Flagra: Primeiro teste de aerokits

Os aerokits (mudanças aerodinâmicas que cada uma das montadoras da Indycar implantará em 2015) já são uma realidade nessa offseason. Na quarta-feira (15 de outubro), enquanto os professores recebiam os parabéns, a Chevy testava seu primeiro protótipo.


Esse teste foi realizado no Circuit Of The Americas, ou COTA para os íntimos. Enquanto aconteciam várias atividades da Indycar e de outras categorias na pista, a Penske testou o primeiro protótipo de aero kit da Chevy, com Will Power e Simon Pagenaud (eu acho).

Em teoria o teste era privado, mas sempre tem um ou outro espião por aí que tira fotos e conseguimos ver o primeiro protótipo de Aerokit. Entretanto, a qualidade das fotos não é muito boa e chegamos a postar uma delas na nossa página no facebook, mas o pessoal do RACER.com tratou elas melhor e conseguimos visualizar um pouco melhor:

Pode aumentar, mas num melhora muito (fonte dessa e de todas as fotos: RACER)
"Nossa, mas o que dá pra ver de diferente ali?"  Bem, notem a asa traseira. Ela parece mais baixa e mais recortada, com duas divisões ao invés de apenas uma como no kit atual produzido pela Dallara. Por essa foto dá pra notar também que a cobertura da roda traseira abrange toda a largura da roda, adquirindo maior importância aerodinâmica e também dá pra ver uma maior entrada de ar no cockpit.
Essas modificações na asa e na proteção da roda trazem uma maior downforce no carro, fazendo com que a resistência do ar seja menor e o carro consiga maior agilidade. A entrada de ar maior também facilita a distribuição do ar pelo carro, melhorando a downforce e também ajudando na potência do motor, que poderá ser maior sem que o mesmo superaqueça.

Nessa foto ao lado é possível ver melhor os detalhes da asa dianteira do novo kit aerodinâmico.

A asa dianteira parece (sempre parece, pois essas fotos parece aquelas tiradas de discos voadores)  que tem vários elementos aerodinâmicos mas laterais, ao invés da aleta plana que o DW12 apresentava até esse ano. 

Essas aletas se assemelham as utilizadas pela F1 no fim da década passada.

Outro ponto  que se ressalta é a ligação do bico com o resto do carro. 

No DW12 essa ligação continha algumas curvas que, talvez, fique mais evidente no carro #6 da foto anterior. por essa foto podemos ver uma ligação mais reta, onde praticamente não há curvas desde o início do bico até a ligação com a célula do piloto.


Numa última foto, podemos notar que o carro do ano que vem, pelo menos esse inicial da Chevy é muito mais "quadrado", com as linhas mais retas em comparação como DW12.

No mais, notamos também que as aletas laterais e as Kardashians se mantiveram iguais, bem como a tampa do motor e o santoantônio.

Lembrando que esse kit aerodinâmico da Chevy ainda é apenas um protótipo, e mais testes devem vir e o carro ainda pode mudar bastante do que é apresentado hoje. Mas o que vemos é um carro mais rápido em curvas, eficiente aerodinamicamente e que também facilita o trabalho do motor, principalmente na parte de refrigeração

As duas montadoras, tanto a Chevy quantoa Honda, tem até o dia 18 de janeiro para homologar suas versões finais de aero kit para a aprovação da INDYCAR, estamos de olho nisso também, e assim que alguém espionar os possíveis testes da Honda também ou surgirem fotos melhores desse kit aerodinâmico da Chevy, postaremos por aqui.


Fonte: RACER.com
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

5 comentários:

  1. Mas a idéia inicial não era deixar os carros com o "santoantônio" como os modelos dos anos 90? Até onde eu sabia a entrada de ar que fica ali desapareceria. Espero que isso aconteça até a versão final.

    ResponderExcluir
  2. Dificilmente essa mudança ocorrerá. A Dallara utilizou aquela entrada para ajudar na refrigeração de todo o conjunto, e muito provavelmente as equipes seguirão essa lógica também. Pessoalmente não ligo tanto, mas prefiro assim. Deixa o conjunto um pouco mais harmonioso e é um espacinho a mais para patrocínios.

    ResponderExcluir
  3. Seria melhor se outras marcas de chassi pudessem entrar para a categoria, como a Lola e a Swift.

    ResponderExcluir
  4. Para a gente assistir sim, mas para a sobrevivência da categoria talvez não seja uma boa ideia.

    ResponderExcluir
  5. Parece que a roda traseira vai ficar mais "escondida"... Vai aumentar o número de flaps nas asas...

    ResponderExcluir