Ganassi se dá melhor e Dixon fatura vitória em Texas

Em um sábado lindo para Chip Ganassi, o neozelandês Scott Dixon venceu a Firestone 600 na noite deste 6 de junho no Texas. As Penske, que dominaram os treinos, se perderam na estratégia: Helio Castroneves conseguiu terminar bem, em terceiro, com o líder do campeonato Juan Pablo Montoya atrás, em quarto. Tony Kanaan foi o segundo.



Antes do início da prova, uma grata surpresa: o grand marshall (quem dá a autorização de ligar os motores) foi ninguém menos que James Hinchcliffe. Direto do grande telão da reta oposta, ele deu a ordem. “Normalmente eu estaria aí com vocês, mas estou me recuperando. É bom sentir o carinho de vocês, e espero que vocês faça uma corrida boa, rápida e, acima de tudo, segura”, disse o canadense.

As primeiras voltas foram de revezamento entre Pagenaud e Power na liderança, com Helio Castroneves em terceiro e Tony Kanaan, que largou em oitavo, apontava em quarto. A partir da décima volta, o francês assumiu a liderança isolada e os dois brasileiros dividiram voltas lado a lado.

Por volta do 30º giro, próximo da primeira sequência de paradas, os Penske começaram a perder rendimento. Melhor para o carro 10 da Ganassi, que ultrapassou seus adversários e chegou bem próximo de Pagenaud. Também foi por aí que os líderes tiveram contato com retardatários.

Depois das paradas, Helio Castroneves acabou se atrasando na saída e perdeu a posição para Montoya. Power ficou logo atrás do brasileiro. Ryan Hunter-Reay foi um dos últimos a parar e teve problemas ao recolocar a roda traseira-esquerda.

Na volta 68, Tony Kanaan conseguiu enfim ultrapassar Simon Pagenaud e distanciou-se. E, até a primeira parte da prova, era o brasileiro o mais rápido entre os ponteiros.

A única bandeira amarela veio na volta 83, por conta de sujeira na pista. E boa parte dos pilotos aproveitaram para fazer o segundo pit-stop. A Dale Coyne, conhecida por suas trapalhadas esse ano, acabou aprontando mais uma: Tristan Vautier, ao sair dos boxes, acabou acertando o pneu das mãos do mecânico de Pippa Mann, sua companheira de equipe, que parava logo à frente.

Outro que não se deu bem nas paradas foi Pagenaud. Quando estacionou o carro, o francês teve problemas para voltar e perdeu posições.

16 voltas depois, a bandeira verde foi acionada e Montoya, Castroneves e Kanaan brigaram pela liderança. Scott Dixon chegou pouco depois e ultrapassou o companheiro, entrando na disputa. E aí o que seria uma disputa Penske vs. Ganassi acabou ficando fácil para o baiano: ele jantou os três e assumiu a ponta – segundo o comentarista Felipe Giaffone, por uma falha de estratégia da equipe do Capitão.

Após esses momentos, o ritmo da prova reduziu e as posições se mantiveram, sem grandes disputas. A ação só foi voltar na volta 140, em mais uma sessão de paradas. No retorno dos pits, a disputa ficou entre os Ganassi, com vantagem para o neozelandês desta vez.

Na volta 150, o vencedor do ano passado, Ed Carpenter, acabou se rendendo ao péssimo acerto do carro e abandonou a prova. O americano já não vinha bem em todo o fim de semana. Seu companheiro de equipe (e funcionário), o também ianque Josef Newagarden, também sairia da disputa. Que fase...

Ao longo da prova, as Penske de Pagenaud, Power e Montoya perderam bastante rendimento, a ponto de tomarem volta dos ponteiros. Os carros pararam por volta da 190, e a hegemonia dos dois carros de Chip se manteve.

Mais para o fim das provas, todos estavam se perguntando como serão as estratégias. Os Ganassi nitidamente precisariam parar antes do fim, ao passo que os Andretti – principalmente Muñoz e Marco – não iriam mais aos boxes. Castroneves foi o primeiro dos líderes a parar, sendo seguido por Kanaan. Scott Dixon fez seu pit duas voltas depois. Charlie Kimball assumiu a liderança temporariamente, mas foi pro boxe e o neozelandês retomou a ponta.

Enquanto isso, os dois brasileiros brigavam intensamente, sendo atrapalhados por retardatários, principalmente Ryan Briscoe. Marco Andretti, que tentava poupar combustível, ficou lento e foi engolido pelos adversários, saindo da disputa. Mas Dixon estava bastante forte, com diferença de oito segundos para Kanaan, e precisou apenas manter o ritmo para garantir a vitória.

Confira a classificação final




A próxima corrida é semana que vem, dia 14, em Toronto, no Canadá.



Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário