• Will Power dribla acidentes e vence a Indy 500 pela primeira vez

    Australiano largou da terceira posição e após boa estratégia conquistou a 17ª vitória da Penske na lendária prova. Helinho e Tony bateram sozinhos e terminaram em 27º e 25º, respectivamente. Matheus Leist terminou em 13º.
    A corrida
    Logo na largada, Ed Carpenter, que pela terceira vez em sua carreira largou da pole position na Indy 500, acelerou forte e manteve a ponta, enquanto Will Power, terceiro do grid, tomava a segunda posição de Simon Pagenaud.
    Mais atrás, Tony Kanaan, décimo do grid, fez uma boa largada e completou a primeira volta em sexto. Helio Castroneves manteve a oitava posição da largada, mas Matheus Leist caiu de 11º para 13º. 
    Danica Patrick, que na Indy 500 deste ano dez sua despedida das pistas, não conseguiu largar bem e da sétima posição do grid caiu para o 12º posto. A partir da 14ª volta, Danica começou a reclamar pelo rádio que seu carro estava saindo muito de frente nas curvas e a piloto norte-americana começou a enfrentar dificuldades para segurar Leist, que a seguia de perto. 
    Na 30ª volta os pilotos começaram a entrar nos pits para troca de pneus e reabastecimento e quem inaugurou os trabalhos foi justamente Danica, seguida por Kanaan. Duas voltas mais tarde foi a vez de Carpenter parar. 
    Após todas as paradas, Carpenter conseguiu voltar à liderança, seguido por Kanaan, que escolheu bem a hora de parar para saltar da sexta para a segunda posição. Castroneves também se deu bem após as paradas e pulou de oitavo para quinto. Quem não deu sorte foi Leist, que acabou perdendo duas posições após seu pitstop, caindo de 12º para 14º. 
    Na 48ª volta, James Davison, que não fazia uma boa corrida, há tempos reclamava que seu carro estava saindo muito de traseira e seguia lento na pista, foi atingido pelo carro de Takuma Sato, causando o abandono de ambos e acionando o safety car pela primeira vez.
    Com o carro de segurança na pista, muitos pilotos aproveitaram para entrar nos pits e a liderança mudou para as mãos de Zachary Claman de Melo, que optou por ficar na pista, seguido por Carpenter em segundo e Kanaan em terceiro. 
    Na relargada, autorizada na 55ª volta, De Melo acabou superado por Carpenter, que reassumiu a liderança, mas fechou a porta e conseguiu segurar Kanaan, mas pouco depois acabou ultrapassado, devolvendo o brasileiro à segunda posição. Três voltas mais tarde, Ed Jones rodou na entrada da reta oposta, bateu no muro causou a segunda bandeira amarela da prova. 
    Na relargada, autorizada na 64ª volta, Kanaan grudou no vácuo de Carpenter, tomou a liderança das mãos do norte-americano. Pouco depois o brasileiro recebeu o troco e voltou para a segunda posição.
    A bandeira amarela tremulou pela terceira vez na 68ª volta, após Danica Patrick rodar também na entrada da reta oposta e bater no muro. Um final de prova amargo para a piloto que se despediu das pistas nesta Indy 500.
    A relargada foi autorizada na 74ª volta e mais uma vez Kanaan fez bom uso do vácuo para tomar a ponta de Carpenter, mas desta vez o pole position não conseguiu dar o troco e o vencedor da Indy 500 de 2013 conseguiu se manter na ponta. 
    Enquanto isso, Helio Castroneves seguia em quinto e Matheus Leist ganhava um posto e subia de 15º para 14º. 
    Exatamente com metade da prova completada, Kanaan, que nove voltas antes tinha parado para trocar pneus e reabastecer, precisou voltar aos pits por causa de um pneu furado e caiu para 25º. 
    Três voltas mais tarde, Zach Veach teve um princípio de incêndio em seu carro durante seu pitstop, mas tudo não passou de um susto, pois o fogo logo se apagou assim que o piloto voltou para a pista.
    Com 109 voltas completadas e todos os pilotos tendo feito suas paradas, Will Power passou à liderança, com Carpenter em segundo e Pagenaud em terceiro. 
    Faltando 61 voltas para o fim da corrida Sebasten Bourdais perdeu o controle de seu carro, bateu no muro na entrada da curva 4 e causou a quarta bandeira amarela. Com o carro de segurança na pista, Carlos Muñoz entrou para fazer seu pitstop e devolveu a liderança a Will Power. 
    Na relargada, autorizada na 145ª volta, Power afundou o pé no acelerador para segurar a liderança, seguido por Ed Carpenter. Mais atrás, Alexander Rossi, que largou em penúltimo e fazia boa corrida de recuperação, acelerou forte e superou Sage Karam e Marco Andretti, praticamente ao mesmo tempo para assumir a sexta posição. 
    Uma volta mais tarde, Helio Castroneves, então quinto colocado, rodou sozinho na saída da curva 4, bateu no muro e provocou a quinta bandeira amarela da prova. Pouco depois da relargada, autorizada a 46 voltas do final, Sage Karam escapou na saída da curva 4, bateu no muro e a bandeira amarela voltou a tremular, acionando o safety car pela sexta vez.
    Faltando 38 voltas para o final, mais uma relargada foi autorizada e Power seguiu na ponta. Enquanto isso, Alexander Rossi atacava Ed Carpenter na tentativa de assumir a segunda posição. 
    Mais atrás, Tony Kanaan acelerou forte, ultrapassou Oriol Servià, Carlos Muñoz, Gabby Chaves, JR Hildebrand e saltou de 13º para nono. 
    Faltando 12 voltas para o fim da prova, Tony Kanaan rodou, bateu no muro interno da pista e colocou o safety car pela oitava vez na pista. Com o abandono de Tony, o Brasil só ficou com Matheus Leist na pista, então 18º. 
    Na relargada, autorizada a sete voltas do fim, Will Power acelerou forte, superou Oriol Servià e após as paradas de Jack Harvey e Stefan Wilson nos pits, ganhou a liderança e a vitória de presente.
    Confira abaixo o resultado final da prova:

    No próximo final de semana (1-3 de junho), tem a rodada dupla nas ruas da Belle Isle em Detroit. Até lá!!
  • POSTAGENS RELACIONADAS

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário