Top X: pilotos que tentaram (tentaram) correr a Indy 500

Olá!  Essa postagem é a terceira de uma série especial sobre as 500 milhas de Indianápolis.  É uma parceria do Indy Center Brasil com o blog O Indyanista, e as postagens especiais se prolongarão por mais de trinta dias, até o dia das 500 milhas de Indianápolis.

Antes, pera lá. Desta vez, como o Matt está meio sem tempo para fazer as listas, já que é blogueiro, monitor e agente secreto da mafia de Tony George ao mesmo tempo, fui escolhido para estar em seu lugar. Espero que entendam e que não percebam a diferença na qualidade do post. (obrigado Matt. Depois a gente conversa sobre aquilo que você ficou de fazer pra mim)

Hoje temos uma lista bem interessante. A maioria de vocês já deve saber quem venceu mais vezes, qual equipe venceu mais vezes ou quem mais vezes correu as 500 milhas de Indianapolis nesses últimos 103 anos. Tudo muito certo e bonitinho. Mas, afinal, você sabe quem falhou mais vezes ao tentar correr a Indy 500, por exemplo? Não, né? É por isso que estamos aqui, para mostrar a você, leitor, o outro lado da moeda.

Começamos com quem falhou:

6 vezes



"Seis vezes? Já não é muito não?" Por incrível que pareça, não. Isso até é pouco para o que vem a seguir. Aqui entram Ralph Liguori (1959, 1962, 1963, 1964, 1967 e 1968 - não conseguiu em nenhuma, mas pelo menos, chegou em segundo numa prova da USAC. Ah, ele ainda está vivo), Scott Harrington (1989, 1997, 1998, 1999, 2000, 2002 - entrou na edição de 1996, terminando em 15º) e Greg Weld.

Greg Weld é conhecido pelos fãs como fundador da Weld Racing e campeão da USAC de 1967. Estes dois feitos fizeram com que ele conseguisse seu lugar no hall da fama do museu de Knoxville, em Iowa, onde ele venceu o primeiro evento de Sprint Car da história dos EUA. Ou seja, não quer dizer que, só porque um piloto falhou seis vezes em correr a Indy 500, ele é ruim.


Principalmente se três dessas tentativas acabaram em acidente, como o que aconteceu em 1966. Greg estava com um motor Novi, famoso pela sua agressividade, som e periculosidade, até que um
 acidente na classificação tirou a chance dele de correr a prova e, de quebra, encerrou a carreira do motor em Indianapolis. Weld conseguiu correr a edição de 1970, onde terminou em 32º. mas foi só. Entre 1965 e 1973, foram sete tentativas e apenas um sucesso.

Greg nos deixou em 2008, vítima de um ataque cardíaco. Pelo menos ele teve uma vida e uma carreira brilhante, e também falhou menos do que os que não conseguiram:

7 vezes




"Vish, tá aumentando?" Pois é. Mas calma que ainda nem tá na metade do post. Os pilotos que conseguiram essa façanha foram: Spike Gehlhausen (entre 1976 e 1988 - conseguiu um 4º lugar em 1980 numa Penske. Nada mal); Tom Bigelow (entre 1970 e 1989 - esse conseguiu apenas um 14º em 1981, também numa 
Penske); John Martin (entre 1971 e 1982 - chegou em 8º em 1973 numa McLaren); Bill Puterbaugh (entre 1968 e 1979 - só conseguiu andando com um Eagle) e Leon Sirois.

Leon Sirois. Tenho pena desse cara. Natural de Indiana, Leon tentou correr entre os anos de 1969 e 1975, e em todas. TODAS, eu disse, ele não correu. Em nenhuma delas. Nenhuma mesmo.
Mas nesse caso, Sirois deve ter pegado algum trauma, alguma maldição, sei lá. Na sua primeira tentativa, em 1969, Leon conseguiu bater o tempo do pole e fez 161.535mph na sua primeira ida, só que o dono do carro não estava satisfeito com a velocidade, achando que não era suficiente para a corrida, e mandou o carro de volta para os pits antes de completar a qualificação. Problema: começou a chover. Resultado: Leon não conseguiu entrar na Indy 500 daquele ano.

Esse drama tragicômico rendeu uma bela história para ser contada nas rodas ao lado de fogueiras no meio de bosques, e também um troféu: o Jigger award. Esse prêmio, que simula um copo de whisky em cima de uma base de bronze é dado a cada ano para os pilotos que mais se ferraram na tentativa de tentar se classificar no grid. Em alguns casos, não só para pilotos, como em 1996, quando a tentativa de fazer a Indy 500 e a US500 no mesmo dia não deu muito certo.

Jean Alesi, mesmo entrando na corrida, também ganhou o troféu em 2012, só pelo fato de estar trocentas milhas mais lento que os demais na corrida. O último que teve a "honra" de ganhar o troféu foi Michel Jourdain Jr.

Pobre Leon. Bem, pelo menos ele desistiu na sétima, e assim, não falhou:

8 vezes




"Mas quem são os infelizes?" Pois é... Phil Krueger (entre 1971 e 1981 - só conseguiu duas vezes); John Mahler (entre 1971 e 1983 - ele até conseguiu em 1971, mas deu lugar a Dick Simon, graças a um contrato com patrocinadores, alá Bruno Junqueira) e John Paul Jr. são estes infelizes.



John Paul Jr. já é um pouco mais conhecido pela galera do que os demais. Ele correu entre os anos de 1983 e 2001, ou seja, um bocado de vezes. Tudo bem que ele foi o piloto mais jovem a conquistar um título na IMSA em 1982, mas na Indy 500, a história foi bem diferente. A melhor posição dele foi um 7º em 1998, sua última corrida.
Ele se aposentou oficialmente em 2001, quando descobriu que tem a doença de Huntington (doença neurológica que causa movimentos corporais anormais e falta de coordenação), depois que não conseguiu testar um Corvette GT-1, afirmando que seu pé não correspondia àquilo que ele estava pedindo. Ele ainda ganhou o troféu Scott Bayton em 1997, dado para aqueles que tiveram mais garra e determinação. Hoje, ele é professor particular de direção.

Pelo menos, ele teve mais sorte do que os que falharam:

9 vezes




"Puxa! Essa lista não para!" Verdade. mas calma que estamos chegando no fim. Aqui podemos listar Larry Cannon (entre 1971 e 1984 - em 1977, ele pilotou as últimas 10 voltas no lugar de John Mahler); e Jerry Karl (entre 1970 e 1985 - ele sempre chegou numa posição melhor do que largou, por isso, talvez, tantas tentativas).

Dessa vez, nenhum dos dois tem algo interessante para contar. A não ser que Karl morreu num acidente de carro em 2008. Tirando isso, vamos pular para a parte final da lista e mostrar quem foram os azarados, infelizes, e OS CARAS que conseguiram o feito de falhar por:

12 vezes




"DOZE VEZES? D-O-Z-E?? É sério mesmo isso ae???" Yep. Eu também não acreditei.

Pior, não teve apenas um piloto que falhou uma dúzia de vezes. Al Loquasto, entre os anos de 1970 e 1984, correu apenas DUAS vezes. E sua melhor posição foi um VIGÉSIMO QUINTO; Tim Hurtubise foi outro, só que entre os anos de 1960 e 1981, e ele entrou no Hall da Fama em 1993, então, não toquemos no nome dele em vão; E Johnny Parsons foi o terceiro piloto conhecido na história que falhou doze vezes ao tentar entrar na Indy 500.


Johhny é filho de Johnnie Parsons, vencedor das 500 milhas em 1950 (não confundam, porque eu quase me confundi). Johnnie teve seu nome escrito errado no troféu BorgWarner. Lá diz que um tal de Johnny Parsons venceu a Indy 500 de '50, então, ele deu esse nome de Johhny para seu filho (por isso a confusão), como se fosse uma homenagem. Johnny também é meio-irmão de um "tal" de Pancho Carter (conhecem?), fruto de um divórcio dos seus pais. 



Por esses motivos que escolhi falar mais dele. Mesmo que ele tenha tentado correr entre os anos de 1969 e 1996, e falhado doze vezes, o troféu BorgWarner diz que ele venceu a corrida de 1950. Intrigante, não?



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Pois bem pessoas, este foi mais um Top X. Se gostaram do post, comentem no nosso facebook ou aqui embaixo. Se não gostaram, paciência (brincadeira! Amamos vocês!). Prometo que o Matheus logo estará de volta para mais um Top X do jeito dele, ou seja, melhor.
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário