• Indy Lights: os testes de primavera

    Num treino marcado mais pelas ausências do que pelas presenças, Ryan Norman e Santiago Urrutia foram os mais rápidos em Homstead-Miami.
    Depois de quase quatro meses congelados no inverno da pré-temporada, a Indy Lights novamente floresceu para o início da temporada 2018 e, para dar o pontapé inicial, foram feitos dois dias de trenos no Homstead-Miami Speedway.

    No entanto, das cinco equipes típicas da Indy Lights, apenas Juncos Racing, Andretti Autosport (e sua derivação com a Steinbrenner Racing) estiveram nos dois dias de treinos, e a Belardi Auto Racing participou apenas dos treinos em circuito misto. Team Pelfrey e Carlin continuaram ausentes, visto que também não participaram do Chris Griffis Memorial Test, em outubro do ano passado.

    Trevor Carlin, no início do ano, enquanto anunciava seus planos na Indy Principal, comentou que gostaria de alinhar ao menos dois carros na Indy Lights esse ano, e que ainda estava de olho em pilotos para ocupar ambas as vagas. A Team Pelfrey teve uma estabilização no número de carros que alinha nas mais diversas categorias que disputa (USF2000, Pro Mazda, F-1600 e afins), mas ainda não tem programa certo por falta de um orçamento completo para o Team Pelfrey IL; caso apareça um ou dois pilotos mais endinheirados, é possível a equipe operar.

    A Team Pelfrey IL e Gary Neal já tem o costume de anunciar em cima da hora os pilotos que compram são escolhidos em cima da hora para a primeira etapa em St. Pete, ainda mais que temos um ou dois pilotos que são costumeiramente pagantes mas ainda não anunciaram planos para 2018. Entretanto, o caso da Carlin é inédito desde que a equipe migrou para os Estados Unidos, e a demora é bastante preocupante, a ponto  de Dan Andersen declarar que "se houver dez ou mais carros na categoria em St. Pete ele estará muito feliz, mas essa é uma projeção muito otimista".

    Isso porque, além dois oito carros que vimos nesse teste, são esperados a presença praticamente certa de Nicolas Dapero (ainda não se sabe como terceiro carro da Juncos ou como carro da Team Pelfrey) da um pouco menos certa da presença de Juan Piedrahita pelo quinto ano na Indy Lights. Dan Andersen não está contando com a presença da Carlin em St. Pete.
    Grandes chances de Franzoni disputar contra apenas oito ou nove carros na Lights.
    Mas enfim, os treinos. No dia 23 de fevereiro, antes de abrir o circuito misto de Homstead, a Indy Lights fez duas sessões de três horas, uma pela manhã e outra no período da tarde. Com apenas Andretti e Juncos na pista, e a Andretti sendo melhor que a Juncos nos ovais em geral, vimos dois grupos distintos.

    Entre os Andretti, Ryan Norman foi um dos únicos a se dedicar a fazer voltas rápidas de qualificação, e conseguiu o melhor tempo do dia no finzinho da tarde, melhorando a marca que Colton Herta fez nas primeiras voltas da manhã. Dalton Kellett confirmou a boa forma em ovais com o terceiro tempo, pouco a frente de Pato O'Ward, que estava pegando quilometragem numa equipe boa de ovais, para variar. 

    Na categoria Juncos os dois estreantes Victor Franzoni e Alfons Celis tiveram seu primeiro embate que, na técnica, terminou empatado. Celis foi mais rápido que o brasileiro na primeira sessão, que foi a de estreia dos dois nos ovais. Quando ambos já estavam acostumados, Franzoni foi o mais rápido por pouco, mas foi, e terminou o dia a frente de seu companheiro de equipe.

    Depois de dois dias de pausa para USF2000 e Pro Mazda treinarem no misto, os carros da Indy lights voltaram à pista de Homstead-Miami. Dessa vez, a Belardi Auto Racing foi à pista, com o #5 de Santiago Urrutia e o #9 de Aaron Telitz.

    E foram justamente estes os primeiros colocados das duas sessões. Pela manhã, Telitz superou O'Ward por dois centésimos e fez o melhor tempo. Santiago Urrutia conseguiu se intrometer no quarteto da Andretti com o quarto melhor tempo, atrás de Kellett mas a frente de Norman e Herta. Franzoni fechou a tabela de tempos dessa vez.

    Na sessão á tarde foi a vez de Urrutia liderar. O uruguaio já detinha o melhor tempo, mais de um segundo mais rápido que o feito pela manhã e no fim do treino, quando apenas ele, Norman e Franzoni tentavam fazer voltas rápidas, ele baixou em quase meio segundo o melhor tempo e garantiu a ponta da tabela de tempos, quase meio segundo a frente de Norman, O'Ward e Telitz. Franzoni adquiriu boa quilometragem, foi o piloto a dar mais voltas na pista, e fechou o dia superando Dalton Kellett e Colton Herta.

    No fim, os treinos foram muito do mesmo e a verdade toda será revelada apenas na primeira etapa do campeonato, em St. Pete. Até lá!
  • POSTAGENS RELACIONADAS

    Um comentário:

    1. Uma pena, grid pequeno demais na Lights. Não sei qual a diferença de custos, mas é estranho que o último degrau pra indy tenha tão poucas equipes no grid.

      ResponderExcluir