Road to Indy: treinos em St. Petersburg.

Em dias muitos agitados de treinos, como sempre é na etapa de abertura de todos os campeonatos do Raod to Indy, mais de cinquenta carros andaram nas sessões de treinos. Vamos conferir o que rolou nesses treinos:

Indy Lights

A Williams largou na ponta na Indy Lights.
A principal categoria de acesso à Indy começou seu fim de semana na sexta-feira foi um pouco diferente daqueles feitos na pré-temporada.  Logo na primeira sessão de treinos, os novatos tomaram conta da pista e terminaram a primeira sessão na frente dos pilotos mais experientes, situação que permaneceu assim o dia todo.

A primeira sessão foi bem parelha entre as equipes, com todas os seis times do grid tendo pelo menos um representante entre os sete primeiros. Os melhores tempos dessa sessão foram feitos apenas no fim dela, quando a maioria fez simulação de classificação, mas a liderança não trocou de mãos a sessão toda. O novato Feliz Rosenqvist foi o mais rápido (1:07,1892), com os também novatos Scott Hargrove (1:07,3087) e Dean Stoneman (1:07,3126) logo atrás. O primeiro veterano foi o terceiro colocado do ano passado, Ed Jones (1:07,4309).

André Negrão (que é branco) estreando na Lights.
No segundo treino livre, realizado na tarde de sexta-feira, pouca coisa mudou. Os cinco melhores tempos foram feitos por carros de cinco equipes diferentes, Rosenqvist e Hargrove continuaram nas duas primeiras posições, só que entre eles e Dean Stoneman, o quarto colocado, ficou o experiente Felix Serralles. A diferença ficou nos incidentes, pois houveram duas bandeiras vermelhas para o carro de Neil Alberico parado na pista com problemas de câmbio e Juan Piedrahita que bateu na curva oito.

André Negrão, o único brasileiro que nos representa na Lights, começou ainda se acostumando com o carro na primeira sessão, foi o piloto que mais deu voltas no tempo que tinha disponível para a primeira sessão e terminou com o 13º tempo de 16 pilotos. A tarde, o piloto brasileiro  já fez uma sessão no mesmo ritmo de seus companheiros de equipe, e terminou a segunda sessão no oitavo lugar.

O treino classificatório foi realizado no sábado, e já valia para as duas provas. A volta mais rápida de cada piloto conta para a formação do grid da primeira prova, e a segunda volta mais rápida da qualificação ou a volta mais rápida da primeira prova contam para a formação do grid na segunda prova.

Essa sessão ilustrou bem o que deve ser a Indy Lights nesse começo, pelo menos até Indianápolis: um equilíbrio gigante nas oito ou nove primeiras posições. As melhores voltas, contrariando o visto nos treinos livres, surgiram no meio da sessão, muito pela economia de pneus que os pilotos estão tendo que fazer nesse fim de semana. Apesar de Kyle Kaiser ter feito a melhor volta e ter ficado com a pole da prova 1, Rosenqvist se deu melhor e conseguiu largar na primeira fila de ambas as provas. Um dos destaques foi André Negrão, que manteve o oitavo lugar da segunda sessão e conseguiu arrancar um quinto lugar para a segunda prova.  O resultado do treino classificatório está abaixo:
Lembrando que as melhores voltas contam para a prova de sábado e a segunda melhor volta para a prova de domingo.

Pro Mazda

A Juncos contratou o Dick Vigarista para correr na Pro Mazda. 
Na categoria desprovida de pilotos, os dez carros da categoria principal e os dois carros da categoria master foram para a pista e promoveram sessões bem mais previsíveis. As duas sessões de treinos livres foram lideradas pelo americano Aaron Telitz, com Nico Jamin e Pato O'Ward revezando nas segundas e terceiras posições. A decepção fica por conta da Juncos Racing, que não figurou entre os três primeiros durante todo o dia.

Com a Cape e a Pelfrey com um plantel de pilotos de qualidade invejável e a Juncos nem tanto, a gente viu o grid dividido pela metade. O'Ward, Telitz, Tan, Eidson e Jamin na parte de cima; brigando por vitórias, pódios e campeonato. Parsons, Owen, Grist, Dapero e Cervallos fazendo figuração e pegando alguma ponta quando os principais bobeiam.

Na qualificação, os grids foram praticamente iguais, com exceção da primeira fila. Pato conseguiu a pole da primeira prova e Telitz ficou na segunda posição, mas para a segunda prova essas posições se invertem. A Cape loteou a segunda fila com Eidson e Jaim, respectivamente, relegando Weiron Tan para a quinta posição. Tempos da qualificação abaixo:

USF2000

A Pabst dominou os treinos de fim de semana. Foto usf2000.com
A nova melhor categoria do mundo veio para St. Petersburg com VINTE E SETE CARROS. É quase o mesmo número de carros da Indy Lights e da Pro Mazda JUNTAS. Os 22 carros da categoria principal, quatro carros da categoria nacional que usam chassis velhos da Vand Diemen e um carro para Zachary Claman de Melo só para os treinos livres correram em duas sessões de meia hora.

Na primeira sessão, na QUINTA-FEIRA a tarde, tivemos três incidentes durante a sessão, o que diminuiu ainda mais o tempo de bandeira verde e a maioria dos pilotos não conseguiu dar mais do que oito voltas. no fim, os veteranos se deram melhor que os novatos, com Anthony Martin, Luo Yufeng e Victor Franzoni terminando nas três primeiras posições.

Por desqualificação, Lucas Kohl teve que estrear
largando da reta oposta. Foto Indianapolis Motor Speedway LC
A segunda sessão, na sexta de manhã, seguiu sem bandeiras vermelhas e os pilotos puderam dar vinte voltas ou mais no circuito citadino. Nesse treino, Pabst e Team Pelfrey dividiram as quatro primeiras posições, com Jordan Lloyd (Pabst) na liderança, seguido por James Munro (Pelfrey), Luo Yufeng (Pabst) e  Jordan Cane (Pelfrey). Como podemos ver, Pabst, Cape e Pelfrey deram o tom do fim de semana.

Na qualificação, muitos carros na pista, uma bandeira vermelha e o tráfego deram o tom da sessão que definiria o grid de largada das duas provas do fim de semana. Outra coisa que deu o tom foram as punições, quando o carro da Spencer Racing e os dois carros da Fat Boys Racing não puderam disputar o treino classificatório por não chegarem na garagem a tempo da sessão, Nikita Lastochkin teve a sua melhor volta invalidada por gerar a única bandeira vermelha do ano, e os dois carros da John Cummiskey Racing foram reprovados na inspeção pós treino e tiveram todos seus tempos desqualificados.

No fim, a pole das duas provas ficou com Jordan Lloyd, com Parker Thompson largando ao seu lado. Luo e Rickards formam a segunda fila na primeira prova e Luo e Munro formam a segunda fila na segunda prova.


Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário