Post Page Advertisement [Top]

Colton Herta se tornou o primeiro vencedor da história da Harding Racing e o mais novo caubói da Indy
A IndyCar começou sua segunda etapa de 2019 com o brasileiro Hélio Castroneves feliz debaixo do capacete ao guiar o carro de 2 lugares que fez o ato promocional da corrida. O céu permanecia nublado como em quase todo o fim de semana. Antes disso, houve ainda uma certa polêmica em torno da curva 19, onde os carros alargavam os limites da pista. E muita expectativa em torno da primeira experiência da Indy no belo circuito texano projetado por Herman Tilke.

Will Power puxava a fila após marcar sua 56ª pole na carreira. Ao lado dele estava Alexander Rossi. Na segunda fila alinhava o veterano Ryan Hunter-Reay e a sensação de 2019 até agora, Colton Herta. E na terceira fila vinha a dupla da equipe Ganassi com Felix Rosenqvist e Scott Dixon. O carro madrinha saiu de cena e a bandeira verde foi acionada. Power se posicionou bem na curva 1 e passou na frente com boa vantagem para Rossi. O carro #28 se defendeu do ataque forte de Dixon que tentou passar por Herta, Hunter-Reay e Rossi mas que no final das contas não conseguiu passar ninguém e ficou em quinto.

Ainda na primeira volta, Zach Veach tomou um toque e saiu da pista. Rosenqvist largou muito mal e caiu para oitavo. Colton Herta ultrapassou Hunter-Reay e assumiu o terceiro posto. Na volta 2, Veach foi para os pits fazer reparos e perdeu uma volta. Rossi começou a pressionar a liderança de Will Power. Na terceira volta o americano foi pra cima com intensidade e quase tocou no para choque lateral do australiano. Power prevaleceu e se manteve na liderança.

A disputa começou a esquentar

Por algumas voltas a corrida foi morna mas com pouca separação dos carros. Na volta 9 algumas equipes do fundo começaram a antecipar as paradas. A SPM trouxe Ericsson para os pits. Na volta seguinte Hinchcliffe fez seu pit stop e foi multado financeiramente por infração de segurança. No meio do pelotão houve uma briga interessante onde Bourdais e Pigot se envolveram em um 3 wide enquanto disputavam posição e metiam uma volta em Zach Veach. Quem levou a melhor foi o carro #21.

Rosenqvist gastava enlouquecidamente seu Push to Pass enquanto seu carro estava errático na pista e com um péssimo desempenho. Logo a equipe chamou o carro #10 para sua parada. Lá na frente, Power abriu 1.9s de diferença para Rossi. Pato O'Ward fez sua parada. Dixon e Hunter-Reay começaram a disputar a quarta colocação.

Na volta 12, Power aumentou sua vantagem para 2.5s e Hunter-Reay entrou nos pits. Na volta 13 foi Colton Herta que entrou e fez seu pit. Power apertou mais o seu ritmo e abriu para 3.1s a diferença. Dixon começou a sofrer com desgaste e foi ultrapassado por Graham Rahal. Como reação, Dixon imediatamente entrou nos pits e colocou pneus novos para recuperar desempenho. Rossi e Power também fizeram suas paradas e na saída voltaram a frente de Colton Herta. Rossi com pneus frios não aguentou a pressão de Herta e foi superado pelo #88 que se intrometeu na briga pela liderança.

Não rola punição por qualquer toque de corrida

Rahal parou na volta 14 e foi multado por equipamento fora do pit. Power abriu 2s para Colton Herta. Rahal voltou pra pista e iniciou uma disputa com Pato O'Ward enquanto Santino Ferrucci estava bloqueando ambos na frente. Pato O'Ward ganhou o duelo na volta 16. Pigot se aproveitou da disputa e se aproximou de Rahal passando a pressioná-lo. Dixon espremeu Sato contra Jack Harvey e o incidente foi para investigação. A direção de prova não puniu ninguém. 

Na volta 17, Rossi se aproximou novamente de Herta e passou a lutar pela segunda posição. Hunter-Reay, que havia perdido a quarta posição na estratégia, passou a atacar Newgarden. Já na volta 19, Alexander Rossi continuava caçando Colton Herta mas sem resultado efetivo. Na volta 20, Rosenqvist seguia perdendo rendimento e gastando seu push to pass. Nada funcionava para o sueco e ele foi ultrapassado pelo compatriota Marcus Ericsson. Pagenaud fez uma parada. Na volta 21 foi a vez de Spencer Pigot deixar Rosenqvist para trás. Herta fritou os pneus e Rossi atacou forte novamente. Na volta 22, Rossi finalmente conseguiu retomar a vice liderança depois de ter imensa dificuldade contra o "calouro" do carro #88. 

Rosenqvist e Sato foram para o pit na volta 23. Newgarden usou seu push to pass para respirar um pouco a frente de Hunter-Reay. Ericsson fez sua parada na volta 24 e Hinchcliffe entrou na volta 25. Rahal ganhou a sétima posição sobre Santino Ferrucci enquanto Pato O'Ward parou na volta 26. Leist parou e foi multado por infração de segurança. Outra vez né Foyt!

Dixon também passou por Ferrucci e o carro #19 resolveu que era hora de parar porque seus pneus haviam acabado. Junto com Ferrucci entraram Bourdais, Rahal e Hunter-Reay. Herta e Dixon foram para os pits na volta 28. Na volta 29, o neozelandês ainda estava com pneus frios e foi superado por Rahal.

Duelo entre Power e Rossi

Power e Rossi entraram nos pits juntos na volta 30. Foi a vez de Kyle Kaiser receber a sua multa por infração de segurança. Ed Jones tocou Ferrucci que ao sair da pista acabou decolando levemente seu carro por conta da zebra. Power manteve 1.2s de vantagem na volta 31. Hunter-Reay atacou Ericsson na volta 32. Rossi usou o push to pass e cortou a diferença para apenas 0.8s na volta 34. Ericsson rodou na curva 12 mas houve apenas uma amarela local.

Power estava muito nervoso no rádio com a sua equipe mas foi orientado a usar o push to pass para ficar mais tranquilo. Então Power obedeceu a ordem da equipe e na volta 36 ele usou seu push to pass e voltou a abrir alguma diferença. Rosenqvist perdeu sua traseira e rodou mas novamente apenas uma amarela local foi acionada. Dixon foi pra cima de Pato O'Ward e ganhou a sétima posição. A prova ainda estava próxima da metade mas já tinha 130 ultrapassagens porém nenhuma troca de liderança.

Na volta 38 Rossi tornou a atacar o líder Will Power. Rahal também passou a atacar Pato O'Ward. Na volta 40 os líderes se aproximaram de Kyle Kaiser que literalmente saiu da pista para não interferir na disputa pela vitória. No meio do pelotão Bourdais tentou passar Marco Andretti e foi jogado para fora da pista para não ganhar a posição. Rossi grudou em Power na volta 41.

A diferença continuava pequena e o carro #12 ainda tinha que jogar com a estratégia para não entregar a vitória. Sato, Pato O'Ward e Felix Rosenqvist fizeram suas paradas na volta 42. Na volta 43, Ericsson fez seu pit stop e num erro do seu mecânico quase colidiu com Spencer Pigot dentro dos boxes. A direção de prova passou a investigar o incidente. Colton Herta parou na volta 44. Newgarden, Hunter-Reay e Rahal entraram logo em seguida. 

Felix Rosenqvist logo após bater no muro
Amarela embaralha toda a corrida

Na volta 45, Hinchcliffe tocou Rosenqvist que bateu no muro na entrada dos pits e teve seu bico danificado. O acidente causou a única bandeira amarela da prova. Hinchcliffe teve seu pneu furado no toque. Os comissários analisaram o toque de Hinchcliffe e ele não foi punido. Leist estava sem combustível e precisou fazer um splash and go com os pits fechados. 

Roger Penske observando 100 mil dólares se perderem ao vento
Quando os pits abriram, Power, Rossi e Dixon entraram nos pits. Rossi e Dixon saíram sem problemas mas Power teve problema de embreagem e abandonou a prova dando adeus aos 100 mil dólares que já estavam quase garantidos. Power ficou revoltado e incrédulo no cockpit do seu carro. Roger Penske olhava a distância de forma inconsolável.

A duração da amarela foi longa para reordenar o pelotão e limpar a pista. Nesse meio tempo, Ericsson foi punido pela saída perigosa no pit, Leist e Chilton foram punidos porque pararam com o pit fechado. Os 3 carros foram conduzidos ao final do pelotão. Power, Hunter-Reay e Rosenqvist receberam multas por infrações de segurança no pit.

Rossi voltou em décimo quarto e Dixon em décimo quinto. Rosenqvist voltou para a corrida com 4 voltas a menos. A liderança caiu no colo de Colton Herta e a relargada aconteceu na volta 50. Herta se manteve calmo e não deu chances para os concorrentes. Newgarden se segurou em segundo e Hunter-Reay jogou Rahal pra fora da pista para permanecer em terceiro. No fundo do pelotão, Rossi tocou com Pagenaud enquanto que Veach foi tocado por Pagenaud e logo depois por Dixon.

Herta entra para a história da Indy

Rossi estava agressivo para tentar diminuir o prejuízo de parar somente na amarela e passou Dixon na volta 52. A partir desse momento, Herta se manteve soberano na ponta e ainda arriscou o push to pass para cravar a volta mais rápida na volta 54. Rossi e Pigot ultrapassaram Ed Jones. Na volta 55, Tony Kanaan que estava apagadissímo também apareceu ultrapassando Ed Jones. Na volta 58, Hunter-Reay tentou ameaçar a vice liderança de Newgarden enquanto Herta disparou até receber a quadriculada e vencer a corrida. Além da vitória, Herta faturou a premiação de 100 mil dólares do vitorioso.

Herta superou Rahal e agora é o vencedor mais jovem da história da IndyCar aos 18 anos, 11 meses e 22 dias
Confira o resultado final do GP de Austin:


Com 189 ultrapassagens em Austin, a Indy mostrou ao mundo o quanto a F1 é chata em qualquer pista
Após 2 etapas a classificação do campeonato agora está assim:


O segundo lugar hoje manteve Newgarden na liderança do campeonato
E para finalizar a briga dos fabricantes Honda x Chevrolet está desse jeito:

Honda dá o troco e agora lidera o campeonato dos motores
No geral a corrida foi muito empolgante apesar de haver só uma troca de liderança. A Indy usou e abusou das multas ao invés de punir com mais rigor as inúmeras barbeiragens das equipes pequenas nos boxes. A curva 19 não fez nenhuma vítima na corrida ao contrário do que se esperava. E agora a IndyCar retorna a ação em Barber no Alabama nos dias 5, 6 e 7 de abril para a terceira etapa do campeonato de 2019! Até a próxima!

2 comentários:

  1. Ótima corrida, porém o ponto a se discutir, será que COTA conseguirá se manter no calendário. Achei o público no autódromo razoável, não sei até que ponto fazer 2 corridas no Texas pode impactar a presença de público em cada corrida. A verdade é, pelo espetáculo que vimos hoje, Indy merece um público de F1 nessa pista.

    ResponderExcluir

Bottom Ad [Post Page]