Top X: os 4 momentos em que Pagenaud ganhou o campeonato

O francês da Penske teve um campeonato maiúsculo em 2016 e levou o título de campeão mundial da Indy merecidamente. Vejamos os quatro momentos onde O Sapo ganhou esse campeonato.


4º: Na chegada da prova em Indy Misto.

A terceira edição do Grand Prix de Indianápolis não marcava apenas a segunda vitória dentro do Indianápolis Motor Speedway mesmo sem nunca vencer a Indy 500, mas também a consolidação de Pagenaud como favorito ao título.

Preparando-se para chutar bundas.
Ele venceu essa prova de forma maiúscula pela primeira vez no ano, fazendo a pole e dominando praticamente toda a prova, perdendo a liderança apenas nas paradas e enquanto a Dale Coyne tentava suas típicas estratégias malucas que dão certo apenas uma vez por temporada. 

Essa vitória também marcou uma sequência de três vitórias seguidas (que não acontecia desde as duas últimas provas de 2013 e a primeira prova de 2014, que teve Will Power como vencedor) e de CINCO provas entre os dois primeiros. 

A sequência de bons resultados não consolidou Pagenaud no favoritismo pelo campeonato, mas sim como o único favorito ao caneco de 2016, pois abria quase 80 pontos para Scott Dixon e JP Montoya, e Will Power nem figurava entre os cinco primeiros. 

Enquanto todo mundo estava se digladiando para ver quem despontaria na tabela, o francês que fez sua pior temporada na Indy em 2015 figurou como homem a ser batido em 2016.

3º Na vitória em Mid-Ohio

As etapas logo após a Indy 500 desse ano foram conturbadas para Pagenaud. Ele chegou atrás da maioria dos outros postulantes ao título na Indy 500, e também em Detroit, Road America, Iowa e Toronto, o que fez com que Power Helinho e Dixon chegassem "perto" de sua liderança.

Imagem vista várias vezes durante o ano.
Em Toronto, após Power, Hélio e Dixon chegarem na frente de Pagenaud, a diferença do líder para o quarto colocado do campeonato caía para menos de cem pontos pela primeira vez desde a Indy 500 e parecia que o francês seria novamente engolido pelo pelotão da Chevy.

Mas nada disso aconteceu após outra vitória maiúscula do francês e de uma combinação de resultados muito favorável. Scott Dixon teve problemas em seu carro e abandonou a prova, enquanto o carro #3 da Penske cometia erros de estratégia e terminava numa módica 15ª posição. 

Power ainda terminou no segundo lugar, mantendo uma sequência grande de vitórias e segundos lugares, e se mantinha a uma distância ameaçadora de Pagenaud, mas esse resultado foi importante para o francês, marcando sua volta por cima depois de uma fase ruim no campeonato e também para a retirada dos dois últimos postulantes ao título, definindo seu arqui-inimigo pela astor cup: Will Power.

2º: A reviravolta no Texas

Sim, Pagenaud indo bem em um oval.
Depois de Will Power também despontar na briga pelo título, em Mid-Ohio, haveria duas corridas em ovais: a prova de Pocono e a continuação da prova do Texas. As duas etapas prometeriam ser o pesadelo de Pagenaud, pois o francês ainda apanhava um bocado deles enquanto Power já mostrava certa desenvoltura nesse tipo de circuito, principalmente nos mais longos.

Em Pocono aconteceu a combinação mais complicada para Pagenaud: ele bate enquanto Power vence. E lá se vão quase 40 pontos em uma cajadada só.

A continuação da prova do Texas prometia algo parecido. Na relargada da volta 72, Pagenaud partiria de uma incômoda 15ª posição, enquanto Power largava bem melhor e chegava a disputar a ponta da prova com Hélio e Hinchcliffe. Mas, conforme caía a temperatura, o carro de Pagenaud ia melhorando de performance, enquanto Power perdia equilíbrio e uma volta.

No fim, o quarto lugar de Pagenaud soou como vitória moral perante o oitavo lugar de Power, com a diferença, que prometia ser bem menor, se estabilizando nos 28 pontos.

1º: Kimball sendo Kimball pra cima de Will Power

A batida perfeita para Power.
Se eu fosse definir um lance que marcaria o favoritismo de Pagenaud rumo ao título seria o de Charlie Kimball batendo no Will Power.

Depois de provar que os ovais não atrapalhariam sua busca pelo título, Pagenaud tinha 28 pontos de vantagem a Power, vantagem nada segura, tendo em vista que a diferença entre a vitória e o segundo lugar gira em torno de dez pontos e a corrida final, em Sonoma, teria pontuação dobrada.

Tanto Power quanto Pagenaud estavam no meio do grid em Watkins Glen, pois a Penske não vinha em seus melhores finais de semana, com exceção de Hélio Castroneves que mudou a estratégia e conseguiu """brigar""" pela vitória. Entretanto, enquanto Power vinha em quinto, Kimball em Sexto e Pagenaud em sétimo, quando Kimball toca o carro de Power e esse bate na curva quatro do circuito, abandonando a prova e marcando apenas onze pontos, enquanto Pagenaud chegou em sétimo, marcou 26 pontos e abriu mais de quarenta pontos de vantagem

Em Sonoma todos sabem: Pagenaud aomilhou a concorrência, enquanto Power teve problemas com sua embreagem, perdeu oito voltas e o campeonato.


Apesar desses momentos de montanha russa, a regularidade de Pagenaud era visível. Desde que abriu distância dos outros competidores, no misto de Indianápolis, todos buscaram se empenhar para chegar novamente perto do francês e, num mar de falta de regularidade, Power até conseguiu render alguma briga, mas nada que fosse páreo para a constância esmagadora do francês.

Parabéns Pagenaud!!
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário