Não é mera coincidência

Faltou aquele parabrisa pra ficar igual. (Créditos: IndyCar)
A tonalidade pode ser um pouco diferente, o ângulo da foto e a hora do dia também, mas não dá pra passar despercebido que o novo esquema de cores do carro de Graham Rahal pra 2015 é quase idêntico ao esquema da McLaren em meados dos 1970, e não foi por acaso. É uma homenagem que a equipe de Rahal está fazendo a McLaren, que teve uma bela história com seus carros na Indy 500 por nove edições.

Pouco antes de morrer, Bruce McLaren tinha ambições de correr em Indianapolis. Ele achava que se não estivesse fazendo um progresso, mesmo que não pareça, estaria dando a ré em seus sonhos. Com a equipe já consolidada, eles resolveram por um carro em Indianapolis, porém, o começo não foi nada agradável. 

Inicialmente, Denny Hulme e Chris Amon estariam à bordo de um McLaren M15 pra corrida, só que um incêndio nos pits fez com que Denny queimasse as mãos gravemente, e nunca mais o piloto neozelandês entrou num oval de novo. A dupla foi substituída por Peter Revson e Carl Williams, que fizeram um bom trabalho e terminaram em sétimo na corrida de estréia da equipe.

Revson depois da corrida se tornou um dos integrantes mor da equipe e ajudou no desempenho dos carros em Indianapolis, mas a coisa melhorou mesmo depois que um tal de Roger Penske comprou um M16 da equipe em 1972 e venceu pela primeira vez a corrida com Mark Donohue (sim! A primeira vitória da Penske foi num carro da McLaren!). Graças ao episódio, no ano seguinte, já eram seis as equipes com um carro feito pela fabricante inglesa na corrida.
Ter duas Indy 500 não é pra qualquer um.
(Créditos: Build Race Party)

A equipe venceu também venceu a Indy 500. Duas vezes. As duas com Johnny Rutherford em 1974 e 1976, deixando claro o sucesso da equipe no oval centenário. A história da McLaren em Indianapolis terminou em 1980, com três Indy 500, uma pole em 1973, cinco vitórias na USAC e muitas equipes satisfeitas.

Mas por que o laranja?

Nos anos 70, uma das muitas novidades era a TV à cores. A McLaren queria chamar atenção tanto de quem ia para a pista, quanto dos telespectadores que olhavam as corridas em casa. Com as cores agora em destaque, eles então resolveram aderir ao laranja, já que patrocinadores ainda não eram muito importantes. Nada mais chamativo, não? (só o carro da GoDaddy).

Assim a equipe passou a ser reconhecida pelo laranja, tanto é que vários carros da fabricante tem a cor laranja e hoje muitos pedem ela de volta nos seus carros da F1. 

Será que é fã? (Créditos: instagram)
E pelo jeito um desses fãs é o próprio Graham. O seu instagram denuncia que ele é fã dos carros feitos pela McLaren. Hoje ele ficou tirando várias fotos ao lado de seu bólido antes dos treinos da manhã em Sebring. "Se parece muito com os carros originais da McLaren", disse Rahal "É daí que vem esse azul escuro. Eu duvidava que os patrocinadores queriam que a gente corresse com um carro laranja, mas agora parece que o esquema ficou bom mesmo."


Vamos ver se terá os mesmos resultados que a homenageada teve.

Fontes: IndyCar.com | McLaren.com


Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário