Post Page Advertisement [Top]

Nos últimos dias, o número de casos do Covid-19 aumentariam exponencialmente nos Estados Unidos, tornando o país com o maior número de infectados no planeta. Com isso, todas as atividades do esporte a motor no país estão paralisadas, incluindo a Indy, que confirmou nesta semana o adiamento das 500 Milhas através da divulgação de um calendário revisado.


O novo calendário coloca a rodada dupla nas ruas de Detroit para ser a primeira prova de 2020, sendo realizada em 30 e 31 de maio. Apesar do crescimento do número de casos do coronavírus no país, o CEO da Penske Entertainment e da Indy, Mark Miles, afirmou que, com oito semanas até o evento, ele continua "otimista" que a corrida será realizada.

"Estamos falando com todos os promotores regularmente e, em Detroit, eles estão otimistas... nós estamos otimistas. Se, no final das contas não acontecer, já estamos considerando outras datas que podem funcionar", disse Miles. "Vamos fazer todo o possível, eles também, para manter a data, que, com sorte, será no final de maio".

A pista de St. Pete é tradicionalmente a etapa inaugural da Indy, mas foi cancelada logo após os treinos livres das categorias de apoio. Porém, foi divulgado que a edição de 2020 pode ter sido apenas adiada, já que surgiu a possibilidade de St. Pete sediar o final da temporada. Caso St. Pete seja recolocada no calendário, isso significaria que apenas três das 17 etapas originais de 2020 não seriam realizadas - Barber Motorsports Park, Long Beach e Circuito das Américas.

Confira o calendário revisado da Indy para 2020:



Fonte: IndyCar/Motorsport

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]