Aerokit de 2018: O kit de superspeedway

Baixinho, atarracado, sem aletas e com efeito solo para dar e vender: esse, pelo menos por enquanto, é o carro da Indy para a temporada de Speedways de 2018.


Hoje (25 de julho) aconteceu o primeiro teste em pista do novo kit aerodinâmico a ser implementado em 2018. A categoria partirá novamente para os chassis com kit aerodinâmico único para todo o grid, sendo um para (Super)Speedways e um para mistos. A missão de guiar os dois protótipos, um da Chevrolet e outro da Honda, foram guiados por Juan Pablo Montoya e Oriol Servià.

Ambos deram algumas voltas no Indianapolis Motor Speedway, sendo que o carro da chevrolet correu mais pela pista devido a uma quebra do motor Honda. Tanto Montoya quanto Servià conseguiram guiar no oval com o pé no acelerador no fim do treino. No geral, o treino foi considerado um sucesso.

Entretanto o "teste" obteve maior sucesso do lado de fora das pistas. Isso porque o foco, no caso desse teste, nem era tanto mostrar a performance e desempenho do carro, até porque todo o ajuste fino do novo kit aerodinâmico e de como ele se comporta no DW-12 será feito agora.

Mais importante que o teste em si foi:
  • Passar, finalmente, do modelo virtual e abstrato para um modelo físico, operante e testável. Esse dia marca o início da volta dos carros da Indy para os kits e carros de aparência única.
  • Liberar, finalmente, a forma final desse estágio de desenvolvimento do kit aerodinâmico para as montadoras e equipes. A partir daí, as montadoras poderão estudá-lo mas não testá-lo oficialmente. Os testes para as fabricantes será liberado apenas após o fim dos testes da equipe de desenvolvimento da categoria, esperado para terminar em meados de outubro.
  • Dar mais detalhes não só do kit em seu estado atual, mas também os objetivos a serem atingidos com ele. Jay Frye (Presidente de Competição e Operação da INDYCAR) revelou que o objetivo do kit de (Super)Speedway é reduzir em até 45% os custos atuais das equipes com os kits, reduzir opeso do conjunto total e também a redução da pressão aerodinâmica dos carros, para evitar que eles decolem quando viram de costas.

Falando do carro em si, o que foi mostrado é bem parecido com os modelos divulgados massivamente pela intenet e extensivamente destrinchado aqui. O Santoantônio será realmente vazado, com a tampa de motor bem menor e completamente sem apêndices aerodinâmicos ou proteções na traseira do carro.
Há algumas pequenas diferenças para o visto na internet.
Entretanto, sim, houveram diferenças. 

A parte lateral, próxima a entrada de ar para as partes quentes do carro, está bem mais lisa e reta do que comparado com o visualizado por imagens computadorizadas. Esse foi um dos pontos de reclamação por parte dos fãs, pois prejudicaria a visualização de patrociandres. Agora a parte lateral possui apenas uma curva que acompanha a entrada de ar, e uma dobra, para a junção com a proteção dianteira da roda traseira trazida pela chevrolet no seu aerokit.

Outro ponto de mudança foi a asa traseira. Ela agora está mais distante do carro, além de estar bem mais lisa e reta que nas imagens digitais. Essa distância e forma são características dos antigos carros de ovais longos, onde a asa traseira era apenas uma tábua reta e lisa, para ajudar na hora do carro virar de costas e não decolar e não atrapalhar, criando arrasto.

Mas o resto é quase igual ao divulgado anteriormente pela categoria. Ficou um carro bem feito, onde as partes interessantes (a pequena barbatana na tampa do motor, entradas laterais maiores, o buraco no assoalho e a proteção dianteira da roda traseira) permaneceram, e os pontos mais fracos foram modificados. O carro ainda lembra bastante o Lola B02.

Agora é aguardar para ver se o mesmo acontece com o carro de misto e suas asas horrendas...
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. Olá amigos. Assistindo a este vídeo do "Professor B" sobre os novos volantes que a Dallara iria adotar para esse ano (com tela LCD) mas que deverá ficar para o ano que vem, me chamou a atenção o nome "Cosworth" no volante. Seria a volta da Ford/Cosworth à categoria?Sinceramente, torço muito para isso acontecer.

    Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=-1l-sxXKDHw

    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi José Roberto! A Cosworth ainda está na Indy desde 2003. Entretanto, ela não fornece mais motores, apenas os equipamentos eletrônicos e de telemetria, tanto para a Indy principal quando para a Lights.

      Excluir
  2. Acredito que não. Se não me engano, indy lights já é LCD.

    ResponderExcluir