qualificação ou punições durante a prova.


E... Bem, é isso. É apenas um patch para correção de alguns bugs e a adição de uma ou duas ações no campeonato para tentar melhorá-lo. Dará certo? Só o futuro dirá!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário