James Hinchcliffe supera Newgarden nos metros finais do Fast Nine e conquista a pole para a 100ª edição da Indy 500

Canadense da SPM volta à pista onde sofreu acidente fortíssimo no ano passado e que o fez perder toda a temporada para conquistar a primeira pole position da carreira. Castroneves é nono e Tony Kanaan larga em 18º.

(Foto: Marshall Pruett)

O treino classificatório começou com os pilotos que terminaram entre 10º e 33º no treino de sábado, para definir quem largaria oficialmente entre essas posições.

Logo de cara, Pippa Mann, a primeira a entrar na pista e a única mulher a disputar essa edição, deu duas voltas na casa dos 226 mph e na terceira bateu, dando uma boa ‘lambida’ no muro. Mas todo mundo já esperava que ela largaria das últimas posições do grid com batida ou sem. Para a sorte dela, outros pilotos conseguiram ir pior.

Depois entraram Gabby Chaves e Max Chilton, não foram muito melhores também. E em seguida veio o campeão de 1996, Buddy Lazier, que deu voltas tão baixar que se houvesse um 34º carro inscrito com certeza seria mais rápido e eliminaria o veterano campeão.

E então entrou Alex Tagliani, também veterano, o pole position da edição de 2011 entrou forte demais na curva 4, errou e tentou frear tudo o que podia, mas acabou batendo no muro de dentro da reta de chegada. Com isso, o canadense comprometeu totalmente sua classificação e seu carro, chegando a não marcar tempos. Largará do último lugar. Veja o acidente no vídeo abaixo:


Após a amarela para a limpeza da pista, os pilotos foram entrando e marcando seus tempos combinados das quatro voltas a que tinham direito. Hawksworth, Wilson, Brabham e Kimball. Oriol Servià foi quem acabou fazendo uma média de voltas bastante rápida e acabou classificando-se em décimo lugar (!!!), com a média ficando em 229.060 mph. Tempo excelente para o veteraníssimo piloto catalão, que nesta edição correrá pela SPM.

Logo após entraram Pigot e Clauson, marcando voltas com velocidades nada animadoras. E então veio Graham Rahal, um dos favoritos da Honda para a ganhar a prova. E o favoritismo diminuiu bastante após as voltas medonhas que deu, marcando 225.847 mph, num tempo pior que o da Pippa Mann, que bateu!!! Esse é o Rahalzinho que nós conhecemos!

Tony Kanaan entrou na sequência após os risos de todos para Rahal. E o brasileiro da Ganassi confirmou o péssimo ritmo que andou durante a semana inteira e conseguiu apenas o 12º melhor tempo até o momento, 227.430 mph. Caindo para o 18º mais tarde.

Após Karam e Daly marcarem voltas piores que as de Kanaan e Kimball, veio para a pista o ‘samurai voador’, Takuma Sato. E o japonês da equipe de AJ Foyt andou em ritmo bem forte e acabou superando todo o grid, menos Servià, conquistando com os seus 228.029 mph o décimo-primeiro lugar.

JR Hildebrand entrou na sequência e também andou bastante forte, mais forte do que quando bateu na curva 4 da última volta em 2011, quando estava em primeiro. Desculpem, mas não dá lembrar do ‘Walldebrand’ e deixar passar batido (rs) esse fato épico. Com 227.976, o americano da equipe do Ed Carpenter conquistou provisoriamente o décimo-segundo lugar.

E então veio o dono da equipe, Ed Carpenter. O pole das edições de 2013 e 2014 não conseguiu manter o ritmo dos anos anteriores e acabou andando no ritmo de pilotos como Chilton e Bourdais, apenas, e largará em vigésimo.

Logo em seguida veio o atual campeão da IndyCar, Scott Dixon. Após a Chip Ganassi resolver trocar o motor do carro #9, reunindo o pessoal dos outros três carros para fazer isso da forma mais rápida e sem erros possível, Dixon foi para a pista e terminou atrás apenas de Servià e Sato, conquistando o décimo-segundo lugar de Hildebrand e empurrando Kanaan, seu companheiro de equipe, para décimo-quinto.

O piloto que entrou na sequência era o atual vencedor das 500 milhas, Juan Pablo Montoya. O colombiano era o natural candidato a largar em décimo e e confirmava isso até um SACO DE LIXO aparecer em sua frente. E então Montoya desacelerou e comprometeu totalmente sua tentativa.

O saco de lixo saindo do carro de Montoya (Foto: Reprodução/Twitter)

Mas a IndyCar foi boazinha e, após bandeira amarela para retirar os pedaços desse SACO DE LIXO que ficaram na pista, o colombiano da Penske teve nova tentativa. Mas o desempenho já não foi o mesmo da primeira, terminando no fim das contas em 16º.

E por último entraram Marco Andretti e depois Alexander Rossi. O neto de Mario e filho de Michael acabou ficando com o 14º lugar, enquanto que o americano que tinha nojinho de ovais até o ano passado, Rossi, foi muito bem em sua tentativa e superou Sato, largando assim em 11º.

Fast Nine

A disputa pela pole começo com Simon Pagenaud, líder do campeonato, que não foi lá muito bem e terminou apenas um pouco melhor que Servià, largando assim apenas do oitavo lugar.

Carlos Muñoz entrou na sequência e, após pegar boas informações de Andretti e Rossi, companheiros de equipes que haviam acabado de entrar na pista, deu boas voltas, todas na casa dos 230 mph e terminou com o tempo de 230.287, conquistando assim a quinta posição.

Logo após entrou o russo da SPM, Mikhail Aleshin e confirmou a boa fase e o bom setup que os carros da equipe do ex-piloto da IRL Sam Schmidt tinham, conquistando assim o sétimo lugar.

E então Josef Newgarden. Logo na primeira volta, o americano parceiro de Carpenter e Hildebrand virou na casa dos 231 mph e provou que brigaria pela pole, cravando no fim 230.700 mph e conquistando a pole provisória.

Depois entraram Townsend Bell, Will Power e Hélio Castroneves. Nenhum deles foi capaz de bater o tempo de Newgarden. E o brasileiro da Penske fez pior: após bom treino no sábado, Helinho decepcionou e fez a pior média do Fast Nine, largando apenas do nono lugar. Mais sorte para ele na corrida, se Deus quiser, pois apostei nele no bolão. yn’

O penúltimo a entrar na pista foi Ryan Hunter-Reay, que também assustou Newgarden, mas não conseguiu bate-lo. O americano campeão das 500 milhas em 2014 largará em terceiro, com o tempo de 230.648 mph.

E então veio Hinchcliffe, o último a entrar na pista. E o prefeito de Hinchtown voou, marcando tempos abaixo apenas de Newgarden e, na última volta, bateu o tempo do americano, cravando assim 230.760 mph de média e conquistando assim a segunda pole de um canadense na história da Indy 500.

Primeira pole position do prefeito de Hinchtown! (Foto: IndyCar)

Um pouco mais de um ano após sofrer um acidente duríssimo nos treinos da 99ª Indy 500, onde um braço da suspensão atravessou o cockpit, perfurando sua perna e chegando até a região pubiana – fazendo-o perder a tradicional corrida e o resto da temporada -, James Hinchcliffe confirma de forma significativa a sua recuperação na volta a lendária pista da Indianapolis, conquistando sua primeira pole da carreira.

Confira abaixo o grid largada oficial para a 100ª Indy 500:


A corrida ocorre no próximo domingo (29), às 13h, com transmissão ao vivo da Band e do Bandsports.

Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário