Post Page Advertisement [Top]

Neozelandês da Ganassi consegue se distanciar de Pagenaud e Rossi e conquista a sua segunda vitória na temporada, além da liderança do campeonato. Tony Kanaan e Matheus tem problemas e abandonam no começo, terminando nas duas últimas posições.
Logo na largada, o pole position Josef Newgarden segurou a pressão de Simon Pagenaud e manteve a ponta, seguido por Will Power em terceiro. Sexto do grid, Tony Kanaan chegou a ocupar a quarta posição, mas não conseguiu segurar o posto e voltou para sexto.
Seis voltas mais tarde, o carro de Matheus Leist, companheiro de equipe de Kanaan na A.J. Foyt, perdeu potência na curva 1 e já lento na pista começou a pegar fogo. Matheus encostou seu carro e saltou rapidamente dele, em um incidente que causou a primeira bandeira amarela da corrida.
Logo após a relargada, autorizada na 15ª volta, Newgarden seguiu na ponta e quem conseguiu se dar bem foi Will Power, que fez bom uso do vácuo para ultrapassar Simon Pagenaud. Mais atrás, Zach Veach ultrapassava Takuma Sato e James Hinchcliffe e assumia a décima posição.
Depois do incêndio no carro causar o abandono de Matheus Leist, quem começou a enfrentar problemas, mas na suspensão do carro, foi Tony Kanaan, que chegou a tocar no muro antes de parar nos pits.
Mesmo perdendo 13 voltas parado nos pits, Kanaan ainda voltou para a pista. Algumas voltas mais tarde, Kanaan voltou aos pits para abandonar a prova de vez.
Com 70 das 248 voltas completadas e todos tendo parado para reabastecer e trocar pneus, a liderança passou a ser de Simon Pagenaud, com Newgarden em segundo e Power em terceiro. Mas 15 voltas mais tarde, Robert Wickens colocou a faca entre os dentes, ultrapassou Power e Newgarden para assumir a segunda posição.
Dez voltas depois, foi a vez de Wickens, que estreou na Indy neste ano vindo do DTM, investir sobre Pagenaud e assumir a liderança.
Com pouco mais da metade da corrida percorrida e todos os pilotos tendo parado para reabastecer e trocar pneus, a liderança mudou de mãos e passou a ser de Scott Dixon, com Wickens em segundo e Newgarden em terceiro.
Pouco depois, foi a vez de Alexander Rossi ultrapassar Newgarden e Wickens para ser o novo segundo colocado. A essa altura, Scott Dixon seguia líder absoluto, quase 12 segundos, ou meia volta à frente de Rossi.
Na volta 173, Robert Wickens e Ed Carpenter se tocaram e ambos acabaram no muro da curva 4 do circuito do Texas enquanto Wickens passava pelo retardatário Carpenter, causando a segunda bandeira amarela da corrida.
Na relargada, autorizada na volta 186, Scott Dixon, que aproveitou a bandeira amarela para reabastecer e trocar pneus, acelerou forte para se manter na ponta, seguido por Simon Pagenaud em segundo e James Hinchcliffe, que pouco depois perdeu a terceira posição para Ryan Hunter-Reay.
Poucas voltas mais tarde, Alexander Rossi foi para cima, ultrapassou Hinchcliffe e Hunter-Reay para assumir a terceira posição.
Na volta 205, Zachary Claman de Melo tentou ultrapassar Will Power por fora, resultando no acidente que provocou a terceira bandeira amarela da prova e nova intervenção do safety car.
Mais uma vez aproveitando a bandeira amarela, os cinco primeiros, puxados por Scott Dixon, foram para os pits para trocar pneus e reabastecer em uma tentativa de evitar mais uma parada.
Após a relargada, autorizada a 33 voltas do fim, Dixon acelerou forte para se segurar na ponta e mesmo pressionado por Simon Pagenaud, soube segurar o francês para cruzar a linha de chegada na primeira posição. Rossi tentou passar o francês da Penske nas voltas finais, mas não conseguiu e terminou em terceiro.
Confira abaixo o resultado final da prova:

A próxima etapa da IndyCar é no dia 24 de junho, em Road America. Até lá!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]