Cotação: Mid-Ohio

Com um pequeno Delay por causa do Mass Effect meu novo emprego, finalmente oo Indy Center Brasil apresenta a postagem que mostra os cinco maiores destaques, tanto pro lado positivo quanto pro lado negativo: o Cotação!
Aguardando a Mid fazer um suco no sabor Ohio. Não se preocupe, o resto da postagem é melhor que esse trocadilho.

Mais melhores de bom

Pagenaud parece que saiu da Penske em Detroit e voltou só agora.
5º: Simon Pagenaud

Finalmente relembrei que o francês está na categoria. Depois do pódio na primeira corrida de Detroit, o francês sumiu numa cortina formada por azares, estratégias de gosto discutível e ajustes ruins. Nessa corrida de Mid-Ohio, nada disso aconteceu e o francês conseguiu abocanhar mais um pódio segurando a dupla da Ganassi. 

Esse é o segundo pódio desse ano dele. Essa que, até agora, é a pior temporada completa de Pagenaud desde que ele entrou na Indycar.

4º: Grahan Rahal

Pois é, venceu novamente o piloto da Rahal Letterman Lanigan Racing. Saindo da trocentésia posição (era décimo terceiro, na verdade), sua equipe de três engenheiros mais seu pai, Bobby Rahal, decidiram adiantar a primeira parada de Graham e ele foi lá pra ponta depois da primeira bandeira amarela. Junte isso com uma boa equipe de pit stops e um bom ritmo de prova e o americano ganha sua segunda prova, com Montoya começa a tremer nas bases do campeonato.

"Noooooooooossssaaa, por que ele não tá em primeiro então?"

Porque teve gente que fez feitos mais memoráveis, como

3º: Tristan Vautier

Liderou novamente uma prova e terminou em sexto com a Dale Coyne. A defesa encerra.

2º: Honda
Honda aplicando o Cuscuz no campeonato.

Pódio com dois Honda e um Chevy, Top 10 com 3 Chevy e 7 Honda. 

Isso no começo do campeonato seria impensável, pois os motores Honda rendiam claramente menos que o Chevy (perdiam quase 15 mph na reta oposta de NOLA). Mas esses problemas parecem ter ficado para trás, e agora podemos ver que o aerokit da Honda pode sim competir com o de sua rival e até ser melhor em ritmo de corrida, pois preserva mais pneus, tem tocada mais suave e etc.

1º: O Campeonato

Alguém socorre o campeonato, porque ele tá pegando fogo!! Com Montoya fazendo nada demais na prova enquanto Rahal e Dixon brilhavam, a diferença do colombiano para os outros competidores finalmente diminuiu e temos briga de verdade pela ponta.

Montoya tem só nove pontos de vantagem (a diferença de pontos é menor que a dada pro primeiro e pro segundo colocado, por exemplo), enquanto Dixon está a 34 pontos (isso numa corrida com pontos dobrados desaparece rapidinho). Realmente temos um bom campeonato agora.

O Lado fracassado da força

5º: Stefano Coletti

Sempre no pelotão da derrota, o Monegasco fez o de sempre, e veio parar nos cinco piores, como sempre. Com sua grande coleção de fracassos em provas da Indy, Coletti já está atrás de Sage Karam (mesmo este tendo três corridas a menos) e está apenas um ponto a frente de Luca Fillipi, que não fez TODAS as provas em ovais.

O Saavedra sempre foi ruim, mas ficava a frente de quem não fazia a temporada completa.


4º: Charlie Kimball

Mid-Ohio foi para ele o Roda Roda Charlie Kimball 2015.

3º: Takuma Sato

Outro habitante do pelotão da derrota, estava até demorando para começar sua famosa sequência de provas sem completar que acabam com seu campeonato.

Dessa vez o motivo foi o melhor de todos: o Japonês usou tantas asas traseiras que todas as suas três estavam avariadas e ele teve de recolher o carro.

2º: Penske

Que fase hein, depois de ficar sem um representante sequer entre os cinco primeiros da prova de Iowa, a equipe que fez onze poles e fez 1-2-4-5 na prova de abertura em St. Pete amarga um jejum de vitórias desde a Indy 500.

Cadê aquela Penske que ia dominar tudo e tal? Daqui a pouco Sebastien Bourdais, Marco Andretti e Josef Newgarden chegam em Power e Hélio no campeonato.

1º: Karamgate
Karam tramando mentalmente uma forma para retirar todos os outros carros da disputa, ou só olhando a telemetria mesmo.
Sério gente, isso já está ficando ridículo. 

Entendo que alguns querem colocar o garoto de olhos azuis e voz de menininha como """novo vilão da Indy""" como se o campeonato fosse uma grande Carrossel e Karam fosse a diretora Olivia, mas deve-se ter o mínimo de senso pra isso e a etapa de Mid-ohio mostrou que essa história está toda descabida.

Primeiro Karam fica na frente de Graham Rahal no treino classificatório, quando ele deveria abrir passagem por estar em volta lenta e Rahal na sua tomada de tempo. Rahal protestou na direção de prova, a direção decidiu que nada aconteceu (o que foi a realidade) e ficou por isso mesmo. Na corrida, Karam rodou (como se isso fosse novidade) enquanto ajustava o balanço de freio e a bandeira amarela beneficiou Scott Dixon.

Mas, no mundo de alguns por aí o que aconteceu foi que Karam, em um dos seus frequentes acessos de malvadeza, fechou deliberadamente o pobre Rahal que estava atrás, empurrando o oprimido americano para o último lugar. Na corrida, para a ironia de um vilão que aceita qualquer ordem da equipe, Karam rodou sozinho apenas para provocar a bandeira amarela, beneficiar Dixon e fazer ele ganhar estonteantes 13 pontos a mais que Montoya.

A RACER Chegou a fazer uma postagem em seu site, onde claramente Montoya dizia "Karam is a bitch" (Karam é um canalha) em seu rádio, quando na verdade ele dizia Karma's Bitch" (vítima do carma, filosofia indiana onde tudo o que acontece já está pré-definido).


Sério gente. Menos, MUITO MENOS.
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário