Jack Harvey Vence a última prova de 2014, mas o campeão é Gabby Chaves

Mesmo com duas provas perfeitas, Jack Harvey conseguiu tirar a vantagem na pontuação, mas Gabby Chaves se torna campeão nos critérios de desempate.


O campeonato seria decidido nessa prova, e a vantagem era de Chaves: mesmo que Harvey vencesse e fizesse o máximo de pontos possíveis, Chaves seria campeão se ficasse no segundo lugar. Ambos ficariam empatados em pontos (547) e em vitórias (4 para cada), mas Chaves leva vantagem no maior número de segundos lugares (3 contra apenas 1 de Harvey).

A última largada dos Dallaras IP2 na Indy Lights foi muito tensa. Os carros alinharam em Sonoma, mas a primeira largada foi abortada, pois Harvey se adiantou e quebrou a formação. Os pilotos deram outra volta de apresentação ainda mais tensa que a anterior, e a largada foi novamente abortada porque Gabby Chaves se adiantou e quebrou a formação.

A largada estava tensa entre os três candidatos ao título.
A direção tomou uma atitude, e informou "Meninos, não podemos fazer isso o dia todo. O próximo que quebrar a formação será punido." e, apesar de todo o nervosismo da situação, os pilotos ouviram, e dessa vez ninguém quebrou a formação. Harvey conseguiu se manter na primeira posição, mas de nada adiantava porque Chaves também se manteve no segundo lugar.

Quem melhorou muito sua posição foi o outro postulante ao título, Zach Veach.  O piloto da Andretti conseguiu saltar do oitavo para o quarto lugar passando Razia, Brabham, García e Phinny. O baiano Luiz Razia não conseguiu acompanhar o pelotão na largada, e perdeu a terceira posição para Juan Piedrahita.

Essa ultrapassagem de Piedrahita tornou a vida de Harvey e Chaves muito mais fácil na prova. O inglês da Schmidt-Peterson seguia em ritmo forte, fazendo voltas quase meio segundo mais rápido que Chaves, mas o colombiano da Belardi Auto Racing seguia quase um segundo mais rápido que Piedrahita, que segurava Veach, Razia, Brabham e García atrás de si.

Quem diria que ele decidiria a parada toda.
Na volta dezenove, volta que determinava a metade da prova, Harvey já detinha oito segundos a frente de Chaves, que estava mais de dez segundos a frente de Piedrahita e seu pelotão.

Esse título era extremamente importante para o colombiano, que foi vice-campeão no ano passado pela Schmidt-Peterson e tentou subir para a Indycar, mas a falta de apoio do piloto fez com que ele não conseguisse lugar na categoria principal pelas equipes com vagas nas equipes médias. Logo o piloto percebeu que, para ele subir para a Indycar, era imprescindível que ele vencesse o campeonato e conseguisse o prêmio em dinheiro que as equipes médias tanto querem para completar seu orçamento. Quando a categoria anunciou que o campeão desse ano teria vaga garantida nas 500 milhas de Indianápolis, o primeiro lugar se tornou o único alvo de Chaves.

Harvey, apesar de estreante na categoria, mostrou grande regularidade quando ele (e seus companheiros de equipe) tinham um carro da Schmidt-Peterson abaixo do esperado, mais lento do que os carros da Belardi e da Andretti Autosport. Quando a equipe de Sam Schmidt conseguiu se acertar, já havia passado mais da metade do campeonato. O inglês, com um equipamento bem melhor e que já superava os carros concorrentes, teve um fim de semana perfeito em Mid-Ohio, e chegou de vez na briga pelo título, até esse momento.
A largada foi o ponto máximo da prova.
Ah é, a prova.

Bem, ela seguiu no ritmo que descrevi antes de divagar completamente sobre o campeonato até na volta 29, quando Zach Veach e Luiz Razia finalmente conseguem a ultrapassagem em cima de Piedrahita depois deste passar direto na chicane que serve de curva nove. 

Na volta seguinte, Piedrahita ainda segurava Matthew Brabham e Juan Pablo García, mas García tentou um movimento mais agudo no hairpin da curva sete. O piloto passou reto na curva, acertou Piedrahita e ambos rodaram. Ambos conseguem voltar a prova (Juan Pablo García com asa quebrada) mas nas últimas posições e sem bandeira amarela.

Veach, o novo terceiro colocado, e seu comboio era quase meio segundo mais rápido, mas a distância que Chaves construiu já era muito grande. Já não havia mais nada o que fazer a não ser se defender dos ataques de Luiz Razia e Matthew Brabham na disputa pelo pódio.



Jack Harvey segue com grande velocidade e vence! Gabby Chaves passa no segundo lugar e conquista o título da Indy Lights em 2014! Zach Veach termina seu sólido campeonato na terceira posição, Luiz Razia passa em quarto e Matthew Brabham em quinto.

O colombiano conseguiu um ótimo campeonato, com quatro vitórias (Long Beach, Alabama 2, Freedom 100 e Pocono) e onze pódios em 14 provas disputadas. Esse também foi o campeonato da Indy Lights que não foi vencido por um piloto da Andretti ou por uma equipe da Sam Schmidt nos últimos dez anos. O colombiano leva pra casa 750 mil dólares, e uma vaga garantida nas 500 milhas de Indianápolis em 2015.

Jack Harvey termina o campeonato na segunda posição, com o mesmo número de pontos e vitórias que Gabby (547 pontos, 4 vitórias) mas conquistando três segundos lugares a menos. Zach Veach termina seu segundo campeonato na Indy Lights na terceira posição.  Luiz Razia, o único representante brasileiro na categoria, terminou o campeonato na quinta posição, com uma vitória em Indianápolis 2 e cinco pódios.

Agora, Indy Lights só em 2015. Quem vai subir pra Indycar, quem fica, como vai ser o novo carro e quem vence o ano que vem, você poderá acompanhar tudo aqui no Indy Center Brasil!


Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário