• Indy em Brasília, a novela. Capítulo 3: Obra adiada complica preparação do autódromo

    O novo projeto proposto. (www.motonline.com)

    A reforma do Autódromo Internacional Nelson Piquet começaria no mês de agosto, mas terá de esperar mais um pouco. A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) adiou o começo dos trabalhos até novembro, quando restarão aproximadamente 120 dias para o local receber a Fórmula Indy, em 8 de março.


    Quando Brasília foi anunciada como sede da etapa de abertura da competição internacional, em março deste ano, o início das obras estavam previstas para agosto. O mês está acabando, mas nem sequer a elaboração do projeto foi finalizada.



    A reformulação não deve ser modesta. O primeiro desenho do projeto do novo autódromo, elaborado pelo engenheiro André Araújo, previa mudanças em quase todo o traçado. Nele, apenas duas curvas seriam mantidas em relação ao circuito original. O tempo para tirar os planos do papel, porém, será ainda menor que o imaginado.



    Desde o primeiro semestre deste ano, o piloto brasiliense Vitor Meira adverte para o curto prazo reservado às obras. “O projeto muda muitas coisas e, se for seguir à risca, vai demorar bastante”, ressalta. A tranquilidade do piloto ao comentar sobre o assunto, no entanto, indica uma segunda estratégia. “Hoje, eu estou menos preocupado porque sei que a reforma vai priorizar as exigências da Fórmula Indy”, observa.



    Vitor Meira acredita que a reforma será dividida em etapas. A primeira visa cumprir os requisitos da Indy. “É uma categoria que não exige muito, o principal é ter uma pista boa e segura, com áreas de escape. As instalações de boxes, de mídia e de outros tipos podem ser resolvidas com estruturas provisórias”, explica.



    O piloto não crê que Brasília corre o risco de perder a oportunidade de receber a Indy. No entanto, lamenta que a cidade não possa se aproveitar tanto dos benefícios posteriores. “A Indy deve atrair o interesse de outras categorias em vir para Brasília, mas será necessário protelar a vinda de outras corridas para que as obras possam ser retomadas até serem de fato concluídas”, pondera.

    Fonte: DF Superesportes.


    É, parece que, com a prova acontecendo mesmo em Brasília, vai ser estilo SP Indy 300 em 2010 ou da Copa em 2014: as obras extremamente essenciais ficarão prontas (ou quase isso). Sim, estou exercendo meu completo otimismo.
  • POSTAGENS RELACIONADAS

    Um comentário:

    1. Meu otimismo acabou em junho. A Indy deveria ir pra Goiânia.

      ResponderExcluir