[PRO MAZDA] Eu não entendo mais nada nessa categoria

A categoria simplesmente decidiu ter metade de sua pré-temporada em três dias. No espaço do fim de semana até o dia de hoje surgiram equipes novas, equipes morreram, pilotos trocaram de equipe, equipes trocaram de pilotos e até a Juncos ressuscitou com Voctor Franzoni no time.
Vai ter um bocadinho mais de carros esse ano na Pro Mazda.
Venho por meio dessa desabafar um pouco. Estava acompanhando com afinco (tá, não com tanto afinco assim, as postagens sempre saíram atrasadas nesse site) e já estava com toda a minha preparação feita para acompanhar a Pro Mazda de uma forma essa temporada, mas ela mudou completamente do nada.

Até o fim da semana tínhamos cinco equipes e oito carros na categoria. 

A Team Pelfrey vinha com três pilotos: o brasileiro Carlos Cunha, o russo Nikita Lastochkin e o americano TJ Fischer, então o único piloto da categoria normal que não era estreante (Bobby Eberle correu sempre na categoria Master, própria para tiozões que nem ele). A equipe de amarelo e preto era favoritíssima, tendo apenas a Cape Motorsports com o piloto Anthony Martin a incomodar os três pilotos da Pelfrey. Além desses quatro, tínhamos a World Speed Motorsports, que vinha com o experiente Bobby Eberle na categoria Master e Sting Ray Robb, de apenas 15 anos, na equipe. Outro piloto confirmado era Max Hanratty, que comprou um lote de chassis oriundo da Juncos e fundou sua própria equipe, a Leader Edge Grand Prix. Além deles, também aparecia a Fatboy Racing, que anunciou sua participação com um carro, mas ainda não tinha confirmado quem. Além disso havia Jeff Green, que também comprou um lote de carros da Juncos, treinou com ele nos testes de primavera, mas nada anunciou.
Os donos da Fatboy Racing! O da esquerda e o do meio vão correr na Pro Mazda.
Esse foi o resumo de cinco meses de pré-temporada da Pro Mazda. O que está abaixo é o que aconteceu de segunda-feira até hoje:

A World Speed Motorsports contratou mais um piloto, o californiano de 17 anos Phillippe Denes, que correu na FF1600 ano passado pela Team Pelfrey e terminando o campeonato no terceiro lugar. Além disso, a equipe anunciou que Bobby Eberle finalmente ia mudar de categoria, correndo junto com os outros pilotos na categoria normal (não tem nome a categoria que a maioria corre, então chamarei de 'normal' mesmo).

A Fatboy Racing!, além de anunciar que adicionou um ponto de exclamação a seu nome a la título de anime, colocou não um, mas TRÊS PILOTOS em sua equipe. Pela categoria normal anunciou o americano Matt Machiko (correu algumas provas na Fórmula Mazda, bem como em outras categorias da SCCA) e pela categoria Master os dois sócios fundadores da equipe Fatboy Racing!, os novaiorquinos Brendan Puderbach e Charles Finelli, compraram chassis para cada um deles correr.

Max Hanratty, que tinha comprado um lote de carros da Pro Mazda a fim de correr por conta própria, desistiu da ideia e decretou falência da Leader Edge Grand Prix. Para não deixar os chassis parados, ele entrou em associação com a ArmsUp Motorsports, e agora ele pilotará pela equipe na abertura do campeonato. Hanratty correu quase 30 provas pela ArmsUp na USF2000, e essa será a primeira prova tanto dele quanto da equipe na Pro Mazda.
Kevin Davis de volta também.
Kevin Davis, piloto que tem um chassi da Pro Mazda e alguns amigos mecânicos e sempre participa das corridas da categoria que ocorrem em Indianápolis, decidiu viajar até a Flórida esse ano e participará da abertura em St. Pete pela Kevin Davis Racing.

E, para fechar com chave de ouro, tem o caso da Juncos. A equipe do recente proprietário de carros da Indy Ricardo Juncos vinha guardando grande segredo sobre os rumos da equipe na Pro Mazda. Campeão da categoria de 2011 e 2014, a equipe já tinha vendido dsois de seus quatro lotes de carros para Max Hanratty e Jeff Green e já se dizia a boca miúda que a equipe não participaria desse ano da Pro Mazda. Entretanto, na terça-feira foi lançada uma terceira versão do entry list para St. Petersburg (a segunda versão foi para adicionar Hanratty e os pilotos da Fatboy Racing!), com dois carros, o #23 e o #60 a serem anunciados durante a semana. 

Na quarta-feira a noite veio o anúncio, e mais duas bizarrices. Jeff Green, que tinha comprado o lote da Juncos para correr sozinho desisitiu e decidiu se unir à equipe, sendo um dos pilotos da ressuscitada Juncos. O outro piloto anunciado estava, até o momento, correndo na USF2000; Victor Franozni tinha um "acerto" para correr a abertura do campeonato de St. Pete pela ArmsUp, em algo parecido com o ano passado, mas tudo mudou quando Ricardo Juncos chamou o brasileiro, que foi muito bem testando pela equipe no fim do ano passado, para dirigir o #23 da Juncos na Pro Mazda.
Line-up da Juncos formado em um dia, no mesmo fim de semana da abertura do campeonato.
Assim, temos até o momento 14 carros na categoria para a abertura do campeonato no fim de semana! Isso tudo confundiu minha cabeça, fez rever meus planos e fez eu fazer esse texte meio como um desabafo. Mas, para ser sincero, principalmente pela presença dos brasileiros Carlos Cunha e Victor Franzoni, isso tudo só me animou a cobrir a categoria que, até 2014, era simplesmente a melhor categoria de monopostos do EUA, quiçá do mundo!!!

Até sexta em St. Pete!!!

Ah sim, os pilotos que largam na abertura do campeonato são:



Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. Link pra corrida, site, qualquer coisa.. Onde possa assistir a corrida amanhã?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada categoria tem um site, e lá tem live timing na hora de cada atividade. Basta, em cada site, clicar na aba "results >>> live timing":

      Indylights.com
      promazda.com
      usf2000.com

      Excluir
    2. Vai no youtube e entra no canal da Indycar.

      Excluir