Post Page Advertisement [Top]

Grande vitória que pode embalar Dixon no campeonato
A IndyCar realizou na tarde de hoje a 13ª etapa da temporada de 2019 no circuito de Mid-Ohio. A vitória ficou com Scott Dixon seguido muito de perto pelo seu companheiro de equipe Felix Rosenqvist. Em terceiro apareceu Ryan Hunter-Reay enquanto Will Power e Alexander Rossi completaram o top 5. O líder do campeonato, Josef Newgarden, rodou na última volta e terminou somente na 14ª posição. Com isso a disputa pelo campeonato fica aberta entre os quatro primeiros colocados na pontuação.

Entre os brasileiros, Matheus Leist não soube aproveitar a confusão do pelotão dos últimos colocados com os líderes na parte final da corrida e acabou em 18º lugar. Já Tony Kanaan fez prova bem discreta e tentou apenas chegar até o fim sem comprometer seu equipamento. Por isso acabou na 20ª colocação mas ainda ficou a frente de Zach Veach, que só entrou na pista para exibir seus patrocinadores.

A corrida foi bastante movimentada nas estratégias e teve muita emoção no final por causa do desgaste de pneus e da presença de retardatários próximos aos líderes da prova. Nas últimas voltas, Rosenqvist chegou a tirar uma diferença de mais de 7s praticamente sem push to pass e mesmo sendo atrapalhado por muitos retardatários ainda conseguiu disputar a vitória até os últimos metros.

A corrida não teve nenhuma bandeira amarela. Apesar disso, um incidente na primeira volta, envolvendo Marcus Ericsson, James Hinchcliffe e Takuma Sato, por pouco não causou um big one logo no começo da disputa. Mesmo com mais foco na estratégia, a corrida também teve duelos lado a lado e toques envolvendo os grandes personagens da prova.

Incidente no começo de prova

Na largada, Power manteve a liderança após sofrer um pequeno ataque de Rossi. No fundo do grid, um grande grupo de pilotos ficou encaixotado em uma única curva e só podia dar em problemas. Quase aconteceu um Big One mas a prudência dos pilotos evitou a catástrofe.

Sato tocou em Ericsson. O sueco ficou assustado e jogou Hinchcliffe para fora da pista. Na sequência, Ericsson levou outro toque de Sato e um toque por trás de Marco Andretti. O carro de Ericsson ficou com a suspensão traseira muito danificada e o pneu traseiro esquerdo furado. Sato e Hinchcliffe também tiveram danos e os três carros foram pros pits.

Carro de Ericsson com muitos problemas após a largada
Sato perdeu uma volta mas conseguiu voltar sem muitos problemas. Hinchcliffe perdeu duas voltas e teve sua corrida bastante comprometida. Porém, quem teve o maior azar foi Ericsson. O sueco teve que abandonar a prova.

De volta para a corrida, Bourdais pressionou Pagenaud na volta 3. Após o fracasso de Bourdais, os pilotos começaram a pensar no longo prazo e todo mundo começou a pilotar de forma muito cautelosa para economizar pneus e combustível.

Quando o pneu macio começou a perder performance, já na volta 8, começou a aparecer o bom desempenho dos carros da equipe Ganassi, que estavam de pneu duro. Rosenqvist começou a pressionar Bourdais enquanto Dixon vinha logo atrás economizando.

Variações de estratégia beneficiam Ganassi

Hunter-Reay foi pra cima de Colton Herta na volta 12. Sentindo a pressão, Herta abriu a janela de paradas na volta seguinte. Além dele, entraram Pagenaud e Bourdais. Enquanto isso lá na frente, Power tentava resistir ao desgaste e ao mesmo tempo abrir vantagem para o segundo colocado, mas não conseguiu abrir mais de 2s de vantagem.

Na volta 15, Newgarden fez seu pit stop. Herta tentou ultrapassar Bourdais por dentro mas atingiu a traseira do francês. O piloto da Dale Coyne rodou e o novato fez a ultrapassagem. A rodada não causou amarela e Herta não foi punido porque a direção de prova considerou como contato de corrida.

Rossi tentou se aproximar de Power e Rosenqvist e Dixon foram no embalo. Hunter-Reay fez seu pit stop na volta 17. Newgarden e Pagenaud ultrapassaram Kanaan muito afoitos e quase aconteceu um acidente por causa da diferença de velocidade entre a Penske e a Foyt.

Rosenqvist ultrapassando Power por fora
Na volta 19, Rosenqvist ataca Rossi e consegue a ultrapassagem. Dixon vai pra cima e consegue ultrapassar também. Na sequência Rosenqvist passou a pressionar muito o líder da prova. Power lutou bravamente tentando resistir e forçou Rosenqvist a gastar muito push to pass. Na volta 25, o sueco finalmente fez uma grande manobra e por fora ganhou a posição do australiano.

Rossi continuou perdendo desempenho e caiu para quinto quando foi superado por Spencer Pigot na volta 26. Enquanto os líderes já tinham ritmo muito lento, mais atrás Newgarden vinha atropelando e fazendo voltas rápidas. A Andretti percebeu a dificuldade de Rossi e antecipou a parada para a volta 27 na tentativa de evitar mais perdas de posição.

Dixon supera Power após os pits

Pigot e Santino Ferrucci entraram na volta 28. E o líder da prova fez a sua parada na volta 29, que era a meta para quem ia tentar fazer só duas paradas. A liderança então caiu no colo de Power novamente. Mas Power e Dixon vieram para os pits na volta seguinte. Aí quem pegou a liderança foi para as mãos de Newgarden.

Rosenqvist voltou em oitavo na frente de Bourdais e tomou pressão porque estava de pneus frios. Na volta seguinte com pneu aquecido, o sueco se mandou pra cima de Graham Rahal. Após a parada de Power e Dixon, Rosenqvist ultrapassou Rahal e ganhou a quinta posição. Mais atrás, Rossi começou a se aproximar de Power e Dixon.

Dixon tentou passar por fora antes de tomar um chega pra lá de Power
Na volta 32, Dixon atacou Power e os dois se tocaram. Rossi chegou de vez na briga. Dixon lutou muito na volta 33 mas foi pra ultrapassagem apenas na volta 34 e conseguiu dessa vez. Lá na frente, Newgarden e Pagenaud se enrolaram muito para passar por alguns retardatários. Quem se aproveitou foi Hunter-Reay que atacou Pagenaud na luta pela terceira colocação.

Herta também começou a chegar nesse pelotão mas parou junto com Pagenaud na volta 37. Os dois estavam tentando se livrar do tráfego antecipando a parada. Hunter-Reay e Ferrucci também tentaram dar o pulo do gato e foram pra parada na volta seguinte. Bourdais fez sua parada na volta 39 e logo na sequência foi punido com um drive through por excesso de velocidade dentro do pit lane. A punição condenou a corrida do carro #18.

Problemas com o líder do campeonato

Rossi pressionou Power na volta 40. Na volta 41 aconteceu o primeiro lance capital na disputa do título. Newgarden fez sua parada e teve problemas com a mangueira de combustível. O problema causou um grande prejuízo para Newgarden que vinha liderando a prova e era candidato a vitória.

A mangueira com problemas foi substituída somente depois de estragar a corrida de Newgarden
Newgarden voltou em sétimo, quando em condições normais deveria voltar pelo menos três posições a frente. E pra piorar, Pagenaud veio logo atrás de Newgarden botando muita pressão para aproveitar dos pneus frios do companheiro de equipe. Pagenaud colocou de lado e os dois quase se tocaram mas Newgarden levou a melhor e se manteve na frente.

A transmissão da corrida mostrou os mecânicos da Penske trocando a mangueira de combustível por uma peça reserva para evitar outro problema no último pit stop. Rosenqvist mudou para a estratégia de três paradas e entrou na volta 45. O #10 voltou em quarto lugar na frente de Rossi e Hunter-Reay, que já estava bem longe da confusão de Newgarden e Pagenaud. Os carros da Penske nessa altura pareciam mais inimigos do que companheiros de equipe.

Ganassi ensaia dobradinha na última janela

Dixon ficou com a liderança e fez um brilhante trabalho. Abriu mais de 15s de vantagem para Rosenqvist, que assumiu a vice liderança da corrida após ultrapassar Power na volta 54. A última janela de pits começou com a parada de Rossi na volta 59 quase sem combustível já. Na volta 60 foi Dixon que parou e voltou na oitava posição, atrás de Herta.

Power parou na volta 61 e voltou em décimo segundo mas na frente de Rossi ainda. Newgarden parou na volta 63 e conseguiu voltar na frente de Power e Rossi. O comboio de Pagenaud, Pigot, Hunter-Reay e Herta fez a parada na volta 64. Pagenaud voltou em nono, atrás de Rossi. Enquanto isso Newgarden não conseguiu ultrapassar Hunter-Reay na volta 65. Rosenqvist parou na volta 67 e voltou quase 8s atrás de Dixon porém com um pneu sete voltas mais novo.

Os pneus duros e mais novos ajudaram muito Rosenqvist a ter uma boa performance
A parte final da corrida caminhava para um final morno e sem graça. Do jeito que o pentacampeão costuma vencer na maioria das vezes. Herta pressionou Pigot na volta 69 e não teve sucesso. Então Pigot se afastou de Herta e foi pra cima de Pagenaud na volta 73. Enquanto isso, Rosenqvist com poucos segundos restantes de push to pass começou a cortar a diferença para o líder da prova.

A batalha entre Pigot e Pagenaud se estendeu mas sem ultrapassagem. Herta chegou novamente em cima de Pigot e ninguém conseguiu passar ninguém. No final da prova tanto Herta quanto Pigot ficaram contentes com o resultado e Pagenaud escapou de perder pontos preciosos na luta pelo título.

Final emocionante e imprevisível

E na luta pela vitória, Rosenqvist seguia descontando a diferença enquanto Dixon se livrava de retardatários e lutava muito com os pneus desgastados. A diferença de Dixon caiu para Rosenqvist e também para Hunter-Reay e Newgarden que se animaram com a possibilidade de ainda brigar pela vitória.

As últimas 10 voltas da corrida ganharam um contorno de dramaticidade fenomenal. Dixon sofria tanto com os pneus que já estava quase cedendo ultrapassagem para os retardatários. O bolo dos retardatários era formado por Andretti, Sato, Leist, Max Chilton e RC Enerson. Rosenqvist alcançou o pelotão com 6 voltas pro final.

Andretti e Sato ameaçaram passar Dixon. Rosenqvist conseguiu negociar bem a ultrapassagem com Enerson, Leist e Chilton. Com 3 voltas pro final, Hunter-Reay e Newgarden também chegaram na disputa. Na volta 89, Leist se atrapalhou abrindo passagem e perdeu a posição para Enerson, enquanto isso Hunter-Reay e Newgarden passaram por eles. Sato teve que fazer pit stop para evitar uma pane seca e o caminho foi se abrindo para Rosenqvist também.

Newgarden tentando jogar o campeonato no atoleiro
Ainda antes da última volta, Rosenqvist passou por Andretti e foi pra cima de Dixon. Na última volta, Rosenqvist botou por dentro e os dois se tocaram. No mesmo momento, ainda atrás de Chilton e Andretti, Newgarden tentou fazer a mesma manobra sobre Hunter-Reay e levou a pior. O líder do campeonato rodou, ficou atolado na areia e acabou em 14º lugar com uma volta de atraso. Rossi deixou Power abrir porque precisou salvar combustível e mesmo assim teve uma pane seca logo após receber a bandeirada.

Chegada de oval em circuito misto
Rosenqvist tentou colocar de lado mais duas vezes e foi bloqueado por Dixon. Os dois ainda quase chegaram lado a lado na linha de chegada mas o neozelandês cruzou na frente com uma diferença de 0,0934s e venceu pela sexta vez em Mid-Ohio numa prova que teve um final cardíaco!

Confira o resultado final do GP de Mid-Ohio:

A corrida teve 159 ultrapassagens sendo 110 por posição além de 7 trocas de liderança entre 4 pilotos diferentes

Quatro pilotos ainda brigam pelo título

Com o resultado desastroso de Newgarden e a vitória de Dixon, o campeonato novamente ganhou em emoção e agora são quatro pilotos lutando pelo caneco do campeonato. A vantagem de Newgarden caiu para apenas 16 pontos sobre Rossi. Pagenaud e Dixon ainda tem chances mas precisam vencer se quiserem ser campeões.

Confira a pontuação do campeonato após treze etapas:

A briga pelo título fica muito quente e tudo pode acontecer

Confira a pontuação de motores:

O pódio dominado pela Honda ajudou a montadora japonesa a abrir uma vantagem maior na liderança

A IndyCar faz uma pausa e volta a correr somente no dia 18 de agosto no oval de Pocono. Até lá as equipes terão duas semanas para descansar depois da maratona de três corridas seguidas em julho, planejar os próximos passos e esquentar a Silly Season. Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]