Lights: Schmidt-Peterson fecha suas portas na categoria

Depois de catorze temporadas na categoria, a equipe de Sam Schmidt e Ric Peterson cancela suas atividades na Indy Lights e o grid perde quatro carros.
O atual time de André Negrão já se tornou o ex-time de André Negrão.
Sem muito estardalhaço e sem grandes anúncios, a Schmidt-Peterson encerra suas atividades na categoria nessa semana (terceira semana de novembro). Sam Schmidt, Ric Peterson e o CEO da Andersen Promotions (que organiza a Indy Lights) confirmam a notícia.

"É meio triste, saímos da final em Laguna Seca planejando alinhar carros nas três categorias do Road to Indy, e agora alinharemos em nenhuma delas." Diz Sam Schmidt. "O principal motivo é econômico. As coisas estão indo muito bem na nossa equipe da Indy, onde o lado comercial vai muito bem e o time também vai bem. SAM Project [a fundação criada em parceria coma Corvette para desenvolvimento de carros para pessoas com dificuldades de locomoção] começou e tem sido um sucesso, planejando grande expansão para o ano que vem."

A SOM foi vice-campeão nos últimos três anos. Dois com
Jack Harvey e um com Santiago Urrutia.
"Por esses motivos, o nosso programa da Indy Lights foi cada vez mais ficando para trás, perdendo espaço por falta de estrutura," completa Sam. "Assim, isso é positivo economicamente para a Indy, mas economicamente negativo para a Indy Lights. Não temos tempo suficiente para dedicar e é por isso que não conseguimos tantas negociações de pilotos nem melhorias nos ajustes dos carros."

Esse ponto ficou mais evidente nos últimos dois anos, quando a equipe que tipicamente alinhava seus quatro carros para as maiores promessas rumo à Indy vinham sendo ocupados por pilotos de qualidade questionável que compravam as suas vagas, como Ethan Ringel (2015), Scott Anderson e Haemin Choi (2015-16). 

Além disso, com os custos na categoria aumentando e uma recessão na América Latina como um todo, equipe e pilotos vem encontrando grandes dificuldades para angariar de US$ 1 milhão a US$ 1,5 milhão que exige uma temporada completa na Indy Lights. 

"Estou surpreso e desapontado". Diz Dan Andersen, presidente da empresa que comanda a Indy Lights. "Vinha trocando emails com Sam [Schmidt] e entendo completamente suas razões para sair da categoria, e apreciamos tudo o que Sam fez pela categoria ao longo dos anos."

Sam Schmidt foi um dos primeiros a abraçar mais seriamente a Indy Lights logo após a categoria ser comprada por Tony George, em 2002. Ele foi um dos primeiros a formar uma equipe satélite somente para a categoria de acesso e colheu frutos com o título do brasileiro Thiago Medeiros, em 2004. Esse foi o início de uma sequência de sete títulos em dez anos, com Jay Howard (2006), Alex Lloyd (2007), JK Vernay (2010), Josef Newgarden (2011), Tristan Vautier (2012) e Sage Karam (2013). 

Dos 36 pilotos que competiram em pelo menos uma prova esse ano na Indy, 23 passaram pela Indy Lights, 9 desses 23 passaram pela equipe de Sam Schmidt e Ric Peterson.

Sage Karam, campeão em 2013
Tristan Vautier, campeão em 2012
Josef Newgarden, campeão em 2011
JK Vernay, campeão em 2010
Alex Lloyd, campeão em 2007
Jay Howard, campeão em 2006

Thiago Medeiros, campeão em 2004.


Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário