• Pro Mazda: Thompson e Scott vencem em Barber

    Parker Thompson e Harrison Scott, além de conseguirem suas primeiras vitórias na temporada, proporcionaram as primeiras vitórias de duas das três equipes estreantes no campeonato.
    A Pro Mazda voltou para as pistas depois de 45 dias sem correr para a segunda etapa do campeonato, que aconteceu no Barber Motorsports Park. Os mesmos dezesseis carros que competiram na etapa anterior em St. Pete vieram para o Alabama, mas houve uma substituição no #11 da DEForce Racing, onde o inglês James Raven desistiu da pro Mazda e foi para a F4 USA (pela própria DEForce) e, em seu lugar, entrou o americano Kory Enders, que disputou as corridas de St. Pete pela USFS2000 (na DEForce também, a equipe é bem abrangente).

    Logo na sexta de manhã tivemos o único treino livre do fim de semana, e nele se viu o equilíbrio que há atualmente na categoria, com as seis equipes do certame conseguindo posicionar pelo menos um carro entre os sete primeiros. Entretanto, o melhor tempo mostrou a melhor forma do canadense Parker Thompson (Exclusive), que superou as dificuldades e fez o melhor tempo, ficando a frente de Robert Megennis (Juncos), David Malukas (BN), do brasileiro Rafael Martins (Pelfrey) e de Oliver Askew (Cape).


    Na sexta à tarde já aconteceu o treino classificatório para a primeira prova, que foi dominada por Thompson. O canadense fez o melhor tempo tanto antes da parada geral para troca de pneus quanto após ela, e foi o único a baixar de 1:17 e fazendo a pole. Harrison Scott achou um bom tempo nos segundos finais de sessão e conseguiu um lugar na primeira fila, superando o tempo feito por David Malukas na primeira parte do treino. Para salvar a pátria da Juncos Racing, atual campeã, Carlos Cunha, que não tinha o melhor ajuste para a prova mas tinha um bom para as qualificações, e Robert Megennis conseguem melhorar seus tempos nas duas últimas voltas rápidas, e sobem para o quarto e quinto lugares, respectivamente. Rafael Martins vinha bem na sessão e figurou no terceiro lugar na primeira parte da sessão, mas não conseguiu melhorar seu tempo com pneus novos e acabou caindo para a quarta fila, no oitavo lugar.

    O segundo treino classificatório foi a próxima atividade da categoria em Barber, realizado no sábado de manhã. Mas pouca coisa mudou, pois Parker Thompson novamente reinou sozinho e conseguiu a pole com quase quatro décimos de distância para o segundo colocado. Os três logo atrás de Thompson também foram os mesmos da sessão anterior, só que em ordem diferente, tendo em vista que Malukas e Cunha conseguiram superar Scott e largaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente, enquanto Scott se resignou com o quarto lugar. Oliver Askew e Robert Megennis vinham bem nessa sessão, mas, conforme a temperatura da pista ia aumentando seus rendimentos foram caindo, e eles foram superados pelos dois latinos da Pelfrey: Rafael Martins e Andres Gutierrez, que fecharam o Top 5 no grid da prova 2.


    Pro Mazda Grand Prix of Alabama Presented by Cooper Tires Race 1


    A largada da corrida 1 foi dada com sol e tempo seco e, como é típico da Pro Mazda, houve confusão. O grid todo estava muito lento pois Parker Thompson, o pole position, escolheu ir bem lento durante a reta até a bandeira verde, e isso causou problemas no fim do grid. Antonio Serravale praticamente atropelando o carro de Kory Enders, que vinha logo a frente, e Charles Finelli teve de desviar do pelotão para não fazer o mesmo com Kris Wright.

    Mas, mesmo assim, tivemos bandeira verde.

    Thompson largou bem e permaneceu na ponta, bem como Harrison Scott em segundo e David Malukas em terceiro. Carlos Cunha largou mal e foi ultrapassado por Gutierrez, Megennis e VeeKay antes mesmo da curva cinco. No hairpin (também conhecido como curva cinco), Cunha pisou na brita na saída da curva e perdeu posição para Rafael Martins, ficando no nono lugar.

    Thompson completou a primeira volta em primeiro, seguido por Scott, Malukas, Gutierrez, Megennis, VeeKay, Martins, Askew, Cunha, Enders, Laurini, Robb, Wright e Finelli. Isso porque, na saída da última curva Antonio Serravale saiu de traseira e atropelou uma das placas de isopor, danificando seu carro e trazendo detritos para a pista. Bandeira amarela.


    Pouco antes da bandeira amarela, Megennis passou direto na curva um, indo parar na brita. Conseguiu sair, mas danificou sua asa e voltou no fim do grid.

    Bandeira verde na volta três de vinte e cinco previstas, e todos se acalmaram. Thompson e Scott abriam distância de Malukas, Gutierrez, VeeKay e Martins, que brigavam por um lugar no pódio. Mais atrás, Oliver Askew se separava de Kory Enders (que passou Cunha no hairpin na quinta volta) e de Sting Ray Robb (que passou Cunha na volta sete, também no hairpin).

    Cunha, depois da sequência complicada e sem o ajuste ideal para a corrida, teve de segurar Nikita Lastochkin para permanecer no top 10 ao fim das 25 voltas. O brasileiro não teve ritmo para ameaçar Sting Ray Robb, que terminou em nono, e Kory Enders, que terminou em oitavo na prova 1.

    Oliver Askew passou a maior parte da prova sozinho, sendo mais rápido que Enders mas mais lento que Martins e o grupo que brigava pelo terceiro lugar. O americano campeão da Pro Mazda conseguiu se aproximar no fim da prova, quando os pneus de Martins já estavam bastante desgastados, mas não conseguiu fazer um movimento de ultrapassagem sequer e acabou tendo de se resignar com o sétimo lugar, com Rafael Martins terminando na sua melhor colocação até aqui na Pro Mazda, em sexto.

    Na briga pelo pódio, Malukas conseguiu se defender bem de Andres Gutierrez, conseguindo manter um bom ritmo e não ser atacado pelo piloto da Pelfrey até a volta quinze, quando seus pneus começaram a se desgastar e o piloto da BN a perder tempo e ter de se defender dos ataques de Gutierrez. Entretanto, esses ataques não foram tão ferozes, pois logo Rinus VeeKay se aproximou dos dois e Gutierrez também passou para o modo defensivo. Como resultado, nada mudou: Malukas terminou em terceiro, Gutierrez em quarto e VeeKay em quinto.

    Lá na frente ocorreu a briga mais sem graça. Thompson começou a imprimir o bom ritmo que apresentou durante todo o fim de semana e abria de três a quatro décimos de Scott por volta. No fim, veio a diferença de cinco segundos e a vitória!

    Pro Mazda Grand Prix of Alabama Presented by Cooper Tires Race 2


    A corrida 2 veio no domingo de manhã com uma chuva leve, o que deixou os pilotos confusos sobre qual pneu usar: slicks ou de chuva. Os catorze carros (já que Antonio Serravale e Charles Finelli não largaram devido aos problemas do dia anterior).

    No fim, todos largaram de pneus slicks, com a bandeira verde vindo na segunda volta a pedido dos próprios pilotos. Thompson largou bem e disparou na ponta, enquanto Malukas e Cunha largaram meio mal e deixaram Harrison Scott pular do quarto para o segundo lugar na curva um. Cunha acabou ficando na parte molhada da pista, o que fez com que seus pneus perdessem temperatura e o carro perdesse desempenho; o campineiro perdeu posição também para Martins, Gutierrez, Askew e VeeKay antes mesmo da curva cinco.

    Na curva cinco, Malukas não vinha tão bem, dando oportunidade de Gutierrez e Martins emparelharem com ele, formando um 3-wide na freada do hairpin. Os dois pilotos da Pelfrey conseguem passar Malukas, e Gutierrez pula para o terceiro lugar, com Martins em quarto.

    Conforme a corrida seguia, os carros começaram a se separar em grupinhos. Thompson, Scott e Gutierrez abriam um pouco de Martins, que segurava Malukas, VeeKay, Askew e Cunha pelo quarto lugar.

    No grupo de trás, Martins e Malukas brigavam pelo quarto posto enquanto Askew tentava se defender da dupla da Juncos Racing. Quando VeeKay e cunha passaram Askew (nas voltas dois e três, respectivamente), ambos partiram a caça de Martins e Malukas, enquanto o piloto da Cape perdia rendimento e ia para a parte de trás do pelotão. Os quatro logo formaram um pelotão compacto, sempre entre um e dois segundos atrás do pelotão do líder.

    O grupo permaneceu imutável até a volta doze, quando a pressão de Malukas sobre Martins finalmente rendeu frutos para o americano e ele passou o brasileiro, assumindo o quarto lugar. Após tentar seguidas vezes colocar por dentro de Martins na curva cinco, Malukas esperou o brasileiro abrir a linha na curva catorze, se jogou por dentro e forçou a ultrapassagem; o movimento deu certo e ele assumiu o quarto lugar. Martins não tinha tempo para respirar, pois a dupla da juncos estava logo atrás. VeeKay tentou jogar por dentro logo na curva cinco da volta treze, mas não foi efetivo; tentou colocar por fora de Martins na curva catorze, um movimento contrário ao feito por Malukas, mas o brasileiro já estava vacinado e se defendeu bem.

    O movimento cabal viria na volta seguinte, e na mesma curva 14. Veekay colocou por dentro do carro da Pelfrey também, mas Martins diminuiu a linha e os dois contornaram a curva 15 lado a lado, quase se tocando; vendo isso, Carlos Cunha coloca por fora dos dois na curva quinze, ficando por dentro na curva seguinte e passando os dois na curva da vitória. Martins e VeeKay continuaram lado a lado até a freada da curva um, quando o holandês finalmente conseguiu concluir a ultrapassagem.

    Mais a frente, Thompson ficou líder da prova por apenas duas voltas. Harrison Scott aproveitou o bom momento da largada e colocou por dentro do canadense na curva cinco, conseguindo a ultrapassagem mesmo com Thompson quase o empurrando para fora da pista. A fechada de Thompson foi tão brusca que o piloto perdeu o ponto de freada, e Gutierrez também o passou.

    A formação Scott-Gutierrez-Thompson permaneceu próxima o tempo todo da prova, com a diferença girando em torno de meio a um segundo entre um e outro. Gutierrez se aproximou mais de Scott na volta soito, quando começou a pressionar mais fortemente e colocar seu carro ao lado do piloto da RP. Na volta dez, o piloto da Pelfrey saiu melhor da curva três e colocou por fora de Scott no hairpin, contornou toda a curva lado a lado com o inglês e, com a preferência na próxima curva e se colocando a frente na curva sete. Gutierrez finalmente toma a liderança.

    Essa formação permaneceu, com Gutierrez conseguindo manter quase um segundo de diferença para Scott e Thompson, enquanto Malukas, Cunha e Veekay chegavam para a festa, junto com Martins e Megennis. Havia menos de quatro segundos e meio de distância entre os nove primeiros.


    Daí veio a chuva.

    Na volta vinte o chuvisco que ia e voltava durante a prova finamente em Barber tomou força rapidamente. Os pilotos assaram a virar cerca de cinco segundos mais lentos de uma volta para outra, e quem se aproveitou foi Carlos Cunha, que passou Malukas na curva da vitória quando o oponente escorregou, assumindo o quarto lugar. VeeKay aproveitou o vácuo e passou o piloto da BN na curva um.

    Um dos pontos mais molhados era a chicane da curva sete. Scott viu novamente uma oportunidade de sair do segundo lugar e assumir a liderança, começando a pressionar Gutierrez novamente, quando os dois passam reto naquela curva. Scott quase não perde tempo e volta rápido para a pista, enquanto Gutierrez passsa por toda a caixa de brita e volta em oitavo lugar. Scott assume a ponta da prova. Cunha também passou direto na chicane, quase rodou, mas controlou bem o carro e se manteve em terceiro. 

    Bandeira amarela por causa da chuva, faltando cinco voltas pro fim. Não se sabia se haveria ou não relargada e os carros que estavam mais no fim do grid fizeram uma parada para pôr pneus de chuva e voar quando a bandeira verde viesse. Oliver Askew foi um dos que parou e saiu do nono para o 12º lugar.

    Mas não houve bandeira verde. Harrison Scott vence! Seguido por Parker Thompson e Carlos Cunha no pódio!


    Vale MUITO a pena ver a corrida 2 da Pro Mazda, tem link aqui:



    Com a vitória e o pódio nessa etapa, Parker Thompson saiu do vice para a ponta do campeonato, apenas quatro pontos a frente do ex-líder Rinus VeeKay e 23 pontos a frente de David Malukas, o terceiro. Carlos Cunha caiu para o quarto lugar do campeonato, mas se mantém forte na briga pelo título a apenas 25 pontos do líder, quando uma vitória pode valer até 33 pontos. Rafael Martins subiu do 13º para o 11º lugar, passando Lodovico Laurini e Antonio Serravale no campeonato.

    A próxima etapa é uma rodada dupla quase tripla: em Indianápolis, teremos duas corridas no circuito misto do Indianápolis Motor Speedway entre 10 e 11 de maio; e no dia 25 de maio teremos uma corrida no Lucas Oil Raceway, oval a nove quilômetros do IMS, para uma corrida de 90 voltas com pontuação aumentada. Nos vemos lá!
  • POSTAGENS RELACIONADAS

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário