Com estratégia perfeita, Sebastien Bourdais domina a Indyfest em Milwaukee

Piloto da KV, vencedor da prova em 2006, segue ótima estratégia de sua equipe e vence a segunda prova na temporada. Hélio Castroneves sai de último pra segundo e Tony Kanaan termina em sexto.

Francês vence em Milwaukee após nove anos. (Foto: Michael L. Levitt/LAT Photographic)

A corrida começou com poucas mudanças de posições entre os líderes, apesar do bolo de carros que sempre forma na primeira curva de Milwaukee. Newgarden liderava com Briscoe em segundo e Karam em terceiro. Tony Kanaan conseguiu ganhar a posição de Karam e Briscoe e, logo nas primeiras voltas já era o segundo.

Newgarden chegou a abrir alguns segundos, mas, após ultrapassar Kanaan, Briscoe veio com tudo pra cima do meninão da Sarah Fisher, que vinha dominando tudo no fim de semana em Milwaukee. Os dois pilotos ficaram brigando pela liderança, enquanto, na transmissão da Band, Cacá Fernando e Sérgio Jimenez insistiam em dizer que Power e Montoya haviam largado na liderança e caído muito pra trás na primeira curva.

Após serem avisados pelo twitter que estavam errados, Newgarden chegava em seu chefe de equipe, Ed Carpenter, para colocar-lhe uma volta. Quem diria hein Ed? E o veterano piloto vendeu caro a posição/volta.

Quando finalmente conseguiu ultrapassar Carpenter, Newgarden já tinha deixado aproximar, além de Briscoe, Kanaan, Karam, Rahal, Montoya, Dixon, Bourdais e até Gabby Chaves.

Enquanto isso, Pippa Mann deixava a prova com problemas em seu péssimo carro, mas, como ninguém se importou, nem sei o porquê estou criando um parágrafo exclusivo só para ela. Vida que segue.

Hélio já vinha em 17º após largar de último, quando abriu a primeira janela dos pits, lá pela volta 49. Jakes, Dixon e Marco Andretti pararam na sequência. A última parada foi de Graham Rahal, na volta 60.

Briscoe caiu muitas posições após o macaco hidráulico de seu carro simplesmente não subir, dificultando a vida dos mecânicos que tinham que trocar os pneus. Mas, como o australiano tinha um carro muito bem acertado, logo voltou ao primeiro pelotão, junto com Rahal.

Acorrida permanecia bem chata até a segunda janela de paradas, quando Castroneves e Pagenaud foram pro pit. Power, Montoya, Dixon, Chaves e Andretti entraram na sequência.
Dixon, como uma cobra peçonhenta que sabe atacar na hora certa, pulou pra ponta após os pits. Enquanto isso, Montoya recebia um drive-through por exceder o limite de velocidade nos pits.

Na volta 115, a primeira bandeira amarela do dia, com o motor Honda do carro de James Jakes abrindo o bico.

Após mais de 15 voltas sob bandeira amarela, a bandeira verde veio. Porém, como bandeira amarela chama bandeira amarela, Briscoe acabou traseirando sozinho na curva 4 e coletou Will Power. Fim de prova pra ambos e mais amarela.

Na relargada, na volta 141, Bourdais, que vinha na ponta, aproveitou os retardatários Sato e Vautier, que vinham na frente do segundo colocado, Ryan Hunter-Reay, pra abrir uma distância considerável e assim começar a lutar pela vitória. Newgarden logo assumiu o segundo lugar, seguido por Kanaan em terceiro.

O francês nerd da KV chegou a abrir dezessete segundos para Newgarden, mesmo com os pneus velhos. Eu não sei como ele conseguiu isso. Até chegar nos retardatários e começar a tirar um pouco o pé. Mesmo assim, mantinha uma boa diferença para Newgarden e Kanaan e colocava uma volta em Montoya, o 12º colocado.

Bourdais conseguiu economizar um stint inteiro e só parou na volta 171, enquanto que Newgarden vinha no ciclo ‘normal’ de pit-stops, parando na volta 172.

A partir de então, Bourdais, que voltou em 12º segundo, começou a escalar o grid como um cão raivoso e ia passando pilotos volta a volta, chegando nos líderes cerca de quatro voltas após a parada. Detalhe: os que estavam à sua frente, ainda não haviam parado!

Todos pararam na altura da volta 200. A corrida ficou bem estranha nesse momento: Apenas Bourdais estava na mesma volta. Pareciaque eu tava vendo uma corrida dele na época da ChampCar, de tão besta que eu tava com esse domínio.

Tudo sem encaminhava para uma vitória de estratégia magistral de Jimmy Vasser, dono da equipe de Bourdais, quando Justin Wilson causou a última bandeira amarela do dia em Milwaukee, com o seu motor Honda fumando.

Bourdais fez a parada um pouco antes, e voltou em primeiro! A 3s5 de Newgarden. Com a bandeira amarela, todos paravam pela última vez e colocavam pneus novos, menos Bourdais e mais um ou outro lá de trás.

Na relargada, a 21 voltas do fim, Bourdais se mantinha na liderança enquanto Castroneves voava pra cima de Montoya, seguido por Rahal. O brasileiro da Penske, com pneus novos colou em Bourdais, mas após dar uma pequena traseirada, axabou perdendo contato e quase foi ultrapassado por Rahal.

Estratégia perfeita da KV deu a vitória a Bourdais, um milagre. (Foto: IndyCar)

Bourdais segurou bem nas últimas oito voltas e venceu a prova de forma merecida, numa tarde bastante feliz para KV, que finalmente mostra que aprendeu a fazer estratégias de corrida, curiosamente após Rubinho e Kanaan terem saído da equipe.

Castroneves foi o segundo, Rahal o terceiro. Montoya, ainda líder do campeonato, terminou em quarto, com Newgarden em quinto e Tony Kanaan em sexto.

Confira os resultados da prova aqui:

Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. Muito boa a corrida! Ultrapassagens, muitas estratégias e alternativas. O Tião mostrou que é um baita piloto, que não foi quatro vezes campeão da CCWS à toa. Quem acabou decepcionando foi o Tony, que mandava até bem na pista, mas era sempre derrubado pela equipe nos pit-stops... Não houve um que ele não perdesse pelo menos uma posição... Já o Helinho fez um corridão!!!

    ResponderExcluir