Post Page Advertisement [Top]

Duas equipes do meio do grid da ex-Pro Mazda já definiram seus pilotos para a temporada 2019 da categoria, e nada sem muita novidade ou susto. Danial Frost e Parker Locke entram na Exclusive Autosport e Kory Enders e Moisés de la Vara entram na DEForce Racing.
Duas equipes de meio de grid já completamente acertadas para 2019.

Vamos relatar todas essas contratações, uma equipe por vez:

Exclusive Autosport faz duas contratações para esse ano na Indy Pro 2000: Danial Frost e Parker Locke.

A equipe canadense, depois de um 2018 bem positivo na Pro Mazda, quando conseguiu o segundo lugar do campeonato com Parker Thompson, aumentar o número de carros para correr a temporada desse ano, aumentando de dois para três. Como já havia contratado o veterano Nikita Lastochkin no começo de dezembro, completou sua esquadra ainda no início de fevereiro.

Danial Frost não tão feliz.
Primeiro, a equipe acertou com o cingapuriano Danial Frost. O piloto de 17 anos começou sua carreira na Ásia mas, no início do ano passado, entrando no meio da temporada da USF2000 pela própria Exclusive Autosport. Nas sete provas que disputou, chegou cinco vezes entre os dez primeiros, e conseguiu até um Top 5 ao chegar em quarto lugar na prova de Toronto 2. 

No entanto, mesmo com apenas sete provas nos EUA no currículo, Frost já encara a subida à Indy Pro 2000, continuando na Exclusive Autosport. Parece um movimento prematuro, mas, caso Frost tenha maturidade para seguir em frente, será um ótimo passo para sua carreira, já que ele é bem jovem, tem um aporte financeiro suficiente para se manter na categoria por mais de uma temporada para adaptação. 

Não é o Ken Humano, é o Parker Locke.
E, quatro dias depois de anunciar Frost, a equipe anunciou seu terceiro e último piloto na temporada 2019 da Indy Pro 2000, e ele é o americano Parker Locke. 

Ele tem também 17 anos e começou sua carreira nos monopostos pela via que, muitos dizem, ser a mais complicada para se começar: a F4 USA. Locke esteve nela em seus dois primeiros anos de sua carreira nos monopostos e, com cerca de 40 provas no currículo, não conquistou um ponto sequer na categoria. Isso muito porque Parker Locke sempre correu em equipes mais de meio de grid da F4 USA, equipes que, tipicamente, tem muitos carros e pouco dinheiro para tantos carros(a primeira equipe que ele correu, a Jay Howard Driver Development, cheogu a alinhar sete carros na última etapa do ano). Daí, no fim do ano ele mudou para a F3 Americas, onde encontrou o exato oposto: um grid com seis carros, ele fez as últimas três etapas do ano, onde conseguiu três terceiros lugares em oito corridas.

O fato é que, apesar da impressão bem negativa gerada pelo tempo na F4 USA, dá pra classificar Parker Locke como uma das incógnitas da Indy Pro 2000 esse ano: caso va bem, será uma surpresa positiva, caso não, não será exatamente surpreendente. 

E... Bem, essa é a Exclusive Autosport para 2019 na Indy Pro 2000, as fichas maiores, creio eu, serão apostadas em Frost, que mostrou bons resultados e parece ser um piloto melhor apesar da pouca experiência nos EUA. Tem a incógnita de Parker Locke, mas resultados ruins anteriores jogam contra o texano e de Nikita Lastochkin todos sabem o que esperar: um belo de um meio de grid, como em 2017 e 2018.

DEForce Racing contrata sua dupla de pilotos para a temporada 2019 da Indy Pro 2000: Kory Enders e Moisés de la Vara

O reencontro.
No dia 22 de janeiro veio um anúncio meio raro de se ver no Road to Indy em geral: a DEForce Racing anunciou todos os seus pilotos que correrão na Indy Pro 2000 ao mesmo tempo. Os dois pilotos que correrão nos carros azuis e brancos com alguns detalhes em laranja serão o americano Kory Enders e o mexicano Moisés de la Vara.

E o anúncio desses dois pilotos em específico tornou o anúncio ainda mais estranho. Tanto Kory Enders quanto Moisés de la Vara já correram pela própria DEForce, mas em outra categoria. Em 2017, a DEForce estreava na USF2000, justamente com esses pilotos: Kory Enders e Moisés de la Vara.

Na ocasião, a equipe teve alguns problemas (bem como praticamente todas as equipes no grid da USF2000 daquele ano), onde estavam previstos para serem três carros na categoria, mas acabou conseguindo alinhar apenas dois. Kory Enders foi um dos poucos pilotos que conseguiu correr todas as provas daquele ano, terminando o campeonato em nono entre dez pilotos que fizeram a temporada toda, conseguindo alguns Top 10 durante o ano mas sempre com resultados bastante irregulares. Moisés de la Vara não era muito diferente, brigando sempre no pelotão intermediário por um Top 10, até que sua carreira nos EUA foi interrompida após o piloto ser banido das corridas do mundo da Indy por uma ano, por não passar duas vezes no exame antidopping.

Os dois se separaram, mas se mantiveram em contato com a DEForce. De la Vara voltou para o méxico e disputou a F4 NACAM, onde foi campeão em um grid com meia dúzia de carros e também cheio de tretas; exatamente dois dias depois de seu prazo de punição expirar, ele voltou para a DEForce, para correr na Pro Mazda e, mas cinco provas que teve, conseguiu arrancar um Top 5 em Gateway. Enquanto isso, Kory Enders correu a temporada completa da USF2000, além de outras provas em que a DEForce precisava do apoio de um piloto mais experiente, como na F4 USA, F4 NACAM (não pela DEForce, mas pela Martiga, que é como se fosse uma filial mexicana da equipe) e até mesmo na Pro Mazda, onde correu a etapa de Barber; na USF2000 terminou o ano no oiavo lugar, conseguindo até mesmo um pódio na etapa final em Portland.

Agora os dois estão novamente reunidos, agora na Pro Mazda. Ambos tem em mãos uma equipe mais estruturada do que o visto em 2017, e tem condições de alcançar resultados melhores, se deixarem a falta de regularidade para trás.



No entanto, as duas equipes não tem tanta pretensão de várias vitórias e brigas pelo título da Indy Pro 2000. Ambas são bem jovens na categoria e ainda trilham o caminho para se firmar no cenário do Road to Indy e, para isso, primeiramente, estão fazendo o certo: planejando com semanas de antecedência e acertando todos os seus pontos bem antes dos testes de fim de pré-temporada começarem. Assim, apesar de ambas não contratarem pilotos prodígios para correrem em seus carros, podem fazer um trabalho sólido e trazer bons resultados.

A temporada começa daqui três semanas, dia 8 ou 9 de março, em St. Petersburg. Até lá!!



Pilotos confirmados na Indy Pro 2000:

Abel Motorsports

Exclusive Autosport

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]