Post Page Advertisement [Top]

O canadense sofreu várias lesões e fraturas na batida durante a prova de Pocono, foi transferido para Indianápolis, já respira sem assistência média e conversou com sua família.
Nesse período em que estava no hospital, Wickens se sagrou matematicamente o novato do ano, já que nem Zach Veach, nem Matheus Leist não conseguirá descontar a diferença para o canadense.
Uma semana após o forte acidente sofrido durante a AB Supply 500, disputada em Pocono no dia 19 de agosto, Robert Wickens ainda permanecia no Leigh Valley Hospital - Cedar Crest, na Pensilvânia, se recuperando e passando por cirurgias.

Depois de passar por uma cirurgia para estabilizar lesões e fraturas na coluna, a equipe média realizou mais duas cirurgias no dia 24 de agosto, uma em seu braço direito e outra nos seus tornozelos e na área próxima a panturrilha, para sanar fraturas. Ambas ocorreram sem complicações.

No dia seguinte, em 25 de agosto, Wickens se recuperou das cirurgias e, pela primeira vez, respirava sem assistência de aparelhos. Nesse mesmo dia, Wickens recebeu visita de sua família e de amigos, incluindo a família Andretti e companheiros que também pilotam na fórmula Indy.

Cinco dias depois, no dia 30 de agosto, o piloto canadense foi transferido do Leigh Valley Hospital - Cedar Crest para o Hospital Metodista, m Indianápolis, para mais cirurgias em suas pernas.

O último comunicado de seu estado médico veio anteontem (6 de setembro). Wickens passou por uma série de cirurgias em suas pernas e em suas mãos, onde é esperado que o canadense seja transferido para o centro de reabilitação do Hospital Metodista de Indianápolis e comece todo seu processo de reabilitação, fisioterapia e afins.
Espera-se que Wickens seja transferido para um centro de reabilitação nos próximos dias para iniciar o processo de recuperação. A gravidade da lesão medular que ele sofreu no incidente permanece indeterminada e sob avaliação. Os médicos enfatizam que pode levar semanas ou meses para que os efeitos completos da lesão sejam conhecidos.

"Queremos agradecer a todos pelo derramamento de amor, orações e energia positiva que nos foi enviada desde o acidente de Robert", disse a família Wickens em um comunicado. “Estamos impressionados com a força da comunidade da fórmula Indy e o apoio que recebemos vindo dela. Enquanto a recuperação e reabilitação de Robert continuarem nas próximas semanas e meses, suas mensagens amorosas certamente serão uma fonte de encorajamento para ele."
Marco, Newgarden e Hinchcliffe indo visitar Wickens enquanto este estava na Pensilvânia.
Houveram (na verdade ainda há) muitas especulações sobre a extensão de suas lesões e também das sequelas que Wickens pode receber devido ao acidente em Pocono. Muitos reclamaram da falta de notícias, tendo em vista que apenas duas atualizações médicas foram feitas nas últimas duas semanas, e em todos esses boletins, reportavam que a severidade e extensão da lesão medular sofrida pelo piloto é indeterminada.

A diminuição nas atualizações aconteceram por dois fatos. Primeiramente, aparentemente, houve um pedido da família para manter o processo de reabilitação parcialmente sigiloso, mantendo atualizações apenas com fatos. Em segundo lugar, não houveram grandes mudanças em seu estado de saúde desde a última grande atualização, que aconteceu no dia 25 de agosto, quando o piloto começou a respirar sem auxílio de aparelhos médicos; Wickens passa por reabilitação de suas fraturas no momento, com algumas cirurgias para reabilitação de suas fraturas em seus membros, e segue em estado estável desde então.

Outro ponto é que as lesões sofridas na medula e na coluna vertebral passaram por cirurgia ainda na primeira semana após o acidente, mas a extensão e severidade dessas lesões e fraturas só será conhecida quando a coluna sofrer um maior esforço físico. Ou seja, só dá pra saber maiores detalhes de extensão e sequelas oriundas dessas lesões quando o piloto se sentar, levantar, andar ou fazer fisioterapia. Avaliar extensão de lesão na coluna com o piloto apenas deitado e sem se mexer constantemente é leviano e pouco preciso. 

Por esse motivo, depois de estabilizar essas lesões, as fraturas nas pernas e nos braços passaram a ser a prioridade da junta médica, para que o piloto possa se mexer e locomover melhor. Assim, com uma maior mobilidade do piloto, os médicos poderão avaliar se houve ou não sequelas em decorrência dos problemas em sua coluna e medula.

E, para finalizar, na última atualização médica, realizada no dia 6 de setembro, foram informadas todas as lesões que Robert Wickens sofreu. o canadense teve:
  • Uma fratura torácico-vertebral (em um dos ossinhos da coluna que ficam na altura do tórax), em conjunto com um ferimento na medula espinhal e uma contusão pulmonar.
  • Uma fratura no pescoço;
  • Quatro costelas quebradas;
  • Fratura das duas tíbias e fíbulas (os ossos da perna na altura da panturrilha);
  • Múltiplas fraturas nos membros superiores, incluindo nas duas mãos, no cotovelo e antebraço direito.
Assim, Wickens tem várias fraturas em seus membros inferiores e superiores, por esse motivo ele não se move muito, e não é possível saber com precisão sobre as sequelas das lesões e fraturas sofridas na coluna.

A única solução para saber como Robert Wickens sairá desse acidente é esperar, e esperar pelo melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]