Frases da semana: Os reparos de Houston, teammates, palestras e etc


Olá pessoas! Sei que ainda não tivemos nada de Indy neste final de semana, mas os pilotos falaram muito, alguns, muito mesmo! Durante a semana, Justin Wilson deu palestra para crianças, Sato agradeceu o dinheiro arrecadado por um leilão, os companheiros de equipe Simon Pagenaud e Mikhail Aleshin falaram sobre seu companheirismo na Sam Schmidt, Sage Karam deu uma cutucada na atual situação do automobilismo e Hildebrand disse que a física em tudo a ver com a IndyCar. Então, confira o que saiu da boca dos pilotos na última semana:




"O que eu aprendi da minha carreira é que você tem que lutar para chegar a algum lugar, não importa o que você esteja fazendo. Tem um monte de pilotos talentosos por aí, e que eu quis ser um deles, se eu quis competir com eles e vencê-los, eu tive que trabalhar duro, se não mais do que eles. Quando você está na escola, você deve pensar: "Por que eu estou aqui?" Acreditem, vale a pena. Isso vai ajudá-los muito na vida, porque vocês podem conseguir ser o que quiserem, se vocês definirem suas mentes para aquilo e trabalharem duro. Quanto mais conscientes vocês são, e quanto mais entenderem sobre aquilo, melhores serão".
Justin Wilson, em uma palestra de motivação que deu na Fortune Academy, sobre lidar com a dislexia, diagnosticada quando ele tinha 13 anos.


"Eu gostaria de agradecer a todos que participaram do leilão da caridade. É uma grande notícia que este leilão arrecadou uma enorme quantidade para o "With you, Japan". Meus parabéns ao grande felizardo. Eu aprecio todos que doaram a mais como uma forma de contribuição extra. O Japão ainda enfrenta os efeitos do tsunami, e com a ajuda de vocês, continuaremos a ajudar as crianças para que tenham algumas atividades de lazer e incentivar seus sonhos."
Takuma Sato, parabenizando todos que ajudaram na campanha "With you, Japan" com o leilão de seu capacete utilizado nas 500 milhas de Indianápolis.  




"A física é fundamentada no movimento, força e energia, e tudo isso você vê diariamente numa pista de corrida. Requerido um nível alto de competitividade, as inovações acontecem mais rápido nos esportes a motor do que na indústria automobilística comum. Isto é um fato. Eu quero aproximar o automobilismo com a cultura e a ciência.
John R. Hildebrand, falando sobre sua ideia de diminuir o desinteresse dos americanos pela ciência, com o automobilismo. 



"Estou muito satisfeito que eles fizeram algumas mudanças. Não terminamos ano passado por causa de um problema que não estava ao nosso controle. Foi difícil, frustante e decepcionante. Tentei ganhar o máximo de pontos que eu pude e me concentrar para ter um carro melhor na a segunda corrida.
Helio Castroneves, relembrando os problemas que enfrentou em Houston, ano passado, que o tirou na luta pelo título.


"Eu entro muito rápído! Tenho que parar com isso, tenho que tentar ser um pouco mais tranquilo, porque, definitivamente não é tão fácil quanto parece na TV."
Will Power, sobre ser o primeiro do campeonato e sua mania de colecionar multas de velocidade nos pits.



"É uma grande diferença. Aqui é o único oval da Nascar que os pilotos precisam diminuir marchas, e a gente andou aberto o tempo todo. É inacreditável, e também difícil, porque todas as três curvas são diferentes."
Juan Pablo Montoya, comparando as diferenças da Nascar e da Indy no superoval de Pocono. 



"Eu acho que isso depende das personalidades de cada um, depende de como você está disposto para compartilhar e ajudar um ao outro. Francamente, quando Mikhail foi anunciado, eu fui 'mão-aberta' e fui dispposto a ajudá-lo, e a sua atitude foi muito legal. Ele entendeu que precisamos nos ajudar para que isso funcione. A equipe está indo bem justamente por esta razão."
Simon Pagenaud, sobre seu companheirismo com Mikhail Aleshin na Schmidt Peterson Motorsports.


"Infelizmente, não é fácil para você entrar na Formula 1, mesmo que você seja um bom piloto. É preciso ter mais do que talento. Já a Indy, é completamente uma nova página, uma nova história da minha vida. É bom que eu possa competir com pilotos que já correram aqui por anos e anos. Ás vezes, estou na mesma situação que eles, ou até mais rápido. Isso deixa você um pouco mais otimista. Essa é definitivamente uam das caegorias mais difíceis, senão a mais difícil que eu já corri na minha vida."
Mikhail Aleshin, falando da sua adaptação em todas as pistas que ele nunca tinha corrido antes na Indy.


"Isso dói um pouco porque a gente fez tudo o que nos disseram para fazer no ano passado. Ganhamos o campeonato, ganhamos o dinheiro da premiação, mas isso não é o suficiente para enfrentar os problemas financeiros para entrar na Indy. Existem pilotos que trazem 5 milhões para a equipe e correm durante toda a temporada, mas nunca tinham entrado nos Estados Unidos antes. Esta foi a minha luta desde que eu era uma criança, e eu fiz tudo que tinha pra fazer e ainda continuo batalhando para correr na Indy."
Sage Karam, lamentando os problemas financeiros, mesmo ganhando o campeonato da Indy Lights ano passado.


Fontes: IndyCar.com | Racer | AutoWeek | Bloomberg BussinessWeek | ABCNews | 
Compartilhar no Google Plus

Sobre o Indy Center

Somos um site focado especialmente em Fórmula Indy no Brasil, trazendo as principais notícias da série, além de entrevistas, vídeos e análises das categorias de base.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário