De espectador à piloto substituto: a louca experiência de Oriol Servià em St. Pete

Will Power apresentou um problema estomacal durante a segunda metade da semana, o que estava causando-lhe vômitos entre outros sintomas. Na sequência de uma reavaliação pela equipa médica da IndyCar, Power também foi diagnosticado com uma leve concussão, decorrência de um acidente no primeiro treino.

Consequentemente, Oriol Servià que estava na cidade apenas como um espectador, foi chamado pela Penske para substituir Power no carro #12. Servià disse ao site Motorsport.com após a corrida que tinha sido uma "experiência incrível que lembrarei para sempre."


Servià foi chamado para substituir Power. (Foto: IndyCar)

"Tim Cindric [presidente da Penske Racing] me falou que eles poderiam precisar de mim mais cedo. E então imediatamente nós conversamos sobre fazer o warm-up no domingo de manhã. Porque sabíamos que Will não seria capaz de fazer isso, ele precisava de um tempo para ver se poderia ficar bem para a corrida. Mas no caso de ele não poder fazer a corrida, eles precisariam de alguém com experiência no carro."

"Então a Jackie [namorada] pegou um voo do Aeroporto de Los Angeles com o meu capacete, e desembarcou em Tampa às 00:30. Estávamos no hotel e eu estava tentando dormir e, sabe como quanto mais você tenta, mais você está lá deitado olhando para o relógio e vendo os números mudarem? Eu acho que foi a mudança de fusos horários da costa leste para a oeste."

Servia demonstrou-se satisfeito com seu desempenho no warm-up na manhã do domingo.

"Fiquei satisfeito com o ritmo que eu tinha no warm-up, terminamos em nono. E então, às 10h30, mais ou menos duas horas antes da corrida, foi decidido que eu estaria no carro. Então eu percebi que estaria com o carro que sonhei nos últimos 15 anos, mas tive que largar do fundão porque não fui a pessoa que fez a pole nisso aqui."



Servià comentou sobre a organização do Team Penske e os pontos fortes do carro que lhe tinha impressionado, mas não o surpreendeu.

"Foi uma grande experiência", disse ele. "Ter Dave como o meu engenheiro, e Tim no rádio ... e o carro foi fantástico também. Tudo era exatamente o que eu esperava."

Após descrever seu ritmo na prova, o piloto catalão agradeceu à equipe pela oportunidade.

"...sou muito grato ao Sr. Penske, Tim, e a equipe. Era um carro fantástico, numa oportunidade fantástica, mas eu gostaria que não tivesse acontecido por causa do problema de Will. Ele é um bom amigo. Agora eu vou lembrar esta corrida, toda esta experiência, para o resto da minha vida. Foi uma loucura desde o início até o final."

Oriol terminou na 18ª posição, resultado até que aceitável, devido as circunstâncias do domingo maluco que o piloto enfrentou.
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário