Pro Mazda: Franzoni vence a etapa de Gateway e assume a liderança do campeonato

O brasileiro da Juncos conseguiu a vitória no único oval da temporada e consegue a ponta do campeonato. Carlos Cunha fechou seu fim de semana perfeito no terceiro lugar.


O penúltimo fim de semana da Pro Mazda foi marcada por ser o único em oval. Tipicamente os ovais afugentam alguns pilotos e equipes e nesse fim de semana não foi diferente, onde quase todos os piltos da categoria expert faltaram e as equipes ArmsUp e JDC não deram as caras. Com isso, apenas nove pilotos participaram das atividades em Gateway, formadas por um treino livre na sexta e o treino classificatório e as 55 voltas da corrida no sábado à tarde.

Nos treinos vimos mais do que vimos na temporada toda: Franzoni e Martin disputavam lá na frente, com a Team Pelfrey mais atrás e as outras equipes (apenas World Speed e FatBoy! nesse fim de semana) loteando o fim do grid. Entretanto, houve uma grata surpresa esse fim de semana, e ela veio na forma de Jeff Green; o americano de 60 (!!!) anos conseguiu andar no mesmo ritmo dos carros da Pelfrey e fez a briga no meio do pelotão mais interessante.

No duelo pessoal entre Victor Franzoni e Anthony Martin, o australiano da Cape se deu melhor nos treinos, com um ajuste de menor pressão aerodinâmica, Martin conseguiu o primeiro tempo no treino livre de sexta e a pole position no treino classificatório de sábado. Mais atrás, Carlos Cunha conseguiu ser o terceiro melhor na sexta mas, por um centésimo de segundo, TJ Fisher conseguiu o terceiro lugar no grid, com Nikita Lastochkin em quinto, pouca coisa a frente de Jeff Green.

St. Louis Pro Mazda Oval Challenge Presented by Cooper Tires


A largada, mesmo com apenas nove carros, não foi tranquila. Martin largou bem e conseguiu se manter por baixo na curva um, com Franzoni na linha de cima. Os pilotos que largaram por cima estiveram melhor, e tanto Cunha como Green largaram muito bem, com o brasileiro passando Fisher e Green passando Lastochkin antes antes mesmo da linha de largada/chegada. Green emparelhou com Fisher na entrada da curva um, se colocando na linha de cima, mas não conseguiu se sustenar e seu carro saiu de frente, rodando e acionando a bandeira amarela. Mais atrás, Brendan Puderbach, para evitar o carro de Jeff Green, pisou forte no freio e também saiud e frente. Ambos continuaram na prova, no fim do pelotão.

A relargada veio na volta três (de 55 totais). Os dois líderes, Martin e Franzoni, se emparelharam novamente, com o australiano na linha de baixo e o brasileiro na linha de cima. Mais atrás vinha Cunha, seguido de Fisher, Lastochkin, Sting Ray Robb, Bobby Eberle, Green e Puderbach.

Logo os pilotos se separaram em gruos na pista. Franzoni continuava atacando Martin pela linha de cima, enquanto Cunha se distanciava de Fisher, que abria distância de Lastochkin e do grupo mais de trás.

Por falar em mais atrás, Jeff Green vinha retomando sua posição e ritmo de corrida. Conseguiu se livrar dos dois pilotos da World Speed ainda na volta 14, e partiu a caça de Lastochkin. o comapnheiro de Franzoni na Juncos conseguiu descontar uma diferença de dez segundos e começou a fazer vários ataques sobre o russo da Pelfrey e, na volta 46 conseguiu passa-lo na curva três, quando emparelhou na linha de cima e, aproveitando que o russo se atrapalhava enquanto dava volta em Puderbach, o passou pela linha de cima e assumiu o quinto lugar. Jeff Green era mais rápido e tentou se aproximar de TJ Fisher, mas não houve tempo hábil e TJ terminou a prova no quarto lugar.

Mais a frente, Carlos Cunha dirigiu sozinho durante a prova toda, mostrando que já está a frente de seus companheiros de equipe e se encontra, nesse momento, no meio do caminho entre os dois primeiros do campeonato e o resto do grid, no terceiro lugar.

E, a briga pela ponta da prova durou boa parte das 55 voltas. Franzoni pressionava Martin pela linha de fora, pois o australiano se agarrava a linha branca que delimitava a pista em qualquer aproximação do brasileiro. Frequentemente Franzoni era mais rápido nas curvas 3/4 e emparelhava com Martin na entrada da curva um, mas com o australiano na linha de baixo, ele conseguia contornar melhor a curva e sair na frente na reta oposta. Isso aconteceu durante as primeiras 18 voltas, na abertura da 19ª, Franzoni emparelhou novamente por dentro, mas dessa vez ele tinha mais velocidade e conseguiu se manter lado a lado com Martin nas curvas 1/2, aproveitou sua vantagem e tinha mais momentum quando entrou na curva três, percorrendo-a pela linha de fora e conseguindo colocar seu carro a frente do de Martin na curva 4 e liderando a volta 19. Na reta principal, Franzoni desceu para a linha de baixo e, com a vantagem completou a ultrapassagem sobre Martin na entrada da curva um.

A partir daí, com um acerto melhor, Franzoni conseguiu abrir um pouco de distância e administrar as 35 voltas restantes, vencendo a prova!

No campeonato, o empate técnico entre Franzoni e Martin persiste, com a liderança do campeonato voltando as m]aos do brasileiro por apenas dois pontos (287 para Franzoni, 285 para Martin). Na briga pelo melhor Pelfrey, Cunha se aproximou ainda mais de Fisher, com apenas míseros cinco pontos entre eles e abrindo quinze pontos para Lastochkin (194 para Fisher, 189 para Cunha e 174 para Lastochkin).

A próxima etapa é a rodada dupla final em Watkins Glen. Quem vence? Voce confere por aqui, até lá!!!
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário