Post Page Advertisement [Top]

Pela primeira vez desde a corrida de Indianápolis voltamos a ter 24 carros no grid da fórmula Indy em Mid-Ohio, mas em um grid com razoáveis diferenças do visto no começo da temporada. 
A próxima etapa da temporada 2018 da fórmula Indy em Mid-Ohio marca, além de um fim de vários fins de semana quase seguidos de atividades da categoria, a volta do número maior de carros visto na categoria esse ano. A décima terceira etapa do campeonato voltará a ter 24 carros no grid, voltando aos mesmos patamares do início do campeonato, quando tivemos 24 carros no grid da abertura em St. Pete, da terceira etapa em Long Beach e da quinta etapa no misto de Indianápolis.

Isso acontece porque, apesar dos incentivos da categoria, temos alguns carros de algumas equipes que não conseguem fazer a temporada toda. Como resultado, seja por busca de dinheiro ou por objetivos mais específicos, apenas 19 dos 24 carros permaneceram com os mesmos pilotos desde a primeira temporada. Vejamos caso a caso:

O carro #20 da Ed Carpenter Racing permanece com o estreante Jordan King, que faz todas as corridas do carro #20 nos mistos, já que nos ovais o carro é pilotado por um dos sócios majoritários da equipe, Ed Carpenter.
O carro #60 volta as pistas depois de dois meses sem aparecer.
O carro #60 da Meyer Shank Racing with Schmist Peterson, pilotado o ano todo por Jack Harvey, voltará a aparecer no grid em Mid-Ohio. O carro da grande parceria entre Michael Shank, Jim Meyer e Schmidt-Peterson está previsto para correr também nas duas últimas etapas do ano, em Portland e em Sonoma, e tem planos para conseguir fazer a temporada toda no ano que vem.

O carro #32 da Juncos Racing será pilotado esse fim de semana pelo austríaco René Binder. O carro único da Juncos nessa temporada de 2018 não correu uma das provas até o momento e já teve três pilotos: o próprio Binder (St. Pete, Alabama, a rodada dupla de Detroit, Toronto e a próxima em Mid-Ohio), o campeão da Indy Lights do ano passado Kyle Kaiser (Phoenix, Long Beach, Indy misto e Indy 500) e Alfons Celis Jr. (Road America). A Juncos tem sérios problemas financeiros e, caso não encontre mais pilotos afim de correr na Indy por sua equipe, não aparecerá mais no grid da categoria esse ano.

O carro #88 da Harding Racing esteve previsto para correr a temporada toda com Gabby Chaves, entretanto, tanto em Toronto quanto em Mid-Ohio, a equipe de Mike Harding teve e terá o americano Conor Daly ao volante. A equipe alega que é parte de um estudo para avaliar o desempenho do americano para um provável segundo carro que a Harding planeja ter em 2019 e que pretende continuar com Chaves, mas esse é um movimento estranhíssimo. Talvez o fato da equipe não ter conseguido resultado maior que o 14º posto em onze corridas com Chaves, junto com o abandono em Iowa e o fato do colombiano não trazer patrocínios faz com que ele seja preterido veladamente da equipe em troca de Daly. Mas isso só o tempo dirá.

E, para finalizar, o carro #19 da Dale Coyne Racing terá troca de piloto nesse fim de semana. O brasileiro Pietro Fittipaldi voltará a bordo do segundo carro da Dale Coyne, tendo em vista que sua recuperação de uma batida nas Seis Horas de Spa foi um sucesso, o brasileiro voltará a pilotar na fórmula Indy depois de quatro meses. O carro #19 da Dale Coyne estava previsto para ser dividido entre  Fittipaldi e o canadense Zachary Claman de Melo, onde o  brasileiro pilotaria sete provas e o canadenses pilotaria dez. Com o acidente de Fittipaldi e a recuperação dele sendo estimada para terminar próximo a etapa de Mid-Ohio, a Dale Coyne adiantou as corridas de Claman de Melo e acertou com Santino Ferrucci para cobrir as duas corridas que não fechavam a conta. Assim, é previsto que Pietro Fittipaldi termine a temporada do carro #19, que são as que estão previstas em contrato.

Mas sabe como é, Dale Coyne, tudo pode acontecer lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]