Post Page Advertisement [Top]

Takuma Sato surpreendeu e faturou sua segunda pole position em 2019 com duas grandes voltas
Em função do cancelamento do treino livre de ontem por causa da chuva, muita gente chegou no treino classificatório da Indy ainda sem um bom acerto e pensando muito mais na corrida do que largar em uma boa posição. As estatísticas comprovam que o pole não vence no oval texano desde 2010 e somente em 2012 o vencedor largou entre os 5 primeiros lugares.

Foi com esse pensamento que os carros não bem preparados foram pra pista. Em ovais a classificação é organizada individualmente e cada piloto tem 2 voltas lançadas onde a média de velocidade estabelecida nessas 2 voltas é que define o grid de largada. 

E como sempre a Indy define a ordem em que os pilotos partem para a classificação:


Conor Daly, que está substituindo Max Chilton em ovais, foi o primeiro a entrar na pista. E Daly não conseguiu fazer nenhum milagre com o carro horrível da Carlin, obtendo uma média modesta de 216.175 mph.

O terceiro a ir pra pista foi Matheus Leist e o desempenho do carro #4 da Foyt beirou o ridículo. Com uma média de 215.093 mph, Leist tinha tudo pra ficar na última posição do grid. Mas nada tão ruim que não possa piorar. O quinto piloto a classificar foi Tony Kanaan. Durante a sua primeira volta rápida, Kanaan tocou a lateral direita no muro e imediatamente abortou a volta e não marcou tempo. O resultado disso foi que os 2 carros da Foyt estavam na última fila.

Só que na Indy tem certas coisas que nunca mudam, uma delas é que o desempenho dos carros da Foyt é pavoroso. Outra dessas certezas é de que Marco Andretti é uma piada dentro da categoria. O filho de Michael Andretti fez a melhor primeira volta do treino até então, mas na segunda volta errou feio e precisou salvar para não bater. A média de Andretti foi de miseravéis 206.901 mph e ele ficou com a penúltima posição, foi muito pior ainda que Leist que já havia sido horrível.

Mais adiante na classificação quem conseguiu um bom resultado foi Sebastien Bourdais. A primeira volta do francês foi a melhor entre todos os pilotos e a segunda volta teve uma grande queda que acabou custando caro para não alcançar a pole. Entretanto, a média de 219.746 mph ainda rendeu um bom terceiro lugar para a modesta Dale Coyne Racing.

Outro piloto que teve um bom resultado foi Ryan Hunter-Reay, ele pegou a pista logo após uma leve garoa que chegou a interromper o treino por alguns minutos, e aproveitou o asfalto mais frio. Com uma média de 219.537 mph ficou na quarta posição.

Caminhando para a parte final da classificação, o japonês Takuma Sato veio pra pista e deu duas voltas espetaculares! Sato foi o único que fez as 2 voltas em 220 mph. E com uma média de 220.250 mph o japonês voador assumiu a liderança!

Logo depois de Sato, foi a vez de Scott Dixon. O pentacampeão lutou muito e parecia que ia pegar a pole mas não foi forte o suficiente e fez apenas 220.162 mph para fechar na segunda posição. Ainda assim, um bom resultado para o neozelandês que vai largar na primeira fila.

O destaque negativo fica para Alexander Rossi e o trio da Penske. Os quatro pilotos, que geralmente são favoritos para a vitória e costumam fazer poles, hoje foram bem abaixo do que costumamos ver. Rossi ficou décimo primeiro pela Andretti. Pagenaud foi o melhor Chevrolet do grid mas apenas em quinto. Enquanto que Newgarden ficou em sétimo e Power somente em décimo quinto.

Confira como ficou o grid de largada para a prova do Texas:

A Foyt é realmente uma vergonha, mas o Andretti é uma vergonha maior
A Indy corre amanhã os 600km do Texas a partir das 21h45. Fique ligado que o resumão da prova você vai ver aqui no Indy Center Brasil. Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]