USF2000: Oliver Askew é o tributo vencedor dos Jogos Vorazes de 2016

Apesar de, no final, o Mazda Road to Indy Shootout parecer mais um Masterchef do que um Jogos Vorazes, o americano de 18 anos foi o piloto selecionado para estrear na USF2000 e no Road to Indy.


O Mazda Road to Indy Shootout foi realizado nessa semana, do dia 5 ao dia 7 de dezembro, em Laguna Seca. Dezoito pilotos selecionados de vários campeonatos participaram de um dia de coach e preparações, um dia de treinos livres e uma simulação de fim de semana, com treino livre, simulação de classificação e corrida.

Dos 21 selecionados participaram 18 pilotos. Ryan Norman, campeão da F-Atlantic, não compareceu porque ele já garantiu uma vaga na Indy Lights pela Andretti (e qual o motivo de participar de um evento para ganhar uma vag na USF2000 se você já está garantido na Lights?); enquanto Neil Verhagen, campeão da SCCA na categoria F-1600, e John McCusker, vice-campeão da F-2000 Americana, tem vagas quase certas na USF2000, e optaram por não participar.
Os 18 selecionados. Essa e todas as outras fotos eu tieri do twitter @mazdaracing. Não faço ideia de quem é o dono.
No dia 5 de dezembro os pilotos não foram à pista, sendo o dia reservado para palestras, encontros e um jantar, além da escolha dos carros que cada piloto ia dirigir.

Os pilotos foram à pista apenas no dia seguinte, onde foram separados em grupos para um dia com várias sessões de treinos coletivos. Cada grupo teve um instrutor diferente e três sessões de vinte minutos na pista de Laguna Seca, onde eram observados pelos sete juízes que selecionariam o campeão do Shootout.

Após o dia de preparação fora da pista e o dia de preparação com os pilotos na pista, os dezoito foram para o tudo ou nada. Primeiramente, todos tiveram mais quinze minutos de pista para mostrar alguma coisa que os juízes não viram e, após esse treino livre, os juízes escolheram seis pilotos que fariam a simulação de classificação e a simulação de corrida (??).

Os juízes, ao final de suas considerações, escolheram como finalistas: Will Brown (campeão da F-1600 Australiana), Trenton Estep (campeão da F-1600 Canadense), Niall Murray (campeão da F-1600 Britânica), Oliver White (campeão da F-1600 Britânica) e os dois pilotos do Team USA Scolarship, Oliver Askew e Kyle Kirkwood. Sim, o carro que todos pilotavam no Shootout eram carros F-1600, cedidos pela Lucas Oil. Marcel Coletta, o único brasileiro a participar do evento, e não foi escolhido pelos juízes para a fase final.
Os seis finalistas.
Ao fim de 15 minutos de simulação de qualificação, Oliver White foi o mais rápido e teria o direio de largar na ponta da simulação de corrida, com Will Brown largando ao seu lado, em segundo. Askew e Estep formavam a segunda fila, enquanto Kirkwood e Murray formavam a fila final.  

Na largada, Brown errou no hairpin e caiu para último, teve que fazer um pit stop e passou a corrida toda no último lugar, longe das ações da prova. Kirkwood e Murray fizeram uma corrida particular para ver com quem ficava o quarto posto e, ao final, Kyle Kirkwood venceu essa disputa e ficou com a quarta posição, a frente de Murray.  

Lá na frente, com o erro de Brown, White conseguiu disparar na liderança, enquanto Askew teve de se defender de Estep por algum tempo para manter o segundo lugar. Quando Estep diminuiu um pouco a pressão sobre Askew, este acelerou para brigar pela liderança e, faltando seis voltas para o fim, Askew conseguiu se aproximar de White. Após quatro voltas de brigas, Askew conseguiu tomar a ponta na penúltima volta e vencer a simulação de corrida.

Posteriormente, os juízes escolheram Askew como o melhor e ele foi declarado vencedor do Shootout, ganhando os 200 mil dólares de patrocínio para entrar na USF2000.
Askew escolhido.
Apesar de eu não concordar muito com o formato do Shootout, com toda essa parada de juízes e treinos eliminatórios ao invés de corridas de verdade, para parecer mais automobilismo que o Masterchef ou o The Voice, confesso que a escolha foi boa.  Askew é um óitmo piloto, foi muito bem e ganhou com um pé nas costas a F-1600 Americana e foi incrivelmente bem no Chris Griffis Memorial Test, quando foi o melhor piloto a correr com o carro antigo nos dois dias de testes e correndo mais rápido que alguns bons pilotos que vinham com o caror novo, que é cerca de dois segundos mais rápido.

Agora é aguardar para ver qual Cape equipe Cape ele vai Cape escolher Cape Motorsports with Wayne Taylor Racing.
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário