Lights: Jones e Stoneman vencem, embolando cada vez mais o campeonato

Em um fim de semana com provas ótimas e muito disputadas por quase todo o grid, Ed Jones venceu a corrida 1 e Stoneman perdeu o cabaço vencendo na corrida 2 e #arriscamaisnegrão!!!

Treinos

Nas três primeiras etapas do campeonato, em St. Pete, Phoenix e Barber, vimos um domínio maior da Carlin e da Juncos Racing, que venceram quatro das cinco provas até então, com a Andretti e a Schmidt-Peterson correndo para sair do pelotão do meio do grid.

Neil Alberico, ele quase não aparece
nessa review.
Nesse fim de semana, com dois treinos na quarta e dois na quinta, Schmidt-Peterson, Juncos e Carlin estiveram sempre nas primeiras posições. Das três sessões válidas, já que a de quinta a tarde foi lavada pela chuva, foram lideradas pela SPM, com RC Enerson na primeira e as duas sessões seguintes lideradas por Santiago Urrutia. Ed Jones e Kyle Kaiser sempre estiveram entre os cinco primeiros, bem como a dupla da Belardi, Zach Veach e Félix Rosenqvist. 

Em paragens tupiniquins, André Negrão segue em sua saga de se ambientar e acostumar com cada pista do campeonato. O campineiro começou entre os cinco primeiros, se aproveitando do bom acerto que a Schmidt-Peterson tem para essa pista. Mas, com o passar das sessões e as outras equipes chegando no mesmo patamar da Schmidt-Peterson, todos os pilotos da equipe foram caindo aos poucos, incluindo Negrão.

No treino classificatório as outras equipes já tinham chegado no patamar da Schmidt-Peterson e apenas Urrutia manteve-se nos três primeiros lugares, com o terceiro lugar na corrida 1 e segundo lugar na corrida 2 (lembrando que a volta mais rápida de cada um é usada para montar o grid da corrida 1 e a segunda volta mais rápida ou a volta mais rápida da prova 1 contam para o grid na segunda prova). As duas poles ficaram com o então líder do campeonato, Ed Jones; com Rosenqvist na primeira fila da prova 1 e Urrutia na prova 2.  Negrão largaria da sétima fila na prova 1 e na sexta fila do grid da prova 2. Abaixo tem o quadro de tempos do grid, pois eu explicando fica muito confuso.
Resultados do treino classificatório.

Mazda Grand Prix of Indianápolis presented by Cooper Tires 1

Como visto acima, Jones e Rosenqvist dividiram a primeira fila da prova 1, com Urrutia e Serralles na segunda fila e Enerson e Kaiser na terceira fila.
Largada sempre com milhões de pessoas acompanhando nas arquibancadas.
O alinhamento bonitinho da foto não durou até a primeira curva. Os três primeiros vinham lado a lado, com Jones por dentro, Urrutia no meio e Enerson por fora, Jones consegue se posicionar bem e passa limpo na primeira curva, mas Urrutia e Enerson se tocam e está instaurada a confusão.

Deu ruim a largada.
Kellett kellettando.
Urrutia perde o segundo lugar para Dean Stonema, que largou em sétimo, desviou da largada ruim de Rosenqvist e do acidente na primeira curva e passa no segundo posto, relegando Rosnqvist ao terceiro lugar. Urrutia passou a primeira volta em quarto e Veach em quinto. Enerson, bem como Kaiser, Negrão, Neil Alberico e Zachary Claman de Melo, rodaram. De Melo vai para os boxes arrumar a suspensão e perde uma volta.

Ainda estávamos em bandeira verde, e na volta seguinte aconteceu outra batida na curva um. Todos estranharam que Dalton Kellett e Juan Piedrahita, dois pilotos que sempre estão envolvidos em confusão, não bateram e estavam disputando o oitavo lugar, até que na curva um da volta dois, Kellett atropela Piedrahita. Kellett abandona ali mesmo e Piedrahita consegue se arrastar para os boxes e por lá abandonando. Sem bandeira amarela ainda, restou apenas Piedrahita chamar Kellett de kamikaze.

E, apesar dos pilotos virarem tempos muito próximos um do outro, haviam poucas brigas por posição. As únicas ultrapassagens até a volta dezoito (de trinta totais) foram as de Urrutia retomando o terceiro lugar de Rosenqvist na volta seis e Felix Serralles subindo do sétimo para o quinto lugar passando Scott Anderson (na volta quatro) e Zach Veach (na volta treze).

Pelotão intermediário nunca decepcionando.
Faltando dez voltas para terminar a prova, Jones já tinha uma diferença de quase quatro segundos do comboio na briga pelo segundo lugar, formado por Stoneman, Urrutia e Rosenqvist. eles tinham cerca de dez segundos de diferença para Veach, que tinha mais três segundos de diferença para Serralles. A briga maior estava pelo sétimo lugar, onde Anderson segurava Enerson (que tinha se recuperado do fim do grid), Scott Hargrove, Kaiser (que também tinha se recuperado) e Negrão.

As coisas seguiram assim até faltar apenas oito voltas para o fim da prova. Na disputa pelo sétimo lugar, Anderson bloqueou Enerson de forma descarada, foi punido e teve de dar sua posição para o gordinho americano. ele o fez na curva sete, mas fez de forma meio atabalhoada, e Hargrove conseguiu emparelhar com Anderson na saída da curva. 

Os dois brigaram ferrenhamente até a curva doze, onde Hargrove encarnou Kellett e bateu em Anderson. O piloto da Team Pelfrey abandona ali mesmo, cheio de vergonha, enquanto Anderson consegue fazer seu carro não morrer e voltar aos boxes com a suspensão quebrada. Finalmente, bandeira amarela.
Rosenqvist já tinha perdido duas posições na largada falsa.
Relargada viria com cinco voltas para o fim, mas os pilotos estavam alinhados segundo a imagem acima, e a bandeira verde veio com quatro voltas para o fim. 

A corrida reacendeu. Jones, como de costume, largou mal e, na curva um, tínhamos novamente três carros lado a lado: Stoneman por dentro, Jones no meio e Urrutia por fora. Stoneman passa em primeiro e Urrutia em segundo, com Jones em terceiro segurando Serralles e Rosenqvist atrás de si.

Mas a liderança de Stoneman dura pouco pois, na curva sete, acontece o lance do ano, esse:
video

Depois dessa, fechou a conta e passou a régua. Jones passou e primeiro, com Urrutia em segundo e Stoneman em terceiro. Após o pelotão intermediário se acalmar, a dupla da Belardi completou o Top 5 com Rosenqvist em quarto e Veach em quinto. Negrão conseguiu salvar um top 10, com o nono lugar.
Resultados e pódio. Tente não olhar para o volume na calça de Dean Stoneman.

Mazda Grand Prix of Indianápolis presented by Cooper Tires 2

Depois do corridão sexta à tarde, tinha mais prova no sábado de manhã. Jones larga em primeiro de novo, com Urrutia a seu lado. Serralles e Rosenqvist dividem a segunda fila e Stoneman e Enerson dividem a terceira, e Negrão partia do 12º posto.
Era pra ter largada, mas...
Entretanto, aconteceram uma série de coisas bizarras antes da bandeira verde. Primeiro, estava muito frio, e todos estavam com problemas para aquecer os pneus e, quando todos estavam aquecendo os pneus nas voltas de apresentação, RC Enerson rodou sozinho. Pouco tempo depois (tipo, alguns segundos) o carro de André Negrão fica possuído na reta dos boxes e ele bate no muro, danificando asa e suspensão dianteira. Fim de prova pra ele e bandeira amarela sem nem mesmo ter a bandeira verde.

(Re)largada na volta três, de 35 totais. Jones larga um bocado melhor dessa vez e não ficam três carros lado a lado. ele fecha a porta de Serralles e continua em primeiro na primeira curva, com Serralles indo pra grama e sendo ultrapassado por todos. Com Urrutia não largando bem, Rosenqvist assume o segundo lugar, com Stoneman em terceiro e o uruguaio em quarto.
Largada de verdade.
Na reta oposta, ainda na primeira volta, Jones vinha sozinho, mas errou na entrada da curva e foi pra grama. Nesse meio tempo, Stoneman freia forte para desviar do carro de Jones e surpreende a dupla da Belardi que vinha logo atrás, com um carro batendo no outro. Rosenqvist roda e volta no fim do pelotão, enquanto Veach atravessa a curva oito pela grama e volta a frente apenas de seu companheiro de equipe.
Veach copulando sobre o ensanduichado Rosenqvist.
Foi tanta gente batendo na primeira volta que Dean Stoneman assume a liderança da prova na primeira volta, seguido por Urrutia, Anderson (que foi de nono para terceiro), Serralles (aquele que tinha ido pra grama na primeira curva) e Scott Hargrove (!!!).

Esqueci de mencionar que
Serralles passou  Urrutia na volta 14
Após essa primeira volta (que, na verdade, era a volta três), os ânimos se acalmaram e os pilotos começaram a se dispersar um pouco pela pista. Stoneman e Urrutia travavam a batalha pela liderança enquanto Anderson segurava e era ultrapassado pelo resto do pelotão mais da frente. No pelotão intermediário, Jones, Enerson, Rosenqvist e Veach vinham se recuperando dos seus incidente e escalavam o pelotão. Na volta 10, enquanto Enerson encostava nos boxes para abandonar a prova, Stoneman, Urrutia e Serralles tinham menos de um segundo de diferença um para o outro; os três tinham três segundos de diferença para Kaiser, que tinha mais de sete segundos de vantagem para Jones e Rosenqvist. 

Mas atrás no pelotão, a corrida seguia animada. Desde que Anderson tinha perdido o sétimo lugar para Hargrove, na volta treze, ele vinha muito próximo do piloto com carro amarelo. O desempenho da Team Pelfrey ainda deixa a desejar, e nem o bom Hargrove conseguia fazer seu carro desenvolver grande velocidade e se limitava a defender-se dos ataques de Anderson, de Melo e Veach (com a asa dianteira de seu carro toda torta).  

Típica briga de meio de grid da Indy Lights.
Essa contenda acabou apenas na volta dezoito, e só o fato de eu mudar o foco da review para uma briga irrelevante do sétimo lugar já faz você concluir que terminou em batida. Anderson conseguiu colocar de lado de Hargrove na curva um, ambos continuam lado a lado até a curva três e, na entrada da curva quatro, de Melo tem a brilhante ideia de colocar seu carro ao lado dos dois, em uma área onde mal cabe um. Os três vão para a grama, mas apenas Kamikaze de Melo abandona.

A corrida permanece em verde e morna, com Stoneman, Serralles e Urrutia sempre com menos de um segundo entre eles, mas com nenhum dando espaço para o outro fazer um ataque. Assim se seguiu até a volta 29 quando, enquanto seguia colado ao líder para tentar um ataque mais agudo, Serralles sai da pista na curva doze e perde o pódio para Urrutia, o novo segundo, e Kaiser, o novo terceiro colocado.

Serralles, na volta para a pista, ainda perdeu posição para seu companheiro de equipe, Ed Jones, que completaram em quarto e quinto lugares. Os dois foram superados por Kyle Kaiser que, apenas se esquivando dos acidente e ultrapassando Scott Anderson, conseguiu sair do 11º para o terceiro lugar. Lá na frente, Urrutia chegou realmente perto de Stoneman nas cinco voltas finais, mas não conseguiu armar o bote para cima dele e o americano venceu sua primeira prova!
Pódio e vencedor. Mais uma vez, tente não olhar para o volume na calça de Stoneman.
Apesar da loucura da última corrida, Ed Jones ainda sai do fim de semana como grande vencedor e líder do campeonato, com 160 pontos. Ele tem 21 pontos a mais que OS SEGUNDOS COLOCADOS Kyle Kaiser e Santiago Urrutia, e também tem 35 pontos a mais que o quarto colocado, Félix Serralles.  André Negrão vem em nono lugar no campeonato, com 87 pontos.

A próxima etapa já é no oval mais tradicional do mundo. A Freedom 100 acontece  na sexta-feira, dia 27 de maio. Até lá!!
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. Um detalhe totalmente desnecessário mas que vale a pena comentar: O Alberico tá parecendo o Neymar nessa foto. hahahaha

    ResponderExcluir