Post Page Advertisement [Top]

De desaparecido no campeonato para contender ao título em uma semana. Bem vindo de volta Pagenaud
O domingo que definiria a última fila e a pole da Indy 500 começou com um treino livre. O primeiro grupo era dos pilotos do Bump Day mas com apenas 20 minutos tudo foi paralisado porque começou a chover. A chuva se arrastou pela tarde e cancelou o treino livre dos pilotos do Fast 9. Os resultados foram irrelevantes até para o pessoal do Bump Day porque a chuva estragou a programação de todo mundo.

Confira como foi o resultado do treino livre 6: 


Bump Day adiado por quatro horas e meia

Chuva intensa e o vento muito forte quase cancelaram os treinos decisivos de hoje no IMS
A chuva que caía de forma insistente e com grande volume no IMS foi adiando e cancelado a programação do dia. Primeiramente a Indy tentou remarcar o treino livre do Fast 9 para 13h45 e o Bump Day para 14h30. Depois o treino livre do Fast 9 foi sumariamente cancelado e o Bump Day ficou com horário indefinido. A partir de então começou uma longa espera e a chuva só cessou por volta de 16h. Após a tempestade começou a correria para a secagem do piso. A Indy só tinha reservado os Air Titans para o fim de semana da corrida e hoje usou apenas os Jet Dryers e os carros com aquele secador gigante que parece uma turbina.

Durante a chuva, um burburinho começou a circular no paddock e se espalhou pela internet. Pessoas no autódromo afirmava terem visto Zak Brown visitando a garagem da Andretti onde teria comprado um conjunto de amortecedores diferente e supostamente melhor do que a Carlin dispunha em estoque. Os rumores afirmavam que um mecânico da Andretti foi visto na garagem de Alonso instalando o amortecedor no carro do espanhol. Ainda corria também o boato de que o mesmo Zak Brown visitou a garagem da Ed Carpenter Racing atrás de um setup pré definido para o carro de Alonso. E o terceiro e último boato foi o de que quem teria passado um setup para a McLaren era a Penske. Esse último rumor foi muito forte porque a transmissão do sábado já havia mostrado Zak Brown falando com Roger Penske e Tim Cindric.

Então por volta de 17h30 começou o Bump Day onde todos teriam apenas uma chance de se classificar para a Indy 500. O primeiro a entrar na pista foi James Hinchcliffe e o canadense foi bem em sua tentativa. Na primeira volta ele fez 227.948 mph. Na segunda volta fez 227.722 mph. Na terceira volta fez 227.450 mph e na última volta fez 227.054 mph. A média final de Hinchcliffe foi de 227.543 mph e o canadense conquistou uma média segura para se classificar.

Na sequência foi a vez de Max Chilton. Na primeira volta ele fez apenas 227.061 mph e foi eliminado. A segunda volta foi 225.620 mph. A terceira foi 226.009 mph e a quarta ficou em 226.085 mph. A média final foi de 226.192 mph. 
Aqui vemos a equipe completa que proporcionou o maior fracasso da história da McLaren e da carreira de Fernando Alonso
Logo após Chilton quem entrou foi o seu companheiro Fernando Alonso. O espanhol mostrou um bom conjunto provavelmente por causa dos incrementos ajustes que ele fez durante a pausa da chuva. Na primeira volta Alonso fez 227.777 mph. Na segunda volta fez 227.278 mph. Na terceira volta fez 227.137 mph e na última volta fez 227.221 mph. A média final foi de 227.353 mph. Com esse resultado Alonso parecia se classificar com uma boa margem de segurança pois as condições da pista não estavam muito favoráveis para alguém fazer uma média melhor.

Juncos Racing faz o impossível virar realidade

Então o quarto carro foi o de Sage Karam e ele fez logo de cara 228.501 mph. Teve gente depois no Fast 9 que fez voltas piores que essa primeira do #24 da Dreyer Reinbold. Na segunda volta ele fez 227.764 mph. Na terceira fez 227.499 mph e na quarta fez 227.201 mph. A média ficou em 227.740 mph e Karam se garantiu em trigésimo primeiro.

Depois de Karam foi a vez do mexicano Pato O'Ward. Na primeira volta ele fez 227. 325 mph. Na segunda ele fez 227.267 mph e ali já estava sacramentada a sua eliminação. Na terceira volta ele fez 226.855 mph e no final fez 226.922 mph. A média ficou em 227.092 mph.

Chegou finalmente a vez do último carro do Bump Day. Foi a hora de Kyle Kaiser entrar na pista. Na primeira volta ele fez 227.720 mph. Um pouco menos que a primeira volta de Alonso. Na segunda volta ele fez 227.420 mph. Melhor que Alonso e já estava se garantindo. Na terceira volta a média foi de 227.239 mph e na última volta ficou em 227.109 mph. A média das 4 voltas foi de 227.372 mph. KYLE KAISER BUMPEOU FERNANDO ALONSO DAS 500 MILHAS DE INDIANAPOLIS!
Kyle Kaiser e toda a equipe Juncos celebram a enorme façanha do time no Bump Day
A festa de Ricardo Juncos foi muito emocionante e mostrou o quanto um trabalho duro e desgastante pode valer a pena no final das conta. A recompensa do esforço homérico que toda a equipe fez veio com essa classificação mais do que merecida. Imediatamente a repercussão tomou conta de todas as redes sociais na internet e o roteiro digno de cinema se encerrou com um final feliz para a Juncos e melancólico e azedo para a Carlin e para a McLaren.

Simon Pagenaud conquista a pole da Indy 500

Imediatamente após o Bump Day já começou o Pole Day por causa de uma nova tempestade que se aproximava de Inidanapolis. Não houve nenhuma cerimônia após a rápida festa da Juncos. Mas a repercussão seguia intensa nas redes sociais e de certa forma o Bump Day deste ano acabou esvaziando o Pole Day.

O primeiro do Fast 9 foi Sebastien Bourdais que fez uma média de 228.621 mph nas suas quatro voltas. Depois dele veio Alexander Rossi que fez 228.247 mph. O terceiro a classificar foi Ed Carpenter com uma boa média de 229.889 mph e segurou a pole por um bom tempo. O quarto foi Ed Jones que fez 229.826 mph e tudo indicava que teríamos uma dominação da equipe Carpenter na primeira fila.

O novato Colton Herta foi o quinto a se classificar e teve um desempenho razoável mas que ao mesmo tempo foi o melhor da Andretti se considerarmos que a Harding é praticamente uma equipe satélite da Andretti esse ano. O sexto piloto a entrar na pista foi Simon Pagenaud. Aqui vale a pena destacar as médias de todas as voltas não apenas pela pole mas pela consistência e pelo fôlego sobrenatural dos pneus na terceira volta.

Na primeira volta Pagenaud fez 230.119 mph. Na segunda volta fez 230.011 mph. Na terceira volta o carro de Pagenaud conseguiu render melhor que na segunda e praticamente igual a primeira volta, algo que nenhum piloto havia sido capaz de fazer em todo o fim de semana e a média foi de 230.110 mph. E por fim na última volta ele fez 229.729 mph. O que resultou numa média de 229.992 mph. A melhor média do dia!

Restou a Pagenaud torcer para Will Power e Spencer Pigot fracassarem em suas tentativas. Power não foi nada bem e ficou somente com 228.645 mph enquanto que Pigot foi bem e assumiu a terceira posição com 229.826 mph. Se não fosse a pole de Pagenaud,  a primeira fila seria inteiramente da Ed Carpenter Racing.

Confira como ficou o grid das 500 milhas de Indianapolis:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]