"Adoro vencer em ovais!"



Foi o que disse o vencedor da ABC Suplly Wisconsin 250 e atual líder do campeonato com 39 pontos de vantagem, Will Power. Apesar da pequena falha na estratégia da Penske na segunda parada, o australiano se deu bem com a única bandeira amarela da prova e soube economizar equipamento enquanto era o mais rápido da pista. Power com a vitória se mostrou um piloto completo e merece ter um título.

Mas esse título pode chegar ano que vem, porque por enquanto quem merece um caneco é o brasileiro Helio Castroneves. O piloto do carro #3 não apareceu muito na corrida, só quando tomou volta de seu companheiro de equipe australiano, porque largou na sexta posição e terminou em oitavo. Já seu compatriota Tony Kanaan lamentou por mais uma corrida que estava em suas mãos, só que mais uma vez, a chance de uma vitória neste ano escapou.

Na segunda parada, a Ganassi chamou Tony para entrar nos pits antes de Power, enquanto que a Penske decidiu deixar o australiano mais algumas voltas na pista. O lance deixou Tony com vantagem de ter um pneu mais fresco para enfrentar Power e recuperar a volta antes mesmo do líder entrar nos pits, assim, o brasileiro esteve na liderança e até abriu uma vantagem de quase dois segundos para o segundo colocado, mas então, veio a amarela provocada por Carlos Muñoz, que bateu no muro na T4.

A batida de Muñoz foi a cereja do bolo do péssimo final de semana para o colombiano. Ele não foi bem nos treinos, largou em 20º. não conseguiu render com o carro durante a prova e acabou abandonando. Ele mesmo disse que foi um final de semana para esquecer, assim como quase disse seu companheiro de Andretti, Ryan Hunter-Reay. 

Vencedor das últimas duas provas no oval, o americano teve problemas com a pressão dos pneus traseiros na classificação e largou lá trás, em 19º, uma posição á frente de Muñoz, mas inversamente ao colombiano, Hunter-Reay fez uma excelente corrida de recuperação, estando nos cinco primeiros em boa parte da prova, antes da quebra de sua suspensão traseira, repentinamente, na reta em frente aos pits. O americano já falava que estava sentindo um tranco toda vez que acelerava, mas antes mesmo da equipe fazer alguma coisa, já era tarde, e fim de prova para algum americano vencer o campeonato da Indy em 2014. 



Pra finalizar, o desempenho de Montoya é de se destacar. Relembrando seus momentos na CART, o colombiano chegou até a ameaçar Power, mas acabou ou perdendo contato com o líder, ou desistiu de atrapalhar a vida de seu companheiro de equipe, mesmo estando também com chances de título.

Confira agora a classificação final:

E os melhores momentos:
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário