Montoya mita nas relargadas para vencer pela segunda vez consecutiva em St. Pete

Colombiano confirma favoritismo da Penske e repete o feito de 2015, quando também venceu nas ruas de St. Petersburg. Castroneves é ultrapassado por Hunter-Reay na penúltima volta e termina em quarto. Tony Kanaan faz boa corrida de recuperação e termina em nono.


Montoya conquista sua décima quinta vitória da carreira. (Foto: IndyCar)

A corrida foi marcada desde o início pelo domínio do time do capitão Roger Penske. Pagenaud, que herdou a pole de Will Power após o australiano ficar de fora da prova devido a uma concussão, desgarrou do segundo colocado, Hélio Castroneves, logo a partir da primeira curva.

O francês impôs ritmo forte e chegou a abrir cerca de 10s do brasileiro, que então foi ultrapassado por Montoya e aos poucos por Dixon, Hunter-Reay e até Marco Andretti.

Falando no filho de Michael, Marco não estava com sorte neste domingo. Tentou burramente colocar o carro no canto onde Hunter-Reay havia acabado de passar Luca Filippi, só que o piloto italiano, estreando pela Dale Coyne, fechou a porta. Resultado: Marco estraçalhou seu bico dianteiro, rodou na curva 1 e deixou o carro morrer, causando a primeira bandeira amarela da corrida.

E na relargada, após cerca de dez voltas em bandeira amarela, devido a limpeza que os ficais da pista faziam, Spencer Pigot tocou com Hunter-Reay e teve também o seu bico dianteiro arrancado. E estranhamente, Marco Andretti, na relargada, rodou de novo e deixou o carro morrer. A volta que Marco havia ganho, perdeu novamente.

Enquanto isso, Pagenaud liderava com folgas, entretanto os retardatários começaram a aparecer, e Montoya também. Volta após volta o colombiano começava a aparecer em seu retrovisor.

Após a segunda parada da maioria dos pilotos, Conor Daly aparecia na liderança. E então aconteceu o momento onde quase ninguém entendeu nada por causa da emissora que transmitia a prova. Após uma das trocentas chamadas da Band para falar das manifestações, quando voltam a mostrar a corrida aparece a imagem de cerca de 10 carros amontoados na mesma curva, no meio da pista.  Era o primeiro big one da temporada!

Rahal frente a frente com o causador do big one, Muñoz. #IndyRivals (Foto: Peguei no twitter)

No replay deu pra ver que, logo após mais uma relargada, Hélio tocou em Hunter-Reay, mas ambos seguiram, então veio Carlos Muñoz e tocou em Graham Rahal. A partir daí, vieram Oriol Servià, que acertou Rahal e vários outros pilotos tentando escapar, mas sem sucesso e ocupando ainda mais a pista. Max Chilton, Spencer Pigot, Alex Rossi, Charlie Kimball e mais alguns participaram do primeiro big one de 2016.

Após mais várias voltas sob bandeira amarela, a relargada veio e Montoya, que havia passado Pagenaud anteriormente, passou Conor Daly logo na primeira curva e tomou a liderança, pra não sair mais dela. A partir de então, a corrida ficou bem chata, com algumas mudanças de posições apenas, tal como a de Hunter-Reay pra cima de Castroneves, na penúltima volta, para assumir o terceiro lugar e fechar o pódio. Era para a Penske fazer uma trinca, assim como na corrida do ano passado, mas acabou que ficou ‘só’ na dobradinha mesmo.

O outro brasileiro na prova, Tony Kanaan, fez boa corrida de recuperação. Após largar de vigésimo e começar mal, usando os pneus duros, parou na volta 8 e quase virou retardatário em boa parte da prova, mas no techo final fez boa estratégia e escalou o grid, terminando na nona posição.

Confira abaixo os resultados da primeira corrida da Indy em 2016:


A próxima etapa da IndyCar acontecerá em 2 de abril, sábado, no oval de Phoenix, no Arizona, que volta ao calendário da Indy após onze temporadas de ausência.

Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário