E esse calendário que não sai hein...

O calendário da Indycar ainda não foi definido, e essa postagem vem mostrar em que pé estão as coisas nas negociações.
NOLA já era... :(
Mais um começo de off season, mais uma decisão de onde a Indy passará no ano que vem. Com a atual rotatividade de circuitos e praças interessadas em receber a Indycar, bem como o calendário mais curto da categoria, fazem com que cada calendário se torne um parto. Lidar com datas conflitantes, horários de TV, marketing mais propenso e outros fatores está cada vez mais complicado e faz com que a rotatividade de provas fique cada vez maior.

Pra entender tudo isso vamos por partes. Primeiro, as provas já confirmadas, com datas anunciadas e tudo o mais:


Até o momento, nove provas estão 100% confirmadas para 2016, sendo oito em mistos e uma em oval. As novidades são St. Petersburg começando duas semanas mais cedo e a entrada das corridas em Road America e em Boston.

Mas não se desesperem amantes dos ovais, pelo menos não ainda. Agora vamos adicionar as provas que estão praticamente confirmadas. Ou seja, estão dentro do calendário mas ainda falta um detalhe ou outro, como definir patrocinador, data ou qual emissora vai transmitir a prova, com suas datas prováveis:
Provas praticamente confirmadas: em Azul claro o fim de semana é dividido com o PWC, em azul escuro dividido com a Truck Series e em Verde tá praticamente certo.
Esse calendário de 2016 incluem as provas que foram confirmados em outras categorias ou se tem um contrato maior com as mesmas. 

A etapa de Barber, de Mid-Ohio e de Sonoma estão confirmadas no Pirelli World Chellenge, que comumente divide pista com a Indy em seus fins de semana. A únic aque fico meio receoso é a prova em Sonoma, pois foi anteriormente anunciado que a etapa em Boston seria a final do campeonato, no dia do trabalho americano; entretanto, é sabido que muitos donos de equipe querem uma temporada um pouquinho maior, que a INDYCAR é boa em ceder as pressões das equipes e que Sonoma Raceway sempre cede as presões da INDYCAR, então essa data horrível para se correr (é a primeira semana onde os jogos da NFL começam a ser realizados na semana toda) é bem plausível.

As datas em azul escuro são os fins de semana em que a Indycar costuma dividir com a NASCAR Truck Series. Como a Truck Series não costuma mudar suas datas e já foi acertado correr em Iowa até o ano que vem e no Texas até 2018, as datas devem ser essas.

A data em Toronto está em verde pois há apenas uma dúvida: se a prova será em rodada dupla ou não. Já foi confirmado que a Indycar correrá no circuito citadino de 15 a 17 de julho, voltando para sua data típica em meados de julho após uma ano devido aos jogos panamericanos, mas resta saber se a etapa volta também a ser rodada dupla ou não.

Ah sim, o que está confirmado também são as saídas de Fontana e NOLA. O único oval de duas milhas do calendário sai após uma sequência de quatro provas seguidas de público ruim, quase o mesmo problema que a maioria dos ovais passaram no fim da década passada e no início desta. Já NOLA sai pro problemas muito maiores, já que correm processos entre os donos do autódromo, a Andretti Sports Marketing e o Governo da Louisiana.

Ok, foram 14/15 etapas, hora da especulação. Para facilitar, coloquei na ordem que, segundo vejo  as especulações nos sites mais confiáveis (todos americanos, obviamente, como RACER, Motorsports Talk e etc...), junto com um termo classificatório (chance alta, baixa, viagem do pessoal...). 

Bem, vamos a elas:

Phoenix, altas o suficiente pra muita gente ficar surpresa se não rolar. Pois é, o oval de uma milha encravado nas montanhas do Arizona pode voltar pra categoria depois de mais de dez anos e já teria até data: 2 de abril. Os presidentes do circuito e da Indycar já dão declarações como se a corrida fosse certa.

Pocono, altas chances. Apesar do pesar na última corrida que a Indycar realizou lá, a prova ainda tem grandes chances de permanecer no calendário da categoria. Eles possuem um patrocinador principal, a ABC Supply, mas o problema é a mudança no calendário da NASCAR. A categoria dos taxis quer organizar uma prova da Xfinity e da Truck Series, com data provável para agosto, daí ficando difícil pra Indy realizar uma corrida tão próxima.

Entretanto, ao contrário desse ano, o calendário não está tão compacto assim para 2016. Há espaços grandes entre março e abril, bem como antes da Indy 500 e até no início de julho. Fazendo uma forcinha, cabe até com flogas [/frases de duplo sentido].

Milwaukke, média-baixa. Vai ser difícil para a velha milha continuar na Indycar. A promotora do evento entrou em problemas legais e teve até de re-fundar a empresa, a ABC Supply achou um outro circuito para bancar, diminuindo a contribuição para a histórica prova e, além disso, entrou no calendário uma pista que fica no mesmo estado em uma data próxima onde ficava sua prova. Os donos de Milwaukee vão ter de fazer tripas coração para ter prova lá.

Outros ovais cogitados, chance de média a pequena. Cogita-se Gateway, Homstead-Miami, Chicagoland e até Richmond, bem como o oval sem dono de Nashville. O problema maior nesses casos é quem banca a brincadeira pois, apesar da NASCAR já ser da casa, basta dar uma ajeitada no cronograma para organizar a prova sem atrapalhar a dona da casa. Sem esses circuitos arrumarem alguém para pagar a conta (e até o autódromo, no caso de Nashville), as negociações ficam um bocado mais difíceis.

Hermanos Rodriguez, média. Sim, cogita-se prova da Indycar no circuito, principalmente a RACER e Robin Miller, a prova teria até data:  de fevereiro. Mas existem três fatores que complicam a realização dessa prova:

Os donos e a INDYCAR  ainda estão em fase muito inicial de negociação para se realizar uma prova já em 2016 lá, ainda mais no começo do campeonato, e depois dos incidentes de Qingdao e de Brasília, a Indy já abriu o olho e dificultou um pouco as negociações para provas estrangeiras. Outra coisa que dificulta é a presença da F1 no país, que deve começar lá nesse ano. Não se sabe o quanto isso pode afetar negativamente a Indy, mas é histórico ambas não realizarem provas no mesmo circiuto.  E por último a data é bem desfavorável, apesar de Mark Miles declarar certa vez que pretendia começar a temporada logo depois do SuperBowl, sobra pouco tempo para uma prova que começou a pouco as negociações.

Laguna Seca, média-baixa. Sim, a pista que sediou a final da Lights tem chances consideravelmente baixas de voltar pra Indycar. Isso porque a Mazda e a Cooper Tires que bancam a corrida e patrocinam todas as categorias de base da Indy não querem se envolver com a categoria principal, por pressão da Firestone, principalmente, e da Chevrolet. Enquanto todo esse embróglio político não for resolvido, vai ser difícil ver Indy por lá.

Outros circuitos incluindo aí o Brasil todo e Cleveland,  zero

Esses entraves todos devem ser resolvidos no próximo mês, e o calendário com as provas de 2016 deve ser asnunciado já em Outobro ou, no mais tardar, na primeira quinzena de Novembro. Até lá, só especulamos...
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. Cleveland seria maravilhoso, pois lá Emerson Fittipaldi ganho 3 vezes a corrida do Aeroporto de Burke Lakefront(1987, 1989, 1992) e Gil de Ferran ganhou 1 vez nesta pista(1996)

    ResponderExcluir