Road to Indy: o Chris Griffis Memorial test traz novidades para os brasileiros.

O primeiro grande teste de todas as categorias do Road to Indy começará nesse início de outubro. Os primeiros movimentos na silly season foram feitos e os brasileiros estão ainda melhores na fita.
Franzoni de volta à Pro Mazda
"Nossa, você vai fazer uma postagem só sobre o entry list de um teste coletivo das categorias de base?" Sim, irei. E ela é tão importante que deixei de lado a postagem sobre a entrega dos prêmios e a festa de celebração da Indy para fazê-la. Isso porque essa é a primeira oportunidade de vermos para onde as negociações do Road to Indy se encaminham, quais as primeiras trocas de pilotos na equipe e as novas caras que aparecem nesse teste. É certo dizer que o Chris Griffis Memorial Test são os primeiros passos da dança das cadeiras do Road to Indy, e o entry list desse teste são os primeiros integrantes dessa dança.

Mas aqui vamos falar dos brasileiros, afinal, creio que a maioria esteja aqui para ver o que aconteceu com o trio de brasileiros que terminou as temporadas do Road to Indy esse ano.
Mais Negrão na Indy Lights, só que em equipe diferente.
André Negrão continua na Lights mas, nesse teste, estará presente na Juncos Racing. O brasileiro pilotará o #12 da equipe de Ricardo Juncos nos dois dias de testes, tendo como companheiros de equipe o americano Kyle Kaiser e o argentino Nicolas Dapero. Ao meu ver, a mudança para a Juncos é bem frutífera, pois a equipe não tem nenhum nenhum piloto decidido e pelo menos uma vaga em aberto, já que Zachary Claman de Melo decidiu ser ruim lá na GP2 pela Carlin. A vaga na Juncos é ligeiramente melhor que a vaga na SPM no quesito de progresso rumo à Indy; a equipe de Sam Schmidt oferece uma linha direta para a categoria principal, mas apenas pela sua própria equipe e, tendo em vista que faz quatro anos que ninguém de sua equipe é contratado após campeonato na Lights, isso fica bem ruim. A Juncos oferece uma base tão sólida quanto a SPM no quesito estrutura e não restringe escolhas quanto a subida rumo a Indy, sendo uma melhor opção para Negrão.

Victor Deuszoni fará o teste na Pro Mazda no #31 da Juncos Racing, no lugar de Nicolas Dapero, e tendo como companheiro de equipe o mexicano Jorge Cervallos. Esse, pelo menos ao meu ver, é o melhor assento em que o brasileiro esteve desde que mudou sua carreira para as terras americanas e, também ao meu ver, o brasileiro é o melhor disparado dos CINCO que testarão pela Pro Mazda no Chris Griffis. A luta pela vaga na Juncos é complicada, pois o brasileiro não tem um aporte financeiro para arrematar a vaga, dependendo do lucro de Ricardo Juncos para conseguir a vaga. Entretanto, o próprio Juncos vem procurando talentos melhores para sua equipe, pois, depois de quatro títulos de pilotos seguidos, a equipe sofreu dois anos de fiascos seguidos devido a pilotos mais ou menos, sendo que a última temporada ele conseguiu apenas uma vitória mesmo com o certame tendo entre sete e oito pilotos.
Não deixe as marcas de espinha na testa te enganarem: Lucas Kohl está mais experiente.
Lucas Kohl fará um dia de testes (o segundo, mais exatamente) no #21 da Pabst Racing na USF2000. Ele dividirá esse carro com Dakota Dickerson, que pilotará o #21 no primeiro dia de testes e terá como companheiro de equipe o americano Neil Verhagen. Essa mudança da John Cummiskey para a Pabst não tem tanta repercussão assim, pois ambas as equipes são conhecidas por estarem no meio do grid, mas a Pabst já anunciou ter os novos chassis da categoria, enquanto a equipe de John Cummiskey não.

No mais é isso, esse é um update rápido para o início do teste não passar despercebido. O entry List todo está aqui e os testes serão divididos em dois dias: 8 e 9 de outubro. Até lá!!
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário