Post Page Advertisement [Top]

O campeão da USF2000 do ano retrasado se recupera e é o mais rápido em mais um dia onde a Andretti Autosport brilhou quase sozinha.
O carro mai rápido do dia estava fazendo cosplay de Batman.
A principal categoria de acesso à Indy dividiu pista com ela nos dois dias de treinos programado no circuito das Américas, localizado em Austin, Texas. Esse circuito entrou para o calendário de ambas as categorias como a segunda etapa do campeonato e, nessa terça e quarta-feira (12 e 13 de fevereiro) foram realizadas várias sessões de testes. No caso da Lights, duas na terça e uma na quarta, somando quase cinco horas de treinos livres para a categoria (eram para ser duas sessões na quarta também, mas a última sessão foi cancelada por causa de adiamentos dos treinos da Indy).

Nesse treino oficial tivemos a presença de dez carros no grid da Lights. Não é pouco, levando em consideração que nos últimos dois treinos oficiais que houveram na categoria (no misto do IMS em outubro e em Homstead-Miami em dezembro do ano passado) tivemos menos carros treinando. 
A Carlin voltou, mas tinha que ser com o Dalton Kellett?
Isso porque a Carlin ressuscitou. A equipe de Trevor Carlin, que foi campeã em 2016 com Ed Jones e não disputou a última temporada da Lights tendo como justificativa a sua participação na Indy principal, ressurgiu das cinzas com dois carros nos treinos oficiais em COTA. Seus dois carros foram pilotados pelo estreante Logan Sargeant e pelo mais-do-que experiente Dalton Kellett. Sargeant foi campeão mundial de kart em 2016, quando subiu aos monopostos trilhando o caminho para a Fórmula 1 mas vem encontrando grandes dificuldades de  sair da Fórmula Renault, o que está fazendo o jovem de 18 anos olhar com bons olhos o Road to Indy; enquanto Dalton Kellett já é velho de casa com quase 60 corridas de Lights e mais de 100 em todo o Road to Indy, sem conseguir uma vitória sequer. A dupla ficou nas três últimas posições a maior parte do treino, já que a retomada é sempre complicada contra as outras equipes que já vinham treinando desde o fim da temporada, mas aguardamos ansiosamente a volta da Carlin para termos um grid com mais de um dígito na categoria.

Atrás deles, apenas o brasileiro Lucas Kohl. Quando escrevi sobre a confirmação da estreia do brasileiro, falei que ela ia ser bem difícil, mas esse treino oficial estava de parabéns. Durante todo o primeiro dia o gaúcho encontrou problemas no #5, começando a virar voltas rápidas apenas a uma hora do fim do segundo treino. Assim, ele perdeu quase um dia todo de ajustes e, enquanto os outros pilotos já tinham um dia inteiro de ajustes, é como se Kohl estivesse no primeiro dia. Para completar, o último treino da Lights foi cancelado, pois estava muito frio no fim do dia e, assim, Kohl terminou o dia no último lugar, com pouco mais da metade do número de voltas dadas dosoutros competidores. Vida de equipe média não é fácil e, para se ter uma ideia, o companheiro de Lucas Kohl, o canadense Zachary Claman de Melo, que correu meia temporada do ano passado na Indy e teve de voltar a Lights por não ter grandes oportunidades na categoria principal, não teve problemas com seu carro e terminou os treinos com o quinto tempo, quase um segundo atrás do melhor tempo.
O carro de Lucas Kohl passou quase todo o primeiro dia assim. Sim, essa é a qualidade de uma imagem oficial da Indy Lights.
E lá na frente tivemos o quarteto da Andretti Autosport. Como é bem típico, a esquadra de Michael Andretti com com dois pilotos mais rápidos, que tendem a brigar por vitória e títulos, e uma dupla que fica mais atrás, brigando com Juncos e Belardi e quem mais estiver no meio do grid. E, caso se  siga o padrão visto nos treinos oficiais, o confirmado Oliver Askew e o quase confirmado Julien Falchero fazem parte da dupla da frente, enquanto os confirmados Ryan Norman e Robert Megennis tendem a ficar mais para trás. 

Bem, isso é mais ou menos e tende a mudar com o tempo. Logo de cara, o argentino e futuro ex-piloto da GP3 Julien Falchero seguiu na boa maré dos treinos da Lights e fez o melhor tempo pela manhã, quando o americano campeão da USF2000 de 2017 tomou a ponta nos dois treinos seguinte e relegou Falchero ao segundo lugar. Ambos estreiam na categoria e surgem como principais favoritos ao título, pelo menos até o momento. 

Mais atrás mas não mais atrás assim veio Ryan Norman. Parece muito falar que por estar a um décimo ou dois de Askew e Falchero, mas quando se tem o mesmo equipamento e em uma categoria com carros iguais e rápidos a recuperação sempre fica mais difícil, pois você tende a largar mais atrás (ser mais lento com o mesmo equipamento dificulta correr atrás do prejuízo nesse ponto) e permanecer atrás (carros iguais e eficientes tendem a ter sua ultrapassagem dificultada). No entanto, a grande vantagem de Norman sobre os outros é a sua experiência com as pistas, adquirida apos duas temporadas na Lights. Isso faz grande diferença, pois ele já correu (em alguns casos duas vezes) nas pistas onde os seus companheiros ou não correram ou correram com carros menores, da Pro Mazda ou USF2000.
VeeKay e Juncos ainda podem surpreender na briga pelo título.
E, no fim, pode pintar um azarão na briga pelo títuloda Lights, o holandês Rinus VeeKay. O piloto de 19 anos é bom e estreará na Juncos Racing. A equipe de Ricardo Juncos vem ainda em má fase desde que começou a se aventurar na Indy principal, fazendo seu orçamento e recursos para a equipe na Lights diminuir. Com problemas de orçamento, a equipe se diminuiu par aapenas um carro, normalmente alinhado para o campeão da Pro Mazda (já que três dos últimos cinco campenatos da Pro Mazda foram vencidos por pilotos da Juncos), e teve dificuldades para finalizar as duas últimas temporadas; mas esse não deve ser o caso esse ano, pois VeeKay possui um bocado de dinheiro de patrocínio pessoal. Tendo o piloto perfeito para as eras atuais do automobilismo (um piloto bastante bom e com um bocado de dinheiro de patrocinio), a Juncos começou com dificuldades no primeiro dia, mas conseguiu o terceiro melhor tempo na sessão mais rápida do dia, se infiltrando no meio da esquadra da Andretti. Isso pode acontecer mais vezes durante o ano, e VeeKay pode ser um dos pilotos a brigar pelo título.
Os resultados do treino oficial.
E, bem... É isso por enquanto. O próximo treino oficial acontece uma semana antes da primeira etapa, com os pilotos testando no circuito misto de Homstead-Miami de novo. Até lá!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]