Post Page Advertisement [Top]

Canadense da SPM contou ainda com uma bandeira amarela nas últimas voltas e erro de estratégia da Penske para consolidar a sua primeira vitória na temporada. Tony Kanaan e Matheus Leis vão mal e terminam em 17º e 22º, respectivamente.

A corrida

Na largada, Will Power segurou bem a ponta e travou as investidas de Josef Newgarden, que precisou se virar para segurar Ryan Hunter-Reay. Logo atrás, Alexander Rossi passava Simon Pagenaud por baixo e tomava um troco por cima.
 
James Hinchcliffe já subia para sexto, enquanto Robert Wickens, que atacava Scott Dixon, caía para a nona colocação. Lá no fundo, Tony Kanaan e Gabby Chaves perderam bastante terreno, com Matheus Leist mantido em último.
 
Foram apenas 11 voltas para que começasse o famoso tráfego de Iowa. Power enquadrou Leist e deixou o brasileiro e Chaves volta atrasados, iniciando a escalada para deixar o pelotão fora da volta do líder.
 
Na 24ª volta, Power escorregou atrás do retardatário Marco Andretti e quase foi para o muro. Mas era o suficiente para perder a liderança para Newgarden, que vinha mesmo mais veloz. Bem também estava Hinchcliffe, que já adentrava o top-5.

Enquanto Newgarden abria mais de 8s para Power, Hinch seguia escalando o grupo de forma espetacular. Ousado, o canadense balançava o carro e ia tirando um por um do caminho, até chegar no australiano no giro 43. Passou de passagem para ser vice-líder.
 
A volta 45 tinha as primeiras paradas com Chaves e os brasileiros da Foyt, mas para Leist o problema era bem maior. O gaúcho abandonava ali mesmo num final de semana em que deu tudo errado.

As estratégias começavam a se misturar na volta 70, com bastante gente antecipando a parada para tirar muito ritmo - coisa de 3s - em relação aos líderes. Newgarden só foi parar na volta 80, junto com Power, Wickens e Rossi, que deixava o carro morrer e perdia bastante tempo. Veach estava nessa turma e deixou os boxes mesmo com o carro em chamas.
 
No reposicionamento, com todo mundo tendo feito a primeira parada, Newgarden tinha 4s6 de frente para Hinchcliffe. Pagenaud, Hunter-Reay, Pigot, Sato, Power, Jones, Wickens e Bourdais fechavam o top-10 com apenas nove carros na mesma volta.

Enquanto Rossi fechava feio Veach, que tentava dar uma volta no #27, Power fazia o mesmo com o líder Newgarden, que já começava a ver Hinchcliffe no retrovisor. Logo atrás quem aparecia era Pigot, em uma exibição de gala, já no terceiro lugar e forçando ritmo. 
 
Muito lento a corrida toda, Chaves abandonava perto da volta 120, deixando a corrida com 20 carros. Apenas seis carros seguiam na mesma volta do líder, com Sato passando Pagenaud pelo quarto posto.

A volta 139 teve a primeira bandeira amarela da ótima corrida em Newton. Veach foi perdendo o carro, perdendo o carro até dar no muro. O americano vinha na nona colocação - e seguia por ali, sem maiores danos aparentes no bólido.
 
Os quatro primeiros colocados foram juntos aos boxes e mantiveram suas posições: Newgarden, Hinch, Pigot e Sato. Outros seis apareciam na mesma volta com a amarela: Pagenaud, Hunter-Reay, Wickens, Power, Carpenter e Rahal.

A relargada veio na volta 151, com Veach mostrando que estava, sim, com problemas e ficando parado nos boxes. Newgarden voltou a sair muito bem e um belo pega pelo segundo lugar aconteceu: Pigot partiu para cima de Hinch e até virou segundo, mas tomou o troco do canadense na sequência. Corrida imensa de ambos.
 
Sato superava Pigot perto já da volta 190 e Hinch, livre dos dois, encostava e muito em Newgarden, desenhando uma briga pela vitória antes mesmo da rodada final de paradas. Quinto, Wickens passava de passagem por Pagenaud.

A volta 213 causava um bolo gigantesco nas primeiras posições. Hinch se aproximava de Newgarden, mas escorregava e perdia o segundo lugar para Sato e já via Pigot colando. Os quatro ponteiros apareciam separados por meros 2s.
 
Dos primeiros colocados, Pigot e Hunter-Reay - com algum tipo de problema mecânico - foram os primeiros a irem aos boxes, com Newgarden, Hinch e Power repetindo a escolha na volta seguinte. Wickens, Pagenaud, Rahal e Sato também pararam.
 
E o reposicionamento indicava mudança na segunda colocação: a tática de Pigot de parar uma volta antes dos rivais, o undercut, deu certo e era o americano o novo perseguidor de Newgarden. A ordem era Newgarden, Pigot, Hinch, Wickens, Sato, Pagenaud, Power, Rahal, Carpenter e Dixon, com apenas os sete primeiros na mesma volta.

Na volta 252, Hinchcliffe passava Pigot e partia para o ataque em cima de Newgarden. Com muita ação, o canadense parecia já se transformar no grande favorito à vitória. E Pigot escoltava os dois.

E demorou pouquíssimo para que o canadense convertesse aquilo em liderança. Hinch mergulhou em cima de Newgarden e, no meio de vários retardatários, assumiu a dianteira. E escapou ali na frente.

Enquanto Pigot tentava encostar em Newgarden, mais uma leva de retardatários apareceu e atrapalhou o americano, que acabou perdendo o lugar no pódio para Wickens com 18 voltas para o fim.

No finalzinho da prova, faltando sete voltas, Ed Carpenter tocou em Takuma Sato e rodou, causando a última amarela da prova. Newgarden e Wickens entraram para colocar pneus novos, mas erraram na estratégia e a Indy encerrou a prova na volta 300 sob bandeira amarela. 

Confira abaixo o resultado final da prova: 



A próxima etapa da Indy é neste domingo (15), em Toronto. Ate lá!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]