Piloto do dia: Takuma Sato

Uma série nova para entreter vocês na silly season gigante da Indy. Juntamos quatro dos escritores do site (Filipe Dutra, Marcelo Augusto, Matheus Antônio da Silva e Rômulo Silva) para comentar sobre a temporada de 2016 de todos os pilotos.



O japonês voador emendava sua sétima temporada na Indy, a quarta na AJ Foyt Racing, e termina no 17º lugar do campeonato. Agora, o japonês tem mais corridas de Indy (102) do que de Fórmula 1 (91).




- Como vocês avaliam a temporada de 2016 de Takuma?

Marcelo:  Ruim. Mas muito por conta da equipe também, que já não é mais aquela que lhe deu a vitória em Long Beach em 2013. Na base do Talento ele conseguiu alguns top 10 pra Foyt ainda, mas a equipe é a pior do grid hoje, disparada e todos lá dentro já admitem que uma reformulação é necessária.

Rômulo: A temporada não foi lá muito boa se tratando de um veterano como ele, mas talvez a principal culpada disso seja a a sua própria equipe. Quando a Foyt (e a própria Honda) estavam em dias melhores, Sato conseguia resultados mais consistentes chegando a conquistar poles e até a vencer em Long Beach. É claro que o japonês também é conhecido por fazer algumas besteiras durante prova e causar alguns acidentes, mas isso tem diminuido e muito. Para se ter uma ideia ele só não completou três corridas nesse ano, um abandono a menos que Scott Dixon, por exemplo.

Filipe: Horrível, também. Droga, Foyt.

Matheus:  Sato mostrou nada de diferente para as outras temporadas que fez na Indy. O maior destaque talvez seja sua falta de batidas e abandonos. Ademais, foi mais uma temporada mais constante, mas quase sem pontos altos.
Ou seja, uma merda.

- Com o desempenho e o piloto  próximo dos 40 anos, uma oitava temporada do japonês seria válida?

Marcelo: Acho que ele ainda tem lenha pra queimar. Mas se a Foyt mudar pra Chevy mesmo, ele não continua na equipe. Uma vez que ele é japonês e corre meio porque a Honda acha que um piloto japonês é imprescindível, fora o patrocínio da Panasonic que ele tem também. Então, acho que em uma equipe com motores/aerokits Honda ele ainda tem espaço, enquanto quiser correr na Indy.

Rômulo: Sim. Apesar de ser arrojado é inegável que o Sato seja um piloto rápido. O fato de ser um pupilo da Honda e possuir apoio da Panasonic pode ajudá-lo a encontrar alguma vaga.

Filipe: Não. Tá bom de ele experimentar novos ares.

Matheus:  Leia as opiniões acima. Não as li antes de escrever isso, mas a opinião de todos sobre Takuma é unânime.



Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário