Post Page Advertisement [Top]

O prefeito de Hinchtown, no fim das contas, conseguirá ao menos fazer três provas nesse ano, e pela Andretti Autosport: o GP de Indy, as 500 milhas de Indianápolis e os 600 km do Texas.


Foi anunciado na quarta-feira passada (19 de fevereiro) o fadado destino de James Hinchcliffe. Após ser dispensado pela Arrow McLaren SP, o canadense voltou à Andretti Autosport para três provas: GP de Indy, Indy 500 e os 600 km do Texas.

Hinhccliffe entrou pra fórmula Indy em 2011, pouco depois de ser vice-campeão da Indy Lights. Naquele ano, ele entrou na Newman-Haas e conseguiu se destacar, conseguindo 3 Top 5 e se tornando o novato do ano, terminando a temporada no 11º lugar. Com esse sucesso, ele estava no lugar e na hora certa para substituir Danica Patrick na Andretti e, após três temporadas cheias de altos e baixos, ele acabou saindo da equipe e entrando na mediana Schmidt-Peterson. 

Até as fotos de promoção ficaram melhores
Hinchcliffe passou cinco longas temporadas na Schmidt-Peterson, ajudando a moldar essa nova fase da equipe na Fórmula Indy. Enquanto a  equipe de Sam Schmidt e Ric Peterson variava tanto em patrocínios quanto em outros pilotos, Hinchcliffe e o patrocínio da Lucas Oil permaneceram por grande tempo na casa, mesmo com seus resultados inconstantes.

Isso até o final de 2018, quando a Schmidt-Peterson se associou a McLaren e a Arrow, se tornando a Arrow McLaren SP. Honchcliffe estava aliviado, pois seu contrato com a Schmidt-Peterson iria até o final de 2021. Ledo engano, pois este foi rescindido no final desse ano, e o canadense estava á pé.


O canadense teve de se coçar para não ficar a ver navios em sua décima temporada na Indy, mas as vagas eram bem escassas. Hinchcliffe, no início do ano, conseguiu o patrocínio da Genesys e recuperou o patrocínio da Honda Canadá, mas não tinha uma equipe.

O carro só veio em meados de fevereiro, onde sua antiga equipe, a Andretti Autosport conseguiu um SEXTO carro (sem contar o apoio técnico para a Meyer Shank Racing, senão seriam sete carros) para três provas, com o patrocínio da Genesys, nas corridas do mês de maio e da corrida no Texas Motor Speedway, que será patrocinada pela própria Genesys.

Agora fica o grande dilema. Hinchcliffe. Ele terá três provas para mostrar o seu valor, mas como ele já é bastante conhecido no meio da Indy e buscará fazer a temporada completa em 2021. Assim, basta convencer a Genesys a ficar com o piloto e o canadense novamente estará na jogada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]