Post Page Advertisement [Top]

Os dois pilotos que venceram em Barber venceram novamente em Indianápolis Misto, mas os vários altos e baixos dos principais postulantes ao título deixa o campeonato nebuloso. Carlos Cunha Filho está no meio disso, garantindo um pódio e um top 5.
O terceiro fim de semana da temporada 2018 da Pro Mazda, com uma rodada dupla. Houveram duas baixas com relação as duas primeiras etapas do ano, já que a DEForce Racing decidiu não continuar na categoria para continuar seus planos de expansão na USF2000, na F4 e na F3 USA, enquanto Rafael Martins não correu esse fim de semana por motivos misteriosos.

Dos catorze carros da categoria, os carros que mais se destacaram desde os treinos foram os mesmos que estão liderando o campeonato: os três carros da Juncos (Carlos Cunha, Rinys VeeKay e Robert Megennis), Harisson Scott (RP Motorsports), David Malukas (BN Racing), Parker Thompson (Exclusive Autosport) e Oliver Askew (Cape Motorsports). 

Entretanto, o piloto que foi melhor e conseguiu as duas poles foi Askew. O atual campeão da USF2000 não havia engrenado na Pro Mazda, tendo como melhor resultado um quinto lugar em St. Pete 1 e estava sendo ofuscado pelos outros vários estreantes. Mas o americano se acertou com o templo da velocidade e conseguiu as poles da corrida do sábado e do domingo a primeira pole, principalmente, veio com maior facilidade. Parker Thompson teve problemas, pois seu motor estourou na sexta-feira e ele conseguiu dar apenas uma volta na sexta-feira. Carlos Cunha também teve certa dificuldade em achar o ajuste ideal para os treinos, e acabou ficando com o sexto e o sétimo tempos, entre o pelotão dos favoritos e o pelotão intermediário.

Royal Purple Synthetic Oil Grand Prix of Indianapolis Supporting the Lupus Foundation of America Race 1

A largada, como é típico da Pro Mazda, foi meio conturbada. Askew, que estava na ponta, freou muito tarde e foi para a grama, caindo para o sétimo lugar e deixando espaço para que Rinus VeeKay assumisse a liderança da prova. Carlos Cunha largou muito bem e já estava em segundo na saída da curva dois, a frente de Harisson Scott, David Malukas e Robert Megennis.

A corrida seguiu morna e, quando os pilotos começavam a se separar em pelotões, na volta seis (de vinte e cinco totais), veio a primeira bandeira amarela com Robert Megennis parado na pista com problemas elétricos.

A relargada veio duas voltas depois. VeeKay, a exemplo de Askew na largada, passou reto na curva um e foi para a grama, deixando Carlos Cunha na liderança. Na reta oposta, David Malukas colou no brasileiro e colocou por dentro, fazendo a ultrapassagem, mas fez isso usando parte da área de escape e foi punido com um drive through e caindo para 11º, deixando Cunha novamente na liderança, seguido por Scott, Askew, Parker Thompson e Rinus VeeKay caindo para quinto.

Enquanto Cunha abria uma pequena distância, o pelotão de trás se acirrava pelo segundo lugar. Parker Thompson, que se recuperava do treino classificatório ruim, e Oliver Askew, que se recuperava da largada ruim, tentaram de todas as maneiras atacar o inglês campeão da EuroFormula Open. 

Entretanto, eles não obtiveram sucesso e decidiram melhorar o ritmo para os três alcançarem Cunha. Scott, Askew e Thompson alcançaram o brasileiro na volta 14, e o piloto da RP Motorsports pressionou. A ultrapassagem veio na abertura da volta 17, quando Scott colocou por fora na reta principal e conseguiu ultrapassar Cunha disputando a freada da curva um. Exatamente ao mesmo tempo, na mesma reta, o motor de Andres Gutierrez explodia, e a bandeira amarela era acionada. A ultrapassagem de Scott foi considerada feita antes da bandeira amarela, e o inglês subiu para a liderança, deixando Cunha em segundo.

Faltando cinco voltas para o fim, foi dada a bandeira verde. Scott largou bem e permaneceu na ponta, enquanto Askew ultrapassava Cunha colocando por dentro e ganhando a freada na curva um. Mais atrás, Rinus VeeKay ultrapassava Thompson quando o canadense perdeu a tampa de seu motor em plena reta principal. O canadense foi autorizado a continuar na prova sem recolocar a tampa do motor, e começou a andar um segundo mais lento, mas se manteve no quinto lugar. Na reta oposta, VeeKay continuou com o bom momento e colocou por fora de Carlos Cunha e conseguiu o terceiro lugar.

Os quatro primeiros (Scott, Askew, VeeKay e Cunha) formaram um grupo compacto que disputavam a prova nas últimas quatro voltas mas, apesar das ameaças de Askew e da pressão de Cunha sobre VeeKay, nada mudou. Harrison Scott vence! Seguido de Oliver Askew, Rinus VeeKay e Carlos Cunha!
Resultados e pódio.

Royal Purple Synthetic Oil Grand Prix of Indianapolis Supporting the Lupus Foundation of America Race 2


Mais uma corrida, mais uma largada confusa. Uma vez que a bandeira verde foi dada, apenas doze dos catorze pilotos conseguiram passar pelas curvas 1 e 2 de forma limpa. Dois dos três pilotos da Juncos Racing não o fizeram: Rinus VeeKay passou pela linha de largada/chegada depois de ter decolar e aterrissar de frente, com danos no bico e na asa dianteira. Isso porque ele passou por cima do carro de seu companheiro de equipe, Robert Megennis, que danificou sua asa traseira e, sem downforce, acabou parando na caixa de brita. Ele conseguiu voltar e ir aos boxes, a asa traseira foi trocada, mas a Juncos demorou uma volta em bandeira amarela para tal feito. David Malukas também foi envolvido no toque, e foi aos boxes para trocar partes do carro e voltou no fim do grid.

Entre os sobreviventes não houveram mudanças de posições, Askew e Cunha largaram muito bem, com o americano mantendo a ponta com razoável vantagem e com Cunha assumindo o segundo lugar depois de partir do sétimo posto e deixando Scott em terceiro. Thompson passou em quarto, com a dupla da Team Pelfrey, Andres Gutierrez e Sting Ray Robb, em quinto e sexto, respectivamente.

Na relargada, Cunha pula muito bem e conseguiu a ponta da prova na freada da curva um. Pouco depois foi anunciada uma punição para Askew por contato evitável, com o atual campeão da USF2000 tendo de cumprir um drive through.

Com a corrida amornando, os pilotos compeçaram a se separar em pelotões. Cunha e Thompson faziam uma briga particular, enquanto se distanciavam de Scott, que se distanciavam de Gutierrez, Robb e Kris Wright, que abriam de Antonio Serravale, Nikita Lastochkin e David Malukas, com Askew muito atrás deles e Robert Megennis uma volta atrás.
Charles Finelli vendo todo mundo quebrar pra ele terminar em sétimo.
Quando se passou onze das 25 voltas regulamentares, quando o carro de Harrison Scott ficou lento na pista até parar seu carro n a reta principal e acionando a bandeira amarela. Durante essa amarela, Antonio Serravale parou seu carro na caixa de brita da curva dois, também abandonando a prova.

A relargada foi dada na volta 13, com apenas dez carros na prova. Cunha liderava com Thompson em sua cola. Mais atrás vinham Gutierrez, Robb, Wright e Lastochkin, com Askew e Malukas mais atrás, o veteraníssimo Charles Finelli ainda na mesma volta do líder e Megennis uma volta atrás.

Com dez voltas para o fim, os quatro primeiros permaneceram os mesmos, enquanto Malukas e Askew chegaram ao quinto e sexto à frente de Wright e Lastochkin. A quantidade de carros caiu ainda mais quando, na volta 16, David Malukas parou seu carro na área de escape do fim da reta oposta, com problemas elétricos. Duas voltas depois, Nikita Lastochkin entra nos pits e fica lá por um tempo, perdendo uma volta; ele fez outras quatro paradas, e acabou a prova cinco voltas atrás, dentro dos boxes novamente.

Enquanto isso, as duas brigas maiores estavam mais a frente. Thompson pressionava Cunha desde a relargada na volta treze e na volta 16 começou a colocar por fora do brasileiro. O movimento deu certo na curva um da volta 17, quando Thompson se aproveitou da longa reta e se posicionou por fora, mas nem precisou dividir curva para assumir a liderança.

Mais atrás, a dupla da Team Pelfrey brigava com Oliver Askew pela vaga final no pódio. Gutierrez conseguia segurar bem Robb e Askew pelo terceiro posto, mas, na reta oposta da última volta, Robb tenta colocar por dentro do mexicano, mas acaba dando um bump no companheiro de equipe, que passa na grama e perde posições para Robb e Askew. Com isso Sting Ray robb marca seu primeiro pódio, com Carlos Cunha fazendo seu melhor resultado nesse ano com o segundo lugar e com Parker Thompson vencendo de novo!

Resultados e pódio.
Com a vitória na segunda prova e os abandonos de VeeKay e Scott, Parker Thompson abriu ainda mais vantagem na liderança do campeonato, com 150 pontos, 22 a mais que VeeKay e 30 a mais que o brasileiro Carlos Cunha.

A próxima prova acontece no mini-oval de Lucas Oil Raceway, a apenas nove quilômetros do Indianápolis Motor Speedway. Até lá!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]